Alejo estreia forte

Alejo Muniz começa com vitória no Hawaiian Pro e tenta fazer mais uma final em Haleiwa para apagar um ano conturbado.

0
Alejo Muniz tem boa estreia na prova válida pelo QS de nível 10.000.

Alejo Muniz teve uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito no QS de Fernando de Noronha, no mês de fevereiro, passou seis meses sem surfar e retornou às competições em setembro. Agora ele busca chegar a mais uma final do Hawaiian Pro pra apagar o ano conturbado. Neste domingo ele estreou bem na prova que é válida pelo QS de nível 10.000 e também pela Tríplice Coroa Havaiana, com direito a uma nota excelente 8.10.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

O brasileiro, que competiu e venceu pelo round 2, está no Havaí com a família e sem pressão por resultado. “Estou feliz que a minha família está aqui. Essa a minha primeira Tríplice Coroa Havaiana que não estou pensando em classificação ou reclassificação e é muito mais fácil com eles aqui comigo”, disse o catarinense.

“No início do ano eu tive uma lesão no joelho e tive que fazer uma cirurgia. Fiquei seis meses pra poder voltar pra água, mas agora estou me sentindo muito forte e minhas pranchas estão incríveis. Eu já estive numa final aqui em Haleiwa (4º lugar em 2012), então é uma onda muito especial pra mim. Estou levando numa boa, sem pensar em pontuação. Foi ruim ter que cair contra o Samuel (Pupo), pois ele está perto de se classificar para o CT. Ele é como parte da minha família. E foi difícil, pois eu não estava conseguindo ouvir a pontuação lá de dentro, então não sabia se estava em segundo ou terceiro, por isso fui em todas as ondas que eu achei que tinha potencial. Estou amarradão de ter passado a bateria e de pontuar para estar nesse evento no ano que vem”, disse Alejo que venceu a disputa e avançou com o havaiano Finn McGill. Os eliminados no duelo foram o australiano Nicholas Squiers e Samuel Pupo, atual número 9 do ranking que não vai trocar pontuação com esse resultado e vai ter que jogar duro no QS 10.000 de Sunset pra garantir a classificação para o CT 2020.

Máquina ligada em Haleiwa para mais um dia de disputas.

Neste terceiro dia de ação no Hawaiian Pro o mar amanheceu ainda com ondas potentes e grandes, porém não tão limpas. Nas séries as direitas tinham mais de 2 metros de altura. Durante a manhã as ondas diminuíram e o vento ganhou muita força, deixando as paredes irregulares e balançando. Neste domingo rolaram 16 baterias, sendo as oito últimas da segunda fase e oito da terceira.

Dez brasileiros competiram e cinco avançaram. Ian Gouveia e Luel Felipe foram outros destaques brasileiros no dia. Ian voltou a aplicar fortes manobras de backside e venceu com as notas 8.33 e 6.50, e Luel também conseguiu driblar as difíceis condições do mar para arrancar 7.93 numa onda da série.

“O mar estava um pouco difícil, mas graças a Deus eu consegui me encontrar. Consegui fazer um 6.00 na primeira onda, pegando um tubinho e dando uma rasgada. Depois fiz outra onda legal, que eu fiz um 6.10, e depois veio a bomba, uma da série que eu consegui fazer uma manobra grande, uma batida no lugar certo que valeu 7.93 pontos. Com essa nota deu pra ficar mais confortável. É muito bom estar aqui o Havaí. O campeonato é muito irado, Haleiwa sempre dá altas ondas e foi show”, disse Luel para o Waves.

Luel Felipe parte pra cima de uma direita da série e arranca 7.93.

Os outros brazucas que avançaram o no dia foram Tomas Hermes e Deivid Silva. As baixas foram Weslley Dantas, Willian Cardoso, Alex Ribeiro e os irmãos Miguel e Samuel Pupo.

Briga por vagas no CT 2020 – O Hawaiian Pro é importantíssimo para os atletas que sonham em fazer parte da elite do surfe no ano que vem. No final da temporada, os dez melhores do QS vão subir para a divisão de elite e cada bateria é importante.

Dos 20 primeiros do ranking, 12 já competiram e oito foram eliminados: o terceiro colocado Alex Ribeiro, o quarto Miguel Pupo, o sétimo Jorgann Couzinet (FRA), o 11º Matt Banting (AUS), o 13º Liam O’Brien (AUS), o 15º Stuart Kennedy (AUS) e o 16º Morgan Cibilic (AUS), além de Samuel (9º).

Matt Bantig é eliminado da competição.

