Pro France

Samuel nas alturas em Culs Nus

Com um aéreo muito alto, Samuel Pupo arranca maior nota do Pro France e garante vaga na terceira fase.

0
Samuel Pupo decola muito alto e vence bateria com autoridade.

Os brasileiros comandaram as ações nesta quarta-feira (20) no Pro France. Após uma maratona de 37 baterias, realizadas ao mesmo tempo em duas bancadas vizinhas em Culs Nus, o Brasil chegou na terceira fase masculina com nove brasileiros, Samuel Pupo foi o grande destaque do dia com a nota 9.43 pontos, conquistada com uma rasgada e um aéreo muito alto.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

O terceiro dia de ação da etapa francesa do Challenger Series rolou em ondas de meio a um metro, com séries maiores. O vento maral soprou e estragou a formação das direitas e esquerdas, mas era possível encontrar paredes abertas e íngremes para atacar.

 

View this post on Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Samuel competiu duas vezes nesta quarta-feira. Ele participou da 22ª bateria da primeira fase masculina. O duelo foi muito embolado, com três dos quatro surfistas separados por pouca pontuação. O brasileiro estava em terceiro lugar até os oito minutos finais. A partir daí ele encontrou paredes mais manobráveis e subiu à primeira posição com as notas 6.17 e 7.83 pontos, a maior do dia até aquele momento entre os homens.

O havaiano Eli Hanneman tomou a segunda posição do peruano Alonso Correa no fim, depois de anotar 6.50 pontos. O também surfista do Havaí, Billy Kemper, lutou muito, mas foi eliminado (4º) junto com Alonso (3º).

Samuel voltou pra água no fim de tarde francês para competir pela 11ª e penúltima bateria do segundo round. Foi aí que ele deu espetáculo. Após começar mal e ver o francês Jorgan Couzinet largar com 7.17 pontos, o brasileiro foi para as alturas. Samuel entrou numa direita, rasgou e voou muito alto, sem as mãos na borda, com rotação completa antes de aterrissar com segurança. A nota foi a maior de todo o evento até agora: 9.43.

Samuel Pupo passa duas fases e garante vaga no Round 3.

O brasileiro ainda soltou manobras de borda em outras ondas e venceu com tranquilidade. Jorgann conseguiu se distanciar dos outros adversários e avançou com a segunda posição. Os havaianos Mason Ho (3º) e Barron Mamiya (4º) foram eliminados.

“Realmente, esse aéreo foi muito bom, mas, apesar de ter sido bem alto, eu não sabia como ele seria julgado, então fiquei muito feliz pela nota que eu recebi”, comenta Samuel, que nunca tinha competido em Hossegor. “Eu já vim aqui algumas vezes para surfar, então sei como a onda funciona e estava até parecido com as que eu surfo em casa (Maresias-SP). As condições mudam muito rápido aqui, mas deu boas ondas nas minhas baterias, estou feliz por ter passado e já estou pronto para a próxima”.

Outros shows brazucas – Samuel garantiu vaga no Round 3 do Pro France com autoridade, mas ele não foi o único brasileiro que deu show nesta quarta-feira em Hossegor. Marcos Correa e Edgard Groggia também conquistaram notas no critério excelente e foram outros destaques do dia.

Os dois já iniciaram a quarta-feira classificados para a segunda fase, e só entraram na água uma vez no dia. Marcos competiu na quarta disputa da fase e destruiu uma esquerda com duas fortes manobras que valeram a segunda maior do Round. Ele colocou 8.67 pontos no somatório e ganhou uma certa tranquilidade no duelo. Esse confronto teve 39 ondas surfadas, mas somente essa entrou no critério excelente.

 

View this post on Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Quem avançou com Marcos para o terceiro round foi o peruano Lucca Mesinas. O indonésio Rio Waida (3º) e o atleta de Barbados, Josh Burke (4º), deram adeus ao evento.

“Quero agradecer a todos pela torcida. Consegui fazer um oito alto ali (nota). Meu backup (segunda nota) estava bem baixo, mas eu acreditei até o final, consegui passar essa bateria e vamos passo a passo, vamos seguir no foco”, diz Marcos.

