CBSurf fecha circuito

Confederação Brasileira anuncia circuito profissional com 36 homens e 18 mulheres na próxima temporada; atletas que ficaram fora questionam mudança repentina.

0
Artur Silva é o atual campeão brasileiro profissional da CBSurf.

A Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) divulgou que vai fechar o Circuito Brasileiro Profissional para 36 homens e 18 mulheres na próxima temporada, surpreendendo muitos atletas.

De acordo com a entidade, o intuito é valorizar e restabelecer uma elite no surfe profissional brasileiro. A decisão, anunciada recentemente, traz opiniões divergentes. Os atletas que ficaram fora dos critérios de classificação argumentam que a decisão deveria ter sido tomada no início da última temporada, e não depois do CBSurf Pro Tour 2019.

Agora, quem ficou fora só poderá tentar a classificação para 2021, através da divisão de acesso que ainda será esclarecida pela entidade.

“Participei da primeira etapa, no ano passado, e fiquei em nono. Depois, sofri uma lesão no joelho no meio da temporada e tive que me afastar das competições, inclusive da WSL. Se soubesse dessa mudança antes, mesmo ainda em recuperação, teria ido para a última etapa do CBSurf Pro Tour para tentar passar algumas baterias e ficar entre os 22 primeiros do ranking”, alega Bino Lopes, que foi vice-campeão do circuito em 2018, ficando atrás apenas de Jadson André.

Assim como Bino, outros atletas não disputaram todo o circuito no ano passado e alguns até tiveram bons resultados, mas ficaram fora dos critérios de classificação, como Messias Félix, Yuri Gonçalves, Samuel Igo, Glauciano Rodrigues, Márcio Farney, Wesley Leite e Gabriel Adisaka.

Julia Santos é a cabeça de chave número 1 entre as mulheres.

Procurado pelo Waves, o presidente Adalvo Argolo justificou que precisou tomar essa medida para voltar a qualificar o surfe profissional brasileiro e viabilizar a captação de patrocínios. O dirigente revelou ainda que, no momento, a premiação mínima garantida por categoria em cada etapa do circuito é de R$ 40 mil, além de um carro zero km para os campeões da temporada, mas existe a possibilidade de a quantia ser elevada consideravelmente com a entrada de novos patrocinadores.

Dos atletas que ficaram fora, o caso de Bino parece ser o de solução mais viável, já que a entidade terá dois wilcards para cada evento da temporada na categoria masculina. “Ele já nos solicitou um convite e vamos analisar a situação. Como foi vice-campeão em 2018, participou da etapa de abertura no ano passado e teve fortes motivos para não participar de todo o circuito, tem grande chance de ser contemplado, mas precisamos analisar todos os casos antes de dar uma resposta a ele”, argumenta o presidente da CBSurf.

A tendência é de que a primeira etapa seja disputada em Torres (RS), em data a ser definida. O objetivo da entidade é que as etapas não coincidam com eventos importantes do Qualifying Series da WSL.

Jessé Mendes tem vaga garantida no circuito, caso opte por participar.

Serão quatro etapas para a categoria masculina e três para a feminina. Ao todo, 36 homens e 18 mulheres poderão disputar cada evento – mesma quantidade de competidores que a WSL utiliza em suas divisões de elite.

Na categoria masculina, estão garantidos os 22 melhores do ranking do CBSurf Pro Tour deste ano; 9 vagas priorizadas para os atletas que saíram do Championship Tour e os melhores brasileiros no ranking do QS (até a 50a posição); uma vaga para o campeão brasileiro Sub 18 de 2019; uma vaga para o melhor brasileiro no Mundial Pro Junior.

As outras três vagas serão preenchidas da seguinte forma: duas delas irão para convidados da CBSurf, enquanto a terceira irá para o atual campeão do circuito da federação local em cada etapa.

Silvana Lima também está apta a participar do CBSurf Pro Tour.

Feminino

Entre as mulheres, as 12 melhores do CBSurf Pro Tour 2019 estão garantidas.

Outras três vagas estariam disponíveis para atletas que disputaram os circuitos da WSL na última temporada, mas apenas Silvana Lima está apta. Os critérios para essas vagas são ter deixado o Championship Tour ou estar entre as 30 melhores do QS no último ano. Caso essas três vagas não sejam preenchidas, serão herdadas pelas alternates do CBSurf Pro Tour 2019.

