Sydney Surf Pro

Três brasileiros nas oitavas

Michael Rodrigues, Alex Ribeiro e Deivid Silva passam mais uma fase no Sydney Surf Pro e garantem vagas no round dos 16 melhores do evento. Ryan Callinan faz as maiores marcas do domingo.

0
Michael Rodrigues faz belas apresentações e garante vaga nas oitavas de final.

Ao contrário do que aconteceu na primeira etapa do Challenger Series 2022, no pico de Snapper Rocks, em Manly Beach o Brasil chegou nas oitavas de final. Sete brasileiros competiram neste domingo (22) no Sydney Surf Pro, e Michael Rodrigues, Alex Ribeiro e Deivid Silva avançaram para o round dos 16 melhores. Ryan Callinan conquistou as maiores pontuações da terceira fase e foi o grande nome do dia na Austrália.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

Michael Rodrigues foi o melhor brasileiro no dia que teve ondas mexidas de meio metro. Ele competiu na segunda bateria da terceira fase masculina e suas primeiras cinco notas foram na casa dos quatro pontos, todas conquistadas com um surfe ágil, de frontside e backside. Os adversários começaram bem e colocaram pressão no brasileiro. O marroquino Ramzi Boukhiam fez dois fortes ataques de frontisde e largou com 7.00 pontos. O havaiano Brodi Sale iniciou com 5.83.

O brasileiro ficou em primeiro até os 13 minutos, quando o havaiano colocou mais 6.17 no somatório. Na sequência Michael e Brodi surfaram novamente. O brazuca fez duas batidas poderosas de backside (8.23) e o havaiano fez três manobras (8.07), também de costas para a onda, numa esquerda.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

A bateria seguiu num ritmo intenso. Brodi ampliou a diferença na liderança com mais 7.23 pontos, mas o brasileiro logo deu o troco com outras duas pancadas de backside. A nota 8.50, a segunda maior do dia, colocou Michael na liderança. Ramzi também surfou e melhorou a média com mais 6.37, porém naquele momento ele já necessitava de 8.13.

Nada mudou nos dez minutos finais e Michael avançou para as oitavas com o segundo maior somatório do dia (16.73). Brodi Sale também passou de fase ao ficar em segundo lugar, e o Ramzi Boukhiam se despediu do Sydney Surf Pro.

Alex Ribeiro decola para as oitavas de final.

Alex Ribeiro participou da quinta disputa e passou metade do tempo com notas fracas, em último lugar. Ele precisava de 6.74 pontos para avançar na competição. O brasileiro então conquistou 6.10 e encostou no peruano Alonso Correa.

O brazuca conseguiu jogar o peruano para a terceira posição com 5.13 pontos e na sequência foi ainda melhor. Alex voou com reverse quando restavam sete minutos para o fim e antou 6.77. Alonso passou a necessitar de 8.00. Ele até diminuiu a diferença, mas não saiu da terceira posição e foi eliminado. O vencedor do duelo foi o havaiano Imaikalani deVault, autor das notas 7.17 e 6.33.

Imaikalani deVault avança junto de Alex Ribeiro.

O outro brasileiro classificado para as oitavas de final é Deivid Silva. Ele participou do sétimo confronto e venceu com uma direita (7.30) e uma esquerda (6.67). O indonésio Ketut Agus estava em último até os 47 segundos finais, quando executou três manobras em sequência de backside numa esquerda. Ele precisava de 6.85 pontos e tirou 7.10. Com a nota ele assumiu a segunda posição e eliminou o francês Thomas Debierre.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Baixas brasileiras – Alejo Muniz foi o primeiro brasileiro eliminado no dia. Ele passou dois terços da bateria de abertura da terceira fase sem encontrar ondas com potencial de notas boas, porém quando restavam nove minutos para o fim ele entrou no jogo. Alejo executou duas rasgadas e uma batida de backside para conquistar 6.73 pontos. A situação ficou melhor, mas ainda não estava fácil, pois o mar estava muito irregular.

No final Alejo chegou perto de garantir a nota que precisava para avançar. Quando faltavam cinco minutos para o término do confronto ele foi em busca dos 5.20 pontos que necessitava. O brazuca deu duas batidas numa onda pequena e recebeu 5.07 dos juízes, o que não alterou o resultado. O australiano Dylan Moffat venceu e Rio Waida avançou para as oitavas em segundo lugar.

Morgan Cibilic na luta para retornar ao CT.

Edgard Groggia caiu na quarta bateria da fase. Seus adversários, o australiano Morgan Cibilic e o norte-americano Jett Schilling conquistaram notas no critério excelente e avançaram.

Morgan, que acaba de ser cortado do CT, anotou 8.50 pontos logo no início. Jett abriu com 6.43, depois conquistou mais 4.83 e aí foi para o excelente. Aos oito minutos, o norte-americano escovou uma esquerda, de frontisde, com muita velocidade e explosão. Foram cinco manobras. Ele abriu com uma rasgada, seguida de outras duas ainda mais fortes, um floater e outra curva invertendo a direção da prancha. A nota foi 8.80.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Restavam ainda 19 minutos e Edgard precisava de 8.47 pontos. Ele havia conquistado 6.77 na melhor atuação, mas nas seis tentativas seguintes o melhor que conseguiu foi 4.23 e acabou eliminado. Morgan venceu e avançou com Jett (2º).

