Disposição nas bombas

Camille Oliveira bota pra baixo nas maiores ondulações desta temporada no sul de Santa Catarina.

0
Camille Oliveira desce a ladeira no big swell do dia 21 de setembro na Praia do Cardoso.

Com muitos desafios, mudanças e surpresas, 2020 tem sido um ano atípico e transformador. Diante deste cenário, agradeço por continuar treinando e evoluindo no bodyboarding. Esse ano, que começou “bombando” com grandes ondulações desde janeiro, continua nos presenteando e fazendo a alegria de quem gosta desses mares.

O mês de setembro recebeu dois swells na Praia do Cardoso, sul de Santa Catarina, pico famoso por suas ondas poderosas, com qualidade e tamanho. No primeiro dia do mês, comemoramos o aniversário do meu companheiro e parceiro de surfe, Francisco Carneiro (conhecido como Chico), do jeito que mais gostamos, surfando essas ondas. No dia 21 deste mesmo mês, quando o swell Eloah encostou, pudemos voltar para aproveitar mais uma vez as ondas do Cardoso.

No momento que antecede a entrada na água, passo um tempo observando e analisando as condições do mar, e enquanto me preparo e me concentro, sinto a boa vibração dos que estão ali, juntos, amigos e amantes do big surf. Nestas condições de mar, busco viver essa sensação maravilhosa e viciante que é dropar e deslizar ondas grandes, vivenciando mais instantes de conexão com a natureza.

Atleta enfrenta as temidas bombas da Laje da Jagua.

Quando eu menos esperava lançaram a ideia e fui convidada a viver um dos meus sonhos. No dia seguinte fomos atrás delas, as ondas da Laje de Jaguaruna, que até então, eu nunca havia surfado. Foi uma experiência espantosa e, ao mesmo tempo, incrível e realizadora.

Além de surfar na Laje, ter a chance de ver grandes ídolos como Lucas Chumbo e Alemão de Maresias, e todos que estavam presentes, representando com atitude, coragem e muito surfe, foi o que completou essa viagem surpreendente que ficou registrada em minha memória. Agradeço à equipe da Atow-Inj (Associação de Tow-In de Jaguaruna), por toda estrutura de apoio, e especialmente ao Thiago Jacaré pela oportunidade.

Outras praias que recebem essas grandes ondulações, quando encaixam a direção do swell e as condições do vento específicos, são a Praia do Silveira, no canto norte, e na laje do canto sul; a Praia do Rosa, na extremidade sul, e a Praia da Vila, locais de treino que usufruo com mais frequência por serem próximas de minha residência.

Camille trabalhou por seis temporadas como salva-vidas em Itajaí e Portugal.

O prazer por sentir adrenalina correndo nas veias e minha paixão pelo bodyboarding são alguns dos estímulos que me impulsionam até hoje.

A experiência adquirida como guarda-vidas, durante os anos que me dediquei trabalhando seis temporadas na Praia Brava de Itajaí e uma em Portugal, me deram embasamento e segurança para continuar seguindo este caminho, buscando ondas que fazem meu coração pulsar mais forte, nesses mares que me encantam com seu poder e grandeza.

A Praia Brava entre outras da região, com ondas fortes e tubulares, além de local de trabalho, foi por bom tempo, meu local de treino. Durante esses anos vivendo mais ao norte do estado, me formei em Nutrição, mas atuei por pouco tempo nessa profissão.

Em 2016, participei do Circuito Catarinense de Bodyboarding Feminino, sendo consagrada campeã do circuito, na categoria amadora. Neste mesmo ano me mudei para o sul do Estado e logo conheci a Teresa Sukienik e a Marjorie Vasques. Além da amizade que surgiu e se firmou, através da paixão em comum pelo bodyboarding, nos tornamos parceiras de treino.

Juntas, idealizamos o Programa de Treinamento em Bodyboarding Três Marias Boarders que vem sendo desenvolvido há um ano e meio na região de Garopaba/Imbituba, com mulheres de idades e profissões variadas que possuem em comum o mesmo desejo ardente de auto superação. Muitas delas retornaram ao esporte com o apoio e estímulo do referido programa.

Bodyboarder em ação nos cilindros da Praia Brava.

Paralelo à esse projeto, também desenvolvo treinos individuais e personalizados de bodyboarding e agora percebo que me encontrei como profissional. Me sinto realizada por desenvolver um trabalho que traz benefícios às outras mulheres através do meu esporte favorito que é uma paixão surgida quando eu ainda era criança. Tudo somente se tornou possível, em 1997, quando ganhei meu primeiro bodyboard, um BZ Diamond, marcando o início desta jornada que ainda tem muito pela frente.

Hoje sigo como free surfer e me divirto surfando em quase todos os tipos de ondas, realizando treinos diários, focada nos dias de ondas grandes. E com alegria no rosto e satisfação na alma, sou feliz por inspirar mulheres como eu, a buscar e acreditar que podem se superar e viver as emoções que o bodyboarding pode proporcionar.

Almejo durante minha jornada continuar fomentando o crescimento do bodyboard feminino através do nosso programa de treinamento Três Marias Boarders. E também procuro parcerias que se identifiquem com meu estilo de vida nesse esporte, principalmente nas ondas grandes onde fico mais à vontade.

Agradeço ao site Waves pela oportunidade e pelo espaço para compartilhar um pouco das minhas experiências até aqui. Aloha e boas ondas à todos vocês!