Edgard Groggia foi outro brasileiro que conquistou uma nota na casa dos oito pontos. Ele competiu no duelo seguinte ao de Marcos, e voou com rotação completa para garantir 8.43 pontos de nota.

 

View this post on Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Edgard fez 5.67 pontos logo depois e deixou o vice-líder da bateria, o francês Joan Duru, na necessidade de uma nota no critério excelente (8.04). Dylan Moffat estava em terceiro e reagiu com três manobras de backside (7.63). Perto do final o australiano usou a prioridade, fez duas rasgadas boas (6.37) e foi pra segundo lugar. Joan (3º) não teve tempo de reagir e saiu do Pro France, assim como o australiano Kalani Ball (4º).

“Estou muito feliz de ter completado aquele aéreo. Feliz também de estar surfando aqui, que é um dos lugares que eu mais achei bonito. É muito irado, com uma vibe muito boa. As ondas também são muito boas. Estou muito feliz de ter achado boas ondas nessa bateria. Estou com um pouco de dor ainda por conta que eu me machuquei essa semana, mas está tudo bem. É isso, vamos com tudo pra cima, vamos com tudo para o próximo round”, fala Edgard.

Edgard Groggia conquista nota no critério excelente.

Dobradinhas brasileiras – O dia realmente foi bom para os brasileiros no Pro France. Tanto que os atletas conquistaram duas dobradinhas na segunda fase. Mateus Herdy abriu o dia no Pro France junto de João Chianca na 14ª bateria da primeira fase masculina.

João foi teve um bom início. Ele entrou numa direita, rasgou bonito, bateu na sequência, passou uma seção e escalou. A nota foi 6.00 pontos. Logo depois o brasileiro remou numa direita, acelerou e voou com rotação completa antes de aterrissar. A nota foi 6.67 pontos. Em apenas cinco minutos ele colocou 12.67 no somatório.

João Chianca decola em Culs Nus.

Mateus ainda não tinha surfado e o norte-americano Cole Houshmand e o japonês Shuji Nishi sim, porém sem terem conquistado notas de destaque. Mateus não foi bem nas duas primeiras ondas, porém começou a melhorar na sequência. Ele conquistou 4.67 pontos numa direita bem trabalhada, que teve algumas curvas e um aéreo reverse no inside.

Logo depois o brasileiro fez a maior nota da bateria. Mateus remou numa direita, abriu a apresentação com um aéreo reverse, mostrando as quilhas para público na praia, e depois ainda deu uma batida. A nota 7.23 o levou para a segunda posição e complicou a vida dos adversários estrangeiros.

Enquanto Shuji tentava, mas não achava ondas com potencial para boas notas, Cole encostou em Mateus após anotar 6.93 pontos. João seguia firme na ponta, mas não conseguia melhorar sua pontuação. Seu conterrâneo tentava trocar nota e conseguiu após outras duas ondas fracas. Mateus conquistou 5.07 com uma batida e um bom ataque à junção, mas permaneceu em segundo lugar.

Sob pressão de Cole, que precisava de 5.38 pontos avançar, Mateus continuou ativo. Perto do fim ele deu um gás numa direita, decolou alto com rotação e foi para a liderança com 7.17. O norte-americano ainda deu um susto em João ao surfar nos segundos finais. Porém Cole conseguiu 4.13 quando precisava de 5.74 e foi eliminado em terceiro lugar. Shuji (4º) também se despediu da prova. Mateus venceu a disputa com o somatório de 14.40.

Mateus Herdy tambem usa os aéreos para avançar no Pro France.

Mateus voltou pra água na sétima bateria, que teve três brasileiros e um norte-americano. Yago Dora, que só competiu uma vez no dia, decolou de backside logo no início (7.50) após uma onda fraca, e atacou uma esquerda com algumas curvas (4.00) para se distanciar dos adversários no placar. Em seguida ele aumentou a pontuação (4.63).

Porém ele sofreu a virada e caiu para a terceira posição. Jack Marshall fez um forte ataque de backside (7.00 e 5.57) e assumiu a liderança. Mas logo depois o norte-americano perdeu a posição. Mateus Herdy começou a voar nas direitas (6.90 e 6.13) e jogou Jack para segundo.

