Haleiwa Challenger

Pupo e Chumbinho no CT 2022

Circuito Challenger Series chega ao fim. Samuel Pupo e João "Chumbinho" Chianca reforçam time brasileiro na elite do surfe mundial em 2022. John John dá espetáculo e vence etapa com direito a nota 10.

0
Samuel Pupo está garantido na elite do surfe mundial em 2022.

O Brasil terá nove representantes no circuito da elite do surfe mundial em 2022. Neste domingo (5), de ondas acima dos 2 metros na série no pico havaiano de Haleiwa, foram definidos os últimos classificados para o CT. Samuel Pupo e João “Chumbinho” Chianca garantiram seus nomes entre os melhores do mundo, e o havaiano John John Florence venceu a etapa com espetáculo de surfe.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

João chegou no Haleiwa Challenger em sexto lugar no ranking, mas foi eliminado na segunda bateria que disputou e tinha chances, pequenas, de sair da lista dos 12 classificados para o CT 2022. Já Samuel Pupo chegou em último nessa lista, e precisava passar algumas baterias para se garantir na elite. E ele fez um bom trabalho, chegou até a final, terminou em quarto lugar e confirmou a vaga.

“Foi um longo caminho para chegar aqui. Apesar de ser novo ainda, estou competindo no QS desde os 15 anos, então foi bastante tempo para me qualificar e estou muito feliz agora”, diz Samuel.

Samuel Pupo termina em quarto lugar no Haleiwa Challenger.

“Estou muito feliz por estar classificado pro CT de 2022 e agradeço muito a torcida de todos”, fala João Chianca. “Foi um ano muito longo, ao mesmo tempo muito corrido. Muitas coisas aconteceram, mas a gente conseguiu a tão esperada vaga aqui nesse lugar maravilhoso. Sei que todos vocês estavam botando grande fé em mim e obrigado pela torcida, obrigado a WSL, obrigado a todos”.

O domingo começou com uma bateria importante para os dois brasileiros. Jacob Willcox competia de olho numa vaga no CT e podia atrapalhar a classificação dos brazucas. Porém o australiano não se conectou com o mar de Haleiwa. Surfando de backside no pico havaiano, Jacob não fez uma boa escolha de ondas e não apresentou uma boa performance.

Pra piorar a situação do australiano, os adversários tiveram uma melhor leitura do mar e se distanciaram dele no placar. O último terço da bateria de 30 minutos começou com ele na necessidade de 8.89 para avançar. O tempo passou, Jacob seguiu errando e foi eliminado com a quarta posição na disputa.

O australiano Jack Robinson venceu o duelo e o havaiano Ezekiel Lau avançou em segundo lugar. O norte-americano Jake Marshall se despediu da etapa com o terceiro lugar no confronto. Esses três já estavam garantidos no CT, mas Jacob adiou o sonho de integrar o circuito dos melhores surfistas do planeta.

Jack Robinson faz final em Haleiwa.

O confronto seguinte teve dois surfistas que também poderiam atrapalhar os caminhos de João e Samuel: o havaiano Ian Gentil e o australiano Kalani Ball. Os dois precisavam de excelentes resultados no evento para se garantir no CT. Ian começou melhor na bateria, mas depois não conseguiu evoluir muito no placar.

Kalani demorou quase dez minutos para entrar em ação na bateria, mas abriu com uma rasgada lenta e uma batida vertical que valeram 5.50 pontos. As condições do mar estavam difíceis para o surfe, mas, ao contrário dos adversários, o australiano achou uma onda e conquistou mais 5.07 e assumiu a liderança.

Pior para Ian Gentil, que viu o japonês Kanoa Igarashi assumir a liderança e jogá-lo para a terceira posição nos minutos finais. Ian acabou eliminado e fora da briga pelo CT, e Kalani seguiu no sonho de integrar a elite. O norte-americano Griffin Colapinto terminou a disputa na última posição.

A WSL oficializou a vaga de João Chianca na elite do surfe logo após essa bateria. Mas ainda faltava mais um duelo para o Brasil ter também Samuel Pupo entre os melhores.

O já classificado australiano Liam O’Brien abriu a quarta bateria das quartas de final com uma junção grande (4.33), e o australiano Connor O’Leary, também já confirmado no CT, trabalhou bem de backside (5.43).

