Descobrindo o Havaí

Aos 13 anos, catarinense Laura Raupp lapida o surfe nas pesadas ondas do North Shore de Oahu.

0
Em busca da evolução, Laura Raupp encara sua primeira temporada no Havaí.

A talentosa catarinense Laura Raupp, de apenas 13 anos, acaba de chegar de sua primeira temporada no Havaí. Local de Florianópolis, ela encarou um mês em busca da evolução e das desafiadoras ondas do North Shore de Oahu.

“O Havaí é um lugar mágico, tudo gira em torno do surfe e pessoas do mundo inteiro estão lá para treinar”, conta a atleta, que dividiu o outside com nomes como Kelly Slater, Jordy Smith e Kanoa Igarashi durante sua passagem no arquipélago.

“Foi uma oportunidade incrível surfar ao lado deles e conhecer pessoas de todos os cantos do planeta”, resume Raupp, que vem conquistando títulos e pódios nos principais eventos das categorias de base no litoral brasileiro.

Filha da fisioterapeuta e bodyboarder Giorgia Maciel e do atleta master Gustavo Raupp, Laura cresceu no Pico da Cruz e está acostumada a pegar onda com os vizinhos Yago Dora, Binho Nunes e Adriano de Souza, que atualmente são suas maiores inspirações.

Local de Florianópolis, ela vem acumulando pódios nas categorias de base.

“Decidimos mandá-la para o Havaí para ela ganhar experiência na Meca do surfe mundial, além de evoluir em ondas pesadas, o que pode fazer muita diferença na sua carreira”, afirma Giorgia.

Durante a temporada havaiana, Laura encarou mares de responsa em Haleiwa e Off-The-Wall, pico eleito como o preferido no North Shore. “Adorei essa onda. É pra frente, tubular. Foi incrível surfar lá quase todos os dias”, relata a surfista, que também encarou as desafiadoras ondas de Pipeline e Backdoor.

“Todos os dias tentávamos encontrar as melhores condições, com pelo menos duas sessões de treinos. Acordávamos cedinho e já íamos conferir os picos com tudo pronto dentro do carro: pelo menos três pranchas e dois jogos de quilha, pois o mar no Havaí muda muito rápido”, conta Raupp.

Laura decidiu começar a surfar há apenas dois anos, quando seu pai a convidou para participar de um campeonato. Depois disso, ela não parou mais e no ano passado foi campeã dos circuitos Adriano de Souza, Mormaii Surfuturo Groms, além de ter conquistado a sétima colocação do Oi Pro Junior da WSL na praia da Joaquina e a terceira colocação no Pro Junior da Abrasp em Ubatuba (SP).

A atleta escolheu o final da temporada de inverno no Havaí com o objetivo de encontrar menos areia nas bancadas e menos crowd, o que a deixou mais à vontade e com mais oportunidades de pegar as ondas. Laura conta que seu maior medo antes de chegar ao arquipélago eram os corais, mas aos poucos ela foi conseguindo soltar o surfe.

“Não tive nenhum machucado sério, só uns pequenos cortes e pancadas nos corais. Já minhas pranchas tiveram que ir para o conserto algumas vezes (risos)”, completa Laura.

Para ver vídeos da viagem ao Havaí e acompanhar a rotina de Laura, siga o perfil @lauramacielraupp no Instagram.

View this post on Instagram

Agora já estou ficando mais acostumada com as bancadas de pedra e coral super rasas daqui. Na hora da vaca tem que cair sem querer cair nunca de cabeça. Bater no fundo, que antes era um horror só de pensar, agora virou rotina e está tudo bem kkkkk Para mim isso já é um grande aprendizado. . . Aqui é muita onda e cada uma tem seu nome direita tem um e a esquerda tem outro. É tanto nome que agente se atrapalha acha que surfou numa onda e depois fica sabendo que surfou em outra mas tá tudo certo. Tudo é aprendizado conhecimento que fica para sempre. . Outra coisa muito legal são as tartarugas umas fofas chegam bem pertinho e não tem medo. Vontade de levar pra casa kkkkkk . Vídeo editado por @gsurf2000 Imagens @gimaciel1975 que fica na praia horas faça chuva ou faça sol tentando não perder nenhum momento. Obrigada mesmo Mãe e Pai. . . #hawaii #coral #pedra #reef #reefbreak #aloha #manobrasradicais #surf #surfergirl #letssurf #surfeveryday

A post shared by Laura Maciel Raupp (@lauramacielraupp) on