Em terceiro lugar e fora da zona de classificação, Yago deu a resposta com um ataque numa direita (7.03 pontos) e voltou para o primeiro lugar, de onde não saiu mais. Jack (3º) ainda tentou tomar a vaga de Mateus, mas não conseguiu. Weslley Dantas fez duas notas na casa dos cinco pontos (5.63 e 5.50), e perdeu na necessidade de 7.40.

“Eu fiquei triste por esse evento não estar fazendo parte do CT e eu gosto muito de vir para cá. Gosto da vibe das pessoas, do lugar e das ondas daqui. Eu queria muito que tivesse essas bancadas perfeitas onde eu moro no Brasil e estou feliz por estar passando as baterias, pois assim posso surfar mais vezes aqui”, fala Yago . “O nível de talentos nessa minha bateria hoje é absurdo. É por isso que eu vim competir aqui, pois serve como preparação para a próxima temporada. Também fico feliz pelo Mateus (Herdy) ter passado junto comigo. Ele é tipo um irmãozinho pra mim, então vamos pra próxima”.

Yago Dora abre bateria com aéreo de backside.

João Chianca retornou para o pico de Culs Nus no confronto seguinte, o de número oito da segunda fase masculina. A disputa também teve Lucas Silveira, além do australiano Liam O’Brien e do havaiano Cody Young. João fez boas rasgadas de frontside, colocando pressão na rabeta, e decolou para ficar na frente (5.73 e 5.57).

Lucas tentava ficar próximo no placar, atacando as ondas com força (5.67 e 4.37). Ele, que competia pela primeira vez no dia, chegou a assumir a segunda posição, mas sofreu a virada de Liam O’Brien (4.23 e 6.17). Porém foi por pouco tempo. Lucas voltou a surfar com pressão (5.53), e por pouco não foi para a liderança. Entretanto ele se manteve em segundo lugar e avançou com João para a terceira fase. Liam (3º) e Cody Young (4º) se despediram do Pro France.

“Hoje foi um dia desafiador, bem longo de competição. Acordei muito cedo para surfar na primeira bateria do dia e avancei junto com o Mateus (Herdy). Então, nessa tentei buscar o máximo de oportunidades para vencer, que é um ótimo jeito de terminar o dia”, fala João, que foi perguntado sobre a vaga no CT. “Não gosto de falar muito sobre isso. Tento ficar focado no presente e nem estou pensando muito em ranking, só mesmo em bateria por bateria, buscando um bom resultado aqui em Hossegor. Depois tem Haleiwa e o Havaí é o meu lugar preferido no mundo, então seria um sonho conseguir minha vaga lá”.

Alex e Jesse também no Round 3 – Os outros brasileiros que avançaram para o terceiro round foram Alex Ribeiro e Jesse Mendes. Alex abriu a primeira bateria da segunda fase com uma direita. Ele rasgou três vezes e deu uma batida para anotar 5.00 pontos.

Depois o brasileiro bateu duas vezes numa esquerda, mas na segunda ele voltou praticamente na areia e não completou a manobra (2.70). Na sequência Alex rasgou de frontside, bateu e executou outra rasgada, mas mais alongada e forte. A nota 5.37 manteve o brasileiro na liderança.

Nolan Rapoza ficou muito ativo, surfando direitas e esquerdas. O norte-americano estava em segundo lugar, mas o australiano Jacob Willcox optou por ser mais seletivo e na segunda onda executou três manobras de frontside (6.07) para assumir a vice-liderança.

Enquanto o francês Marco Mignot seguia sem achar ondas boas, Nolan continuava surfando, mas sem trocar de nota. Já o aussie Jacob melhorou o somatório com 4.33 pontos e se manteve no segundo lugar. Ele avançou para o terceiro round junto de Alex, vencedor da bateria que no final ainda melhorou a pontuação com mais 5.27. Nolan (3º) e Marco (4º) foram eliminados.