Samuel foi o último a surfar na bateria. O brasileiro demorou dez minutos para entrar em ação, mas rasgou, executou um layaback e bateu para anotar 6.33 pontos. Com essa nota ele foi para a liderança, porém por pouco tempo. Liam amassou uma direita com manobras fortes e pulou pra frente com 7.83. Em terceiro lugar, Connor foi para o ataque, escovou uma onda pequena (5.27) e foi para a segunda posição.

Mas Samuel ainda teve tempo de fazer algumas boas curvas numa onda pequena, anotar 4.50 pontos e assumiu o segundo posto para não sair mais. Ele avançou e garantiu seu espaço no CT da próxima temporada.

Samuel Pupo comemora a vaga no CT 2022.

Amarradão com a vaga na elite, Samuel passou pela semi com duas notas no critério excelente (8.10 e 8.03), após surfar de forma fluída e atacar as partes mais fortes das direitas de Haleiwa. Kanoa avançou em segundo.

Os dois encontraram John John Florence e Jack Robinson na final. Samuel até ensaiou um ataque com um rasgadão e uma junção pesada (6.83), mas ao longo do tempo os adversários passaram à frente dele no placar. Destaque para John John, autor de uma nota 10, conquistada com um surfe de aéreos e de borda.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Classificados para o CT – Após o término da etapa masculina do Haleiwa Challenger, os doze nomes garantidos no CT a partir do circuito foram Ezekiel Lau (HAV), Liam O’Brien (AUS), Connor O’Leary (AUS), Jake Marshall (EUA), Callum Robson (AUS), Samuel Pupo (BRA), Nat Young (EUA), Imaikalani deVault (HAV), Lucca Mesinas (PER), João Chianca (BRA), Jackson Baker (AUS) e Carlos Muñoz (CRI).

Além de Samuel e João, o Brasil terá Gabriel Medina, Italo Ferreira, Filipe Toledo, Yago Dora, Deivid Silva, Jadson André e Miguel Pupo no CT 2022.

Oitavas de final Femininas – Depois da decisão do título masculino, começaram as oitavas de final femininas. Um bicampeão mundial saiu do mar comemorando a vitória e entrou uma tetracampeã, para fazer sua estreia no Haleiwa Challenger. Carissa Moore só surfou duas ondas que valeram a mesma nota 7,33 e avançou em segundo lugar, na bateria vencida pela americana Alyssa Spencer, por 15,23 a 14,66 pontos.

Alyssa Spencer ataca a direita de Haleiwa.

As brasileiras Tatiana Weston-Webb e Summer Macedo perderam suas baterias. Na da Summer, a americana Sawyer Lindblad caiu junto com ela e saiu da lista das seis que se classificam para o CT 2022. Três vagas já foram definidas, para Brisa Hennessy (CRI) líder do ranking, Gabriela Bryan (HAV) que está em segundo e Caitlin Simmers (EUA) em terceiro. A batalha é grande pelas outras três e o domingo terminou com a havaiana Luana Coelho Silva dividindo o quarto lugar com India Robinson e a também australiana Molly Picklum empatada em sexto com outra havaiana, Bettylou Sakura Johnson.

Haleiwa Challenger

Final

Campeão John John Florence (HAV) 18.03 US$ 20.000 e 10.000 pontos

Vice-campeão Jack Robinson (AUS) 15.03 US$ 10.000 e 8.000 pontos

3º Kanoa Igarashi (JPN) 14.54 US$ 5.250 e 6.500 pontos

4º Samuel Pupo (BRA) 10.13 US$ 4.750 e 6.100 pontos

Semifinal
3º=5º lugar, 5.100 pontos e US$4.000, 4º=7º lugar, 4.900 pontos e US$ 3.400

3rd=9th place 3600 pts $3,200 4th=13th place 3400 pts $2,950

1 Jonh John Florence (HAV) 17.20, Jack Robinson (AUS) 13.16, Ezekiel Lau (HAV) 8.23, Callum Robson (AUS) 6.00

2 Samuel Pupo (BRA) 16.13, Kanoa Igarashi (JPN) 13.60, Kalani Ball (AUS) 12.20, Liam O’Brien (AUS) 8.83

Quartas de final
3º=9º lugar, 3.600 pontos e US$3.200, 4º=13º lugar, 3.400 pontos e US$ 2.950

