Medina esbarra em Ibelli

Caio Ibelli faz bonito nos tubos de The Box e derrota Gabriel Medina em duelo eletrizante no Margaret River Pro; próxima chamada acontece neste sábado, às 20:30h (horário de Brasília).

0
Caio Ibelli derrota Gabriel Medina em duelo eletrizante.

Com muita atitude e categoria nos canudos de The Box, o brasileiro Caio Ibelli derrotou o compatriota Gabriel Medina na terceira fase do Margaret River Pro, etapa do Championship Tour que acontece na Austrália.

Clique aqui para ver mais fotos

Em tubos pesados de 2,5 metros, Ibelli não se intimidou diante do bicampeão mundial e levou a melhor em um confronto eletrizante.

Depois de disparar na liderança com 7.50 e 6.17, Ibelli viu Medina arrancar a maior nota da bateria (7.83) na segunda metade do confronto. Caio Ibelli até buscou ampliar o somatório, mas as notas 5.00 e 5.60 não foram suficientes.

Para colocar fogo na bateria, Medina partiu em busca da virada e deixou a praia em suspense depois de pegar um bom canudo nos minutos finais. Ele precisava de 5.83 para virar, mas conseguiu 5.40, sendo eliminado da etapa.

“Aos meus olhos, Gabriel (Medina) é o melhor surfista do mundo”, disse Ibelli. “Ele é o mais completo e é muito bom em todas as condições. Eu não esperava que ele trouxesse nada menos, e ele quase levou a bateria no fim, já que ele é um bom surfista em tubos de backside. Conseguir uma vitória sobre ele na terceira fase é muito especial para mim e é uma sensação muito boa. Como um wildcard com um seed baixo, você sempre enfrenta os melhores atletas nas primeiras rodadas, o que é difícil, então estou muito feliz por chegar tão longe e realmente agradecido pela oportunidade. Estou muito feliz por termos surfado The Box hoje porque é um campo de testes. Eu amo surfar lá fora e estou lá fora sempre que posso. Mesmo que eu tenha batido no recife na minha segunda onda, eu me diverti bastante e fiquei muito feliz. Tudo vale a pena e estou muito empolgado com este evento. ”

Italo Ferreira completa tubo incrível na primeira bateria do dia.

Ainda pela terceira fase, Italo Ferreira esbanjou atitude no outside para eliminar o australiano Soli Bailey. Com um drop crítico e sem colocar as mãos na borda da prancha, o potiguar pegou o primeiro tubo do dia e recebeu apenas 8.00 pontos dos juízes – como a onda serviu como parâmetro para o desenrolar da competição, provavelmente os juízes agiram com cautela.

Enquanto Soli tinha dificuldade para se encontrar na bateria, Italo ampliou vantagem com 4.33 e sacramentou de vez a vitória ao obter 6.83, totalizando 15.00 pontos, contra apenas 3.50 do australiano.

Na sequência, Yago Dora não conseguiu dificultar as ações do taitiano Michel Bourez e foi superado com certa tranquilidade pelo oponente, autor de 6.50 e 5.67, contra 0.60 e 3.67 de Yago.

Outros brasileiros eliminados foram Willian Cardoso, Jessé Mendes, Filipe Toledo, Michael Rodrigues, Jadson André e Deivid Silva, derrotados por Kelly Slater, Conner Coffin, Jack Robinson, Seth Moniz, Julian Wilson e Ryan Callinan, respectivamente.

Jack Robinson dá show em batalha contra Filipe Toledo.

Convidado pela WSL para disputar a etapa, Robinson deu um verdadeiro show nos canudos de The Box e arrancou 9.27 e 9.30 dos juízes em suas melhores ondas, dando-se ao luxo de descartar 8.50 e 7.60. Sem conseguir reagir, Filipinho saiu da água com 3.33 e 3.40 no somatório, dando adeus à prova de forma prematura.

“The Box hoje está o melhor possível, especialmente se você pegar as boas”, disse Robinson. “Mas isso é apenas mais um dia para mim. Se eu não estou surfando no Main Break, estou surfando em The Box. Eu estava apenas fazendo o que faço e me divertindo. Eu não duvidei muito do Filipe Toledo. Ele é um bom amigo, mas assim que entramos na água, esse cara fica deformado. Este evento é um bônus para mim. Estou aquecendo para participar do CT em tempo integral. Claro, eu gostaria de ir até o fim, mas vamos ver o que acontece, não quero duvidar de mim mesmo”, finalizou o local.

Na 13a bateria, que marcou a vitória do australiano Julian Wilson contra o brasileiro Jadson André por apenas 7.47 a 4.30 pontos, ficaram bem perigosas em The Box e a WSL optou por levar os confrontos seguintes para o Main Break. Em sua última onda em The Box, Jadson levou uma vaca pesada e saiu da água amparado pela equipe de segurança aquática. De acordo com a WSL, o brasileiro sofreu pequenos cortes e está bem.