A sexta bateria da segunda fase teve Jesse Mendes como líder durante grande parte dos 30 minutos de duelo. Porém o japonês Kanoa Igarashi partiu para os aéreos perto do fim, e com duas notas na casa dos sete pontos (7.10 e 7.00) foi para a primeira posição.

O marroquino Ramzi Boukhiam (3º) e o havaiano Imaikalani deVault (4º) lutaram bastante, mas foram eliminados na necessidade de notas na casa dos cinco pontos.

Baixas brazucas – O Brasil perdeu oito surfistas nesta quarta-feira. Alejo Muniz, Weslley Dantas, Caio Ibelli e Thiago Camarão foram eliminados na segunda fase. Já Luel Felipe, Victor Bernardo, Wiggolly Dantas e Willian Cardoso perderam no Round 1.

Weslley Dantas é eliminado do Pro France.

Feminino – A segunda e a terceira fases femininas do Pro France também foram disputadas nesta quarta-feira. Summer Macedo era a única brasileira viva na etapa, porém ficou em quarto lugar na sétima bateria do Round 2 e terminou o evento na 25ª posição.

As melhores meninas do dia foram a norte-americana Sawyer Lindblad, autora do somatório 16.90 pontos, e a costa-riquenha Brisa Hennessy, autora da nota 8.60.

Sawyer Lindblad vence com somatório de 16.90 pontos.

Próxima chamada – A próxima chamada para o Pro France acontece nesta quinta-feira (21), às 3h (de Brasília).

Assista às disputas ao vivo aqui no Waves.

Pro France

Round 1 Masculino

3º=49º lugar (400 pontos e US$ 775), 4º=73º lugar (350 pontos e US$ 600)

Baterias realizadas na terça-feira (19)

1 Marco Mignot (FRA) 15.07, Matthew McGillivray (AFR) 13.33, Billy Stairmand (NZL) 6.57, Sheldon Simkus (AUS) 9.03

2 Jacob Willcox (AUS) 12.96, Beyrick De Vries (HOL) 12.53, Jackson Baker (AUS) 11.97, Adin Masencamp (AFR) 11.87

3 Michael Dunphy (EUA) 13.33, Nolan Rapoza (EUA) 13.13, Michael Rodrigues (BRA) 12.23, Oney Anwar (IDN) 9.16

4 Maxime Huscenot (FRA) 12.96, Alex Ribeiro (BRA) 12.06, Tristan Guilbaud (FRA) 9.80, Justin Becret (FRA) 8.63

5 Connor O’Leary (AUS) 14.67, Rio Waida (IDN) 11.87, Slade Prestwich (AFR) 11.27, Rafael Teixeira (BRA) 10.57

6 Callum Robson (AUS) 14.87, Lucca Mesinas (PER) 12.73, Sebastian Zietz (HAV) 12.23, Jordy Maree (AFR) 11.14

7 Marcos Correa (BRA) 13.87, Thiago Camarão (BRA) 10.10, Gaspard Larsonneur (FRA) 9.90, Patrick Gudauskas (EUA) 7.36

8 Josh Burke (BAR) 12.47, Caio Ibelli (BRA) 12.03, Kade Matson (EUA) 10.73, Ian Crane (EUA) 10.67

9 Joan Duru (FRA) 13.20, Jesse Mendes (BRA) 10.87, Shun Murakami (JPN) 8.63, Luke Gordon (EUA) 7.67

10 Dylan Moffat (AUS) 12.84, Imaikalani deVault (HAV) 12.83, Charly Martin (FRA) 12.74, Lucas Vicente (BRA) 8.27

11 Ramzi Boukhiam (MAR) 14.10, Edgard Groggia (BRA) 12.03, Ian Gouveia (BRA) 11.23, Ruben Vitoria (ESP) 10.43

12 Kanoa Igarashi (JPN) 12.37, Kalani Ball (AUS) 12.30, Shane Sykes (AFR) 11.03, Reo Inaba (IDN) 6.50

13 Yago Dora (BRA) 15.57, Lucas Silveira (BRA) 12.54, Andy Criere (ESP) 9.87, Kauli Vaast (FRA) 8.60

Baterias realizadas nesta quarta-feira (20)