1 Jack Robinson (AUS) 13.33, Ezekiel Lau (HAV) 11.36, Jake Marshall (EUA) 9.27, Jacob Willcox (AUS) 5.60

2 Callum Robson (AUS) 12.07, John John Florence (HAV) 11.20, Conner Coffin (EUA) 10.26, Shion Crawford (HAV) 8.27

3 Kanoa Igarashi (JPN) 11.16, Kalani Ball (AUS) 10.57, Ian Gentil (HAV) 8.53, Griffin Colapinto (EUA) 5.93

4 Liam O’Brien (AUS) 12.16, Samuel Pupo (BRA) 10.83, Connor O’Leary (AUS) 10.70, Billy Stairmand (NZL) 5.77

Round 2 Feminino
3ª=17º lugar, 2.200 pontos e US$2.400, 4ª=25º lugar, 1.800 pontos e U$$ 1.900

1 Alyssa Spencer (EUA) 15.23, Carissa Moore (HAV) 14.66, Zoe McDougall (HAV) 8.97, Pauline Ado (FRA) 7.93

2 Yolanda Hopkins (PRT) 12.17, Gabriela Bryan (HAV) 10.56, Caitlin Simmers (EUA) 9.80, Brianna Cope (HAV) 4.66

3 Brisa Hennessy (CRI) 14.93, Vahine Fierro (FRA) 11.43, Tia Blanco (EUA) 6.96, Philippa Anderson (AUS) 6.73

4 Luana Silva (HAV) 13.80, Pua Desoto (HAV) 9.23, Dimity Stoyle (AUS) 8.73, Leticia Canales Bilbao (ESP) 7.87

5 Molly Picklum (AUS) 14.66, Savanna Stone (HAV) 11.40, Teresa Bonvalot (PRT) 9.60, Tatiana Weston-Webb (BRA) 8.76

6 India Robinson (AUS) 11.57, Lakey Peterson (EUA) 11.33, Minami Nonaka (JPN) 6.84, Sara Wakita (JPN) 5.93

7 Macy Callaghan (AUS) 14.50, Sarah Baum (AFR) 12.16, Summer Macedo (BRA) 9.83, Sawyer Lindblad (EUA) 4.14

8 Bettylou Sakura Johnson (HAV) 16.23, Amuro Tsuzuki (JPN) 11.46, Coco Ho (HAV) 11.30, Caroline Marks (EUA) 9.03

Quartas de final
3ª=º lugar, 3.600 pontos e US$3.200, 4ª=13º lugar, 3.400 pontos e U$$ 2.950

1 Alyssa Spencer (EUA), Vahine Fierro (FRA), Yolanda Hopkins (PRT), Pua Desoto (HAV)

2 Brisa Hennessy (CRI), Carissa Moore (HAV), Luana Silva (HAV), Gabriela Bryan (HAV)

3 Molly Picklum (AUS), Sarah Baum (AFR), India Robinson (AUS), Amuro Tsuzuki (JPN)

4 Macy Callaghan (AUS), Savanna Stone (HAV), Bettylou Sakura Johnson (HAV), Lakey Peterson (EUA)

G-12 do ranking final do WSL Challenger Series 2021
*- vaga garantida pelo CT 2021

*1 Kanoa Igarashi (JPN) – 19.500 pontos

02 Ezekiel Lau (HAV) – 18.600

03 Liam O´Brien (AUS) – 14.900

04 Connor O´Leary (AUS) – 14.250

*5 Griffin Colapinto (EUA) – 14.150

06 Jake Marshall (EUA) – 14.100

*7 Jack Robinson (AUS) – 13.750

08 Callum Robson (AUS) – 13.400

09 Samuel Pupo (BRA) – 13.100

10 Nat Young (EUA) – 12.100

11 Imaikalani Devault (HAV) – 12.000

12 Lucca Mesinas (PER) – 11.000

12 João Chianca (BRA) – 11.000

14 Jackson Baker (AUS) – 10.700

15 Carlos Muñoz (CRI) – 10.650

Próximos brasileiros até 50

19 Lucas Silveira (BRA) – 9.250 pontos

19 Mateus Herdy (BRA) – 9.250

22 Thiago Camarão (BRA) – 9.200

25 Alex Ribeiro (BRA) – 8.800

34 Wiggolly Dantas (BRA) – 7.600

35 Alejo Muniz (BRA) – 7.500

36 Jessé Mendes (BRA) – 7.450

38 Edgard Groggia (BRA) – 7.250

*50 Deivid Silva (BRA) – 5.800

51 Ian Gouveia (BRA) – 5.650