Já o 8º Connor O’Leary (AUS) passou para a quarta fase e pode melhorar a pontuação se ficar no mínimo em terceiro lugar no próximo duelo, o 10º Deivid Silva também passou pela terceira fase e com esse resultado já melhora a pontuação, o 16º avançou para o quarto round mas não alterou nada no ranking, o 18º Jack Freestone está na mesma situação do brasileiro e o 19º Nat Young (EUA) pulou para o round 2. Todos eles precisam passar mais baterias pra melhorarem suas posições na tabela.

Dos 20 melhores, ainda vão competir o líder Jadson André, o vice-líder Yago Dora, o 5º colocado Jake Marshall (EUA), o 6º Frederico Morais (POR), o 12º Barron Mamiya (HAV), o 14º Matthew McGillibray (AFR) e o 20º Jack Robinson (AUS).

Melhores do dia – Jack Freestone e Nat Young fizeram as melhores apresentações do dia. Nat marcou 9.13 e 8.23 e venceu com a média 17.36, e Jack arrancou 9.17 na melhor onda.

Previsão das ondas – De acordo com a previsão oficial do evento, o mar vai perder força nesta segunda-feira, mas as condições vão estar boas e são grandes as chances de o campeonato ter continuidade. Já para terça e quarta são esperadas ondas pequenas e podemos ter dois dias sem confrontos. E na quinta é esperado um novo swell que vai bombar ondas poderosas em Haleiwa.

Próxima chamada – A próxima chamada para o Hawaiian Pro acontece nesta segunda-feira às 14:30h (de Brasília).

Hawaiian Pro

Round 2
Baterias deste domingo

9 Cole Houshmand (EUA) 12.27 x Jacob Willcox (AUS) 11.70 x Timothee Bisso (FRA) 10.30 x Sheldon Simkus (AUS) 9.40
10 Charly Quivront (FRA) 10.83 x Alonso Correa (PER) 10.23 x Makai McNamara (HAV) 9.80 x Stuart Kenndy (AUS) 8.96
11 Mitch Crews (AUS) 13.80 x Matthew McGillivray (AFR) 13.66 x Jordy Maree (AFR) 8.93 x Logan Bediamol (HAV) 6.67
12 Luel Felipe (BRA) 13.93 x Caleb Tancred (AUS) 10.70 x Weslley Dantas (BRA) 9.63 x Vicente Romero (ESP) 9.16
13 Ian Crane (EUA) 13.66 x Eli Hanneman (HAV) 13.00 x Maxime Huscenot (FRA) 12.54 x Jordan Lawler (AUS) 11.10
14 Alejo Muniz (BRA) 14.43 x Finn McGill (HAV) 13.07 x Nicholas Squiers (AUS) 12.74 x Samuel Pupo (BRA) 11.20
15 Nat Young (EUA) 17.36 x Tanner Gudauskas (EUA) 13.97 x Vasco Ribeiro (POR) 12.10 x Joshua Moniz (HAV) 8.50
16 Jack Robinson (AUS) 13.83 x Billy Kemper (HAV) 12.03 x Luke Gordon (EUA) 8.90 x Nomme Mignot (FRA) 8.00

Round 3

1 Ethan Ewing (AUS) 15.60 x Connor O’Leary (AUS) 12.57 x Eithan Osborne (EUA) 11.93 x Seth Moniz (HAV) 9.30
2 Leonardo Fioravanti (ITA) 15.17 x Morgan Cibilic (AUS) 8.40 x Nolan Rapoza (EUA) 7.57 x Willian Cardoso (BRA) 5.03
3 David Van Zyl (AFR) 12.60 x Deivid Silva (BRA) 12.17 x Adin Masencamp (AFR) 11.70 x Soli Bailey (AUS) 5.80
4 Wade Carmichael (AUS) 11.90 x Tomas Hermes (BRA) 11.00 x Jorgann Couzinet (FRA) 9.50 x Matt Banting (AUS) 9.10
5 Adrian Buchan (AUS) 14.07 x Dylan Lighfoot (AFR) 11.54 x Miguel Pupo (BRA) 10.50 x Cooper Chapman (AUS) 10.30
6 Ian Gouveia (BRA) 14.83 x Jack Freestone (AUS) 14.77 x Liam O’Brien (AUS) 13.00 x Alex Ribeiro (BRA) 12.26
7 Beyrick De Vries (AFR) 12.77 x Evan Geiselman (EUA) 11.73 x Joan Duru (FRA) 8.97 x Sebastian Zietz (HAV) 8.20
8 Jordy Smith (AFR) 14.00 x Carlos Munoz (CRC) 12.40 x Kyuss King (AUS) 10.30 x O’Neill Massin (TAH) 3.26

Clique aqui para ver as próximas baterias