14 Mateus Herdy (BRA) 14.40, Joao Chianca (BRA) 12.67, Cole Houshmand (EUA) 11.23, Shuji Nishi (JPN) 5.07

15 Cody Young (HAV) 13.83, Jake Marshall (EUA) 9.60, Gatien Delahaye (FRA) 7.84, Hiroto Ohhara (JPN) 4.76

16 Liam O’Brien (AUS) 12.50, Weslley Dantas (BRA) 11.60, Willian Cardoso (BRA) 10.50, Marc Lacomare (FRA) 6.00

17 Carlos Munoz (CRI) 13.03, Michel Bourez (FRA) 11.70, Keanu Asing (HAV) 9.23, Miguel Tudela (PER) 8.50

18 Cam Richards (EUA) 13.17, Crosby Colapinto (EUA) 11.90, Ezekiel Lau (HAV) 10.43, Cooper Chapman (AUS) 7.83

19 Alejo Muniz (BRA) 11.83, Aritz Aranburu (ESP) 11.10, Victor Bernardo (BRA) 10.50Wiggolly Dantas (BRA) 9.37

20 Wade Carmichael (AUS) 13.20, Ian Gentil (HAV) 12.40, Mihimana Braye (TAH) 10.63, Luel Felipe (BRA) 5.90

21 Barron Mamiya (HAV) 13.84, Jordan Lawler (AUS) 11.07, Nat Young (EUA) 9.86, Jhony Corzo (MEX) 8.03

22 Samuel Pupo (BRA) 14.00, Eli Hanneman (HAV) 11.73, Alonso Correa (PER) 11.24, Billy Kemper (HAV) 8.94

23 Reef Heazlewood (AUS) 13.23, Mason Ho (HAV) 12.20, Timothee Bisso (FRA) 11.76, Vasco Ribeiro (PRT) 7.70

24 Frederico Morais (PRT) 13.17, Jorgann Couzinet (FRA) 12.23, Charly Quivront (FRA) 7.90, Vicente Romero (ESP) 7.73

Round 2
3º=25º lugar (750 pontos e US$ 1.500), 4º=37º lugar (650 pontos e US$ 1.000)

1 Alex Ribeiro (BRA) 10.64, Jacob Willcox (AUS) 10.40, Nolan Rapoza (EUA) 9.23, Marco Mignot (FRA) 6.13

2 Maxime Huscenot (FRA) 14.60, Beyrick De Vries (HOL) 10.10, Matthew McGillivray (AFR) 9.40, Michael Dunphy (EUA) 7.57

3 Connor O’Leary (AUS) 10.20, Callum Robson (AUS) 8.63, Caio Ibelli (BRA) 7.03, Thiago Camarão (BRA) 6.67

4 Marcos Correa (BRA) 12.17, Lucca Mesinas (PER) 10.54, Rio Waida (IDN) 10.30, Josh Burke (BAR) 8.50

5 Edgard Groggia (BRA) 14.10, Dylan Moffat (AUS) 14.00, Joan Duru (FRA) 11.34, Kalani Ball (AUS) 7.53

6 Kanoa Igarashi (JPN) 14.10, Jesse Mendes (BRA) 11.40, Ramzi Boukhiam (MAR) 10.24, Imaikalani deVault (HAV) 9.96

7 Yago Dora (BRA) 14.53, Mateus Herdy (BRA) 13.03, Jake Marshall (EUA) 12.57, Weslley Dantas (BRA) 11.13

8 João Chianca (BRA) 11.30, Lucas Silveira (BRA) 11.20, Liam O’Brien (AUS) 10.40, Cody Young (HAV) 7.97

9 Aritz Aranburu (ESP) 12.56, Carlos Munoz (CRI) 10.83, Ian Gentil (HAV) 10.03, Cam Richards (EUA) 5.66

10 Wade Carmichael (AUS) 13.23, Michel Bourez (FRA) 12.40, Crosby Colapinto (EUA) 12.17, Alejo Muniz (BRA) 10.27

11 Samuel Pupo (BRA) 14.93, Jorgann Couzinet (FRA) 13.44, Mason Ho (HAV) 8.03, Barron Mamiya (HAV) 6.73

12 Frederico Morais (PRT) 15.57, Jordan Lawler (AUS) 11.83, Reef Heazlewood (AUS) 9.77, Eli Hanneman (HAV) 7.94

Round 3
3º=17º lugar (2.000 pontos e US$ 2.000)

