Premissa sustentável

Surfland Brasil lança guia de sustentabilidade e releva os principais cuidados com o meio ambiente de Garopaba (SC).

0
Surfland terá a piscina de ondas com a tecnologia da Wavegarden Cove no litoral sul catarinense.

Com projeto urbanístico e arquitetônico integrado à natureza, a Surfland Brasil Clube & Resort acaba de lançar um guia de sustentabilidade, em que diz que os cuidados com o meio ambiente são a principal premissa do empreendimento localizado em Garopaba (SC).

De acordo com os idealizadores, o projeto foi aprovado em todas as fases pelos órgãos competentes, como o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA). No guia, a Surfland traz algumas das principais medidas em soluções ambientalmente sustentáveis.

Aproximadamente 40 profissionais, entre topógrafos, arquitetos, urbanistas, engenheiros, biólogos, paisagistas, entre outros, elaboraram o projeto, que pretende ser referência em conservação e lazer na América Latina.

Apesar de não ser construído em área de preservação, a Surfland mantém mais de 230 mil m² de área verde totalmente preservada. A construção é feita em área de pastagem e plantações, já alteradas anteriormente pelo homem e sem a presença de maciços de vegetação.

Conheça algumas das principais medidas sustentáveis, com informações da arquiteta e urbanista Liege Ferreira, coordenadora geral do projeto da Surfland Brasil:

Projeto da Surfland Brasil em Garopaba.

Abastecimento de água:

O Resort terá um sistema de captação de água da chuva, com 14 cisternas. Haverá tratamento de água residual (reaproveitamento) para uso não potável, como limpeza de áreas externas e irrigação. Outra parte virá da rede pública, respeitando o limite definido pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan). Não haverá nenhum despejo de esgoto na natureza, pois o projeto contempla uma estação de tratamento própria.

Minimização de recursos:

As edificações serão construídas para ter o melhor aproveitamento de recursos naturais disponíveis. Para isso, obra contará com um sistema de construção pré-moldado, pré-industrializado e tecnologias a seco, uma vez que torna o canteiro de obras mais limpo, com menor geração de resíduos da construção civil.

Os materiais e elementos utilizados também têm características sustentáveis: pisos drenantes e semidrenantes, paredes com baixa manutenção, blocos permeáveis, paredes e coberturas verdes, entre outros.

Energia elétrica:

A Surfland contará com dois sistemas: uso da energia solar fotovoltaica para a geração de energia elétrica e placas solares para aquecimento de água.

Obras foram iniciadas em abril de 2020.

Tratamento de lixo:

O projeto possui centrais de triagem próprias com o intuito de proporcionar a correta gestão de resíduos, auxiliando em infinitas ações socioambientais.

Paisagismo:

A área de construção foi recomposta com paisagismo nativa, que, além de valorizar e contribuir para a conservação e manutenção da fauna e flora, auxiliam no desempenho das edificações, amenizam a temperatura, diminuem o efeito das ilhas de calor, melhoram a qualidade da paisagem natural e reduzem esforços de manutenção e conservação. Também será realizado o plantio de mais de 2.000 espécies nativas entre arbóreas e arbustivas.

Para saber mais, acesse o Guia de Sustentabilidade da Surfland.