Quem também está classificada é a atual campeã brasileira Sub 18, Julia Duarte. Como ela já ficou entre as 12 melhores do CBSurf Pro Tour, a vaga do Brasileiro Sub 18 vai para Maju Freitas, do Rio de Janeiro, vice-campeã da categoria.

Para completar a lista, a CBSurf vai convidar uma atleta e disponibilizar uma vaga para a atual campeã estadual da federação local em cada etapa.

Formato de baterias

Diferentemente da elite mundial, as etapas do CBSurf Pro Tour 2020 não terão confrontos homem-a-homem. Serão baterias com três atletas na primeira fase e também nas semifinais. Já os demais rounds terão duelos com quatro atletas, incluindo a final.

Michael Rodrigues é outro ex-Top que está dentro do critério de classificação para o CBSurf Pro Tour.

Atletas com vagas garantidas no CBSurf Pro Tour 2020

Masculino*

1 Artur Silva (CE) – vaga pelo ranking CBSurf
2 Luan Wood (SC) – vaga pelo ranking CBSurf
3 Douglas José (PE) – vaga pelo ranking CBSurf
4 Alan Jhones (RN) – vaga pelo ranking CBSurf
5 Felipe Oliveira (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
6 Tiago Silva (PE) – vaga pelo ranking CBSurf
7 Edson de Pra (PR) – vaga pelo ranking CBSurf
8 Marcos Corrêa (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
9 Edgard Groggia (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
10 Heitor Alves (CE) – vaga pelo ranking CBSurf
11 Odarci Nonato (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
12 Giovani Pontes (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
13 Robson Santos (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
14 Alan Donato (PE) – vaga pelo ranking CBSurf
15 Caetano Vargas (SC) – vaga pelo ranking CBSurf
16 Amando Tenorio (AL) – vaga pelo ranking CBSurf
17 Alex Lima (SC) – vaga pelo ranking CBSurf
18 Charlie Brown (CE) – vaga pelo ranking CBSurf
19 Igor Morais (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
20 Israel Júnior (RN) – vaga pelo ranking CBSurf
21 André Luiz (SC) – vaga pelo ranking CBSurf
22 Leonardo Berbet (RN) – vaga pelo ranking CBSurf
23 Jessé Mendes (SP) – vaga para ex-Top da WSL
24 Willian Cardoso (SC) – vaga para ex-Top da WSL
25 Michael Rodrigues (CE) – vaga para ex-Top da WSL
26 Samuel Pupo (SP) – vaga para ranking do QS
27 Luel Felipe (PE) – vaga para ranking do QS
28 Weslley Dantas (SP) – vaga para ranking do QS
29 Ian Gouveia (PE) – vaga para ranking do QS
30 Krystian Kymerson (ES) – vaga para ranking do QS
31 Alejo Muniz (SC) – vaga para ranking do QS
32 Heitor Mueller (SC) – vaga para o Circuito Brasileiro Sub-18
33 Lucas Vicente (SC) – vaga para o Mundial Junior da WSL

*Completam a lista dois convidados da CBSurf e o campeão do circuito estadual profissional da federação que sedia a etapa.

Willian Cardoso também tem direito a competir por ser ex-Top da WSL.

Feminino*

1 Julia Santos (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
2 Camila Cássia (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
3 Taís de Almeida (RJ) – vaga pelo ranking CBSurf
4 Kayane Reis (RJ) – vaga pelo ranking CBSurf
5 Monik Santos (PE) – vaga pelo ranking CBSurf
6 Yanca Costa (CE) – vaga pelo ranking CBSurf
7 Rayssa Fernandes (PB) – vaga pelo ranking CBSurf
8 Julia Duarte (SP) – vaga pelo ranking CBSurf
9 Gabriela Teixeira (RJ) – vaga pelo ranking CBSurf
10 Larissa dos Santos (CE) – vaga pelo ranking CBSurf
11 Karol Ribeiro (RJ) – vaga pelo ranking CBSurf
12 Tainá Hinckel (SC) – vaga pelo ranking CBSurf
13 Silvana Lima (CE) – vaga para ex-Top da WSL
14 Jessica Bianca (PR) – alternate do ranking CBSurf
15 Letícia Cavalcante (CE) – alternate do ranking CBSurf
16 Maju Freitas (RJ) – vaga para o Circuito Brasileiro Sub-18

*Completam a lista uma convidada da CBSurf e a campeã do circuito estadual profissional da federação que sedia a etapa.