1 Alex Ribeiro (BRA), Beyrick De Vries (HOL), Callum Robson (AUS)

2 Maxime Huscenot (FRA), Jacob Willcox (AUS), Connor O’Leary (AUS)

3 Marcos Correa (BRA), Jesse Mendes (BRA), Edgard Groggia (BRA)

4 Kanoa Igarashi (JPN), Lucca Mesinas (PER), Dylan Moffat (AUS)

5 Yago Dora (BRA), Lucas Silveira (BRA), Carlos Munoz (CRI)

6 Joao Chianca (BRA), Mateus Herdy (BRA), Aritz Aranburu (ESP)

7 Wade Carmichael (AUS), Jordan Lawler (AUS), Samuel Pupo (BRA)

8 Frederico Morais (PRT), Michel Bourez (FRA), Jorgann Couzinet (FRA)

Round 2 Feminino
3ª=17º lugar (2.000 pontos e US$ 2.000), 4ª=25º lugar (1.800 pontos e US$ 1.500)

1 Sawyer Lindblad (EUA) 10.40, Dimity Stoyle (AUS) 8.84, Philippa Anderson (AUS) 8.17, Minami Nonaka (JPN) 5.73

2 Kirra Pinkerton (EUA) 11.80, Carolina Mendes (PRT) 9.76, Coco Ho (HAV) 9.63, Garazi Sanchez-Ortun (ESP) 8.06

3 Alyssa Spencer (EUA) 13.27, Brisa Hennessy (CRI) 12.17, Leilani McGonagle (CRI) 9.83, Dominic Barona (EQU) 4.74

4 Macy Callaghan (AUS) 13.36, Tia Blanco (EUA) 12.57, Yolanda Hopkins (PRT) 9.24, Hinako Kurokawa (JPN) 9.20

5 Johanne Defay (FRA) 11.57, Shino Matsuda (JPN) 9.70, Keala Tomoda-Bannert (HAV) 9.30, Rachel Presti (ALE) 8.63

6 India Robinson (AUS) 11.47, Molly Picklum (AUS) 10.83, Sarah Baum (AFR) 9.56, Pauline Ado (FRA) 9.50

7 Vahine Fierro (FRA) 14.27, Teresa Bonvalot (PRT) 11.80, Sara Wakita (JPN) 11.76, Summer Macedo (BRA) 9.83

8 Caitlin Simmers (EUA) 13.56, Keely Andrew (AUS) 11.84, Daniella Rosas (PER) 9.77, Sophie McCulloch (AUS) 9.70

Oitavas de final
2ª=9º lugar (3.500 pontos e US$ 2.750)

1 Sawyer Lindblad (EUA) 16.90 x 11.00 Carolina Mendes (PRT)
2 Dimity Stoyle (AUS) 13.00 x 9.50 Kirra Pinkerton (EUA)
3 Alyssa Spencer (EUA) 14.70 x 9.50 Tia Blanco (EUA)
4 Brisa Hennessy (CRI) 15.43 x 14.27 Macy Callaghan (AUS)
5 Molly Picklum (AUS) 14.26 x 11.60 Johanne Defay (FRA)
6 India Robinson (AUS) 12.23 x 6.40 Shino Matsuda (JPN)
7 Vahine Fierro (FRA) 10.43 x 8.83 Keely Andrew (AUS)
8 Caitlin Simmers (EUA) 8.14 x 5.60 Teresa Bonvalot (PRT)

Quartas de final
2ª=5º lugar (5.000 pontos e US$ 3.500)

1 Sawyer Lindblad (EUA) x Dimity Stoyle (AUS)

2 Alyssa Spencer (EUA) x Brisa Hennessy (CRI)

3 Molly Picklum (AUS) x India Robinson (AUS)

4 Vahine Fierro (FRA) x Caitlin Simmers (EUA)