Em uma batalha emocionante com o francês Joan Duru, Peterson Crisanto perdia por apenas um décimo até o minutos finais, arrancou 6.90 dos juízes e totalizou 14.23 pontos, contra 14.10 do adversário.

Ainda no Main Break, Deivid Silva não conseguiu superar o australiano Ryan Callinan e saiu da água com apenas 7.63 pontos, contra 10.83 de Ryan.

Jadson André sente a potência de The Box e sai da água com alguns pequenos cortes.

Lesão no treino

Logo cedo, pouco antes de o evento ter continuidade, o italiano Leonardo Fioravanti teve o ombro deslocado no treino e saiu da água direto para uma ambulância. Leo já havia sofrido uma lesão no ombro no início da temporada, durante uma etapa do QS em Newcastle.

Sem condição de disputar a terceira fase do Margaret River Pro, o italiano deixou o caminho livre para o sul-africano Jordy Smith seguir adiante na prova.

A próxima chamada para o Margaret River Pro acontece às 20:30h deste sábado (horário de Brasília).

Previsão das ondas

A ondulação deve diminuir mais no dia seguinte, mas ainda pode proporcionar bons momentos, principalmente pela manhã.

Outro swell é esperado no fim da tarde de segunda-feira em Margaret (madrugada no Brasil), ficando mais intenso na manhã de terça (noite de segunda no Brasil), com vento terral. A expectativa da WSL é finalizar a prova nesse dia, já que nos dias seguintes a tendência é de ondas com formação prejudicada pelo vento maral.

Além do Main Break, os picos de The Box e North Point são opções para o show dos Tops da elite mundial.

Peterson Crisanto consegue virada emocionante no Main Break.

Veja a nota 8.00 de Italo Ferreira:

Veja a lesão de Leo Fioravanti no free surf:



Veja o show de Jack Robinson:

Veja a vaca de Jadson André:

Margaret River Pro 2019

Round 3 masculino

1 Italo Ferreira (BRA) 15.00 x 3.50 Soli Bailey (AUS)
2 Michel Bourez (FRA) 12.17 x 4.27 Yago Dora (BRA)
3 John John Florence (HAV) 11.83 x 9.16 Jack Freestone (AUS)
4 Sebastian Zietz (HAV) 13.87 x 4.93 Jeremy Flores (FRA)
5 Caio Ibelli (BRA) 13.67 x 13.23 Gabriel Medina (BRA)
6 Kelly Slater (EUA) 10.06 x 7.34 Willian Cardoso (BRA)
7 Jordy Smith (AFR) x Leonardo Fioravanti (ITA)*
8 Conner Coffin (EUA) 12.33 x 9.20 Jessé Mendes (BRA)
9 Jack Robinson (AUS) 18.57 x 6.73 Filipe Toledo (BRA)
10 Seth Moniz (HAV) 12.77 x 2.14 Michael Rodrigues (BRA)
11 Owen Wright (AUS) 15.40 x 5.50 Ezekiel Lau (HAV)
12 Kolohe Andino (EUA) 13.20 x 12.00 Griffin Colapinto (EUA)
13 Julian Wilson (AUS) 7.47 x 4.30 Jadson André (BRA)
14 Peterson Crisanto (BRA) 14.23 x 14.10 Joan Duru (FRA)
15 Ryan Callinan (AUS) 10.83 x 7.63 Deivid Silva (BRA)
16 Kanoa Igarashi (JAP) 14.83 x 11.10 Ricardo Christie (NZL)

*Devido a uma lesão no free surf, Leo Fioravanti abriu mão da bateria e Jordy Smith avançou às oitavas.

Oitavas de final masculina

1 Italo Ferreira (BRA) x Michel Bourez (FRA)
2 John John Florence (HAV) x Sebastian Zietz (HAV)
3 Caio Ibelli (BRA) x Kelly Slater (EUA)
4 Jordy Smith (AFR) x Conner Coffin (EUA)
5 Jack Robinson (AUS) x Seth Moniz (HAV)
6 Owen Wright (AUS) x Kolohe Andino (EUA)
7 Julian Wilson (AUS) x Peterson Crisanto (BRA)
8 Ryan Callinan (AUS) x Kanoa Igarashi (JAP)

Baterias pendentes do round 3 feminino

6 Brisa Hennessy (CRI) 12.00 x 3.66 Malia Manuel (HAV)
7 Stephanie Gilmore (AUS) 10.57 x 6.00 Bronte Macaulay (AUS)
8 Lakey Peterson (EUA) 15.17 x 10.13 Nikki Van Dijk (AUS)

Quartas de final feminina

1 Courtney Conlogue (EUA) x Tatiana Weston-Webb (BRA)
2 Caroline Marks (EUA) x Sally Fitzgibbons (AUS)
3 Carissa Moore (HAV) x Brisa Hennessy (CRI)
4 Stephanie Gilmore (AUS) x Lakey Peterson (EUA)