Melhor do dia – Lucas Silveira se despediu do evento na sexta bateria. A disputa estava embolada até perto da metade. Naquele momento o brasileiro era o líder. O australiano Ryan Callinan estava em último. Mas o atleta cortado da elite neste ano pegou uma esquerda, acelerou e voou, jogando a rabeta da prancha bem acima da crista e completou a manobra. A nota 7.03 pontos não tirou o aussie do terceiro lugar, mas o colocou de volta no jogo.

Em seguida o taitiano Mihimana Braye também voou com rotação e assumiu o primeiro lugar com 7.77 pontos. Aos 18 minutos Ryan rasgou e bateu com reverse na junção (6.60) para tirar o segundo lugar do brasileiro. Muito ativo na bateria, o australiano surfou mais duas ondas rapidamente e voou uma vez em cada. A melhor decolagem, com a rabeta bem acima da crista, valeu 9.00, a maior nota do dia. Ele assumiu a liderança e deixou o brasileiro na necessidade de 7.83 pra avançar. Nada mudou dali pro final, e Lucas foi eliminado. Ryan venceu com o maior somatório do dia (16.77).

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

A quarta baixa brasileira no domingo aconteceu no último confronto do Round 3 masculino. Mateus Herdy chegou até os três minutos finais em segundo lugar, mas Jorgann Couzinet conseguiu achar uma esquerda e foi em busca dos 5.37 pontos que necessitava. O francês executou duas batidas, conectou com o inside e fez mais duas manobras. A nota 6.40 colocou Jorgann em segundo lugar.

Mateus passou a necessitar de 6.70 pontos e foi para o tudo ou nada no último minuto. O brasileiro acelerou numa esquerda e voou com rotação. Mateus comemorou, mas a nota 6.33 não alterou o resultado e ele foi eliminado. O vencedor do confronto foi o italiano Leonardo Fioravanti, que decolou duas vezes de backside para conquistar 8.17 e 7.23.

Leonardo Fioravanti usa os aéreos pra vencer.

Feminino – O domingo também teve disputas femininas no Sydney Surf Pro. Foram realizadas as quatro últimas baterias da segunda fase, além das seis primeiras das oitavas de final.

As maiores marcas do dia entre elas foram conquistadas por Alyssa Spencer. A norte-americana competiu duas vezes no dia. Na primeira participação, ela avançou em segundo lugar na sexta disputa do Round 2, atrás da australiana Zahli Kelly. A aussie Ellie Harrison foi eliminada no duelo.

Nas oitavas de final, fase de baterias entre duas surfistas, Alyssa deu show nas esquerdas e venceu com as notas 8.33 e 7.67 pontos. O placar final foi 16.00 a 13.16 de australiana Macy Callaghan.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Próxima chamada – A próxima chamada para o Sydney Surf Pro acontece neste domingo, às 18h16 (de Brasília).

Sydney Surf Pro

Round 3 masculino

1 Dylan Moffat (AUS) 12.43 x Rio Waida (IDN) 11.93 x Alejo Muniz (BRA) 11.80

2 Michael Rodrigues (BRA) 16.73 x Brodi Sale (HAV) 15.30 x Ramzi Boukhiam (MAR) 13.54

3 Jordan Lawler (AUS) 11.87 x Kade Matson (EUA) 10.17 x Maxime Huscenot (FRA) 9.00

4 Morgan Cibilic (AUS) 16.00 x Jett Schilling (EUA) 15.23 x Edgard Groggia (BRA) 11.00

5 Imaikalani deVault (HAV) 13.50 x Alex Ribeiro (BRA) 12.87 x Alonso Correa (PER) 11.24

6 Ryan Callinan (AUS) 16.77 x Mihimana Braye (TAH) 14.60 x Lucas Silveira (BRA) 13.17

7 Deivid Silva (BRA) 13.97 x Ketut Agus (IDN) 12.00 x Thomas Debierre (FRA) 11.74

8 Leonardo Fioravanti (ITA) 15.40 x Jorgann Couzinet (FRA) 12.40 x Mateus Herdy (BRA) 12.03

Oitavas de final

1 Dylan Moffat (AUS) x Brodi Sale (HAV)

2 Michael Rodrigues (BRA) x Rio Waida (IDN)

3 Jordan Lawler (AUS) x Jett Schilling (EUA)

4 Morgan Cibilic (AUS) x Kade Matson (EUA)

5 Imaikalani deVault (HAV) x Mihimana Braye (TAH)

6 Ryan Callinan (AUS) x Alex Ribeiro (BRA)

7 Deivid Silva (BRA) x Jorgann Couzinet (FRA)

8 Leonardo Fioravanti (ITA) x Ketut Agus (IDN)

Round 2 feminino

5 Macy Callaghan (AUS) 14.30 x Nikki Van Dijk (AUS) 14.27 x Holly Williams (AUS) 8.74 x Keely Andrew (AUS) 6.93

6 Zahli Kelly (AUS) 13.87 x Alyssa Spencer (EUA) 11.66 x Ellie Harrison (AUS) 11.10 x Mafalda Lopes (POR) 10.93

7 Caitlin Simmers (EUA) 14.47 x Sara Wakita (JPN) 12.90 x Nadia Erostarbe (ESP) 12.57 x Ariane Ochoa (ESP) 9.54

8 Sophie McCulloch (AUS) 12.33 x Kirra Pinkerton (EUA) 11.73 x Vahine Fierro (FRA) 10.30 x Nyxie Ryan (AUS) 9.96

Oitavas de final

1 Luana Silva (HAV) 12.00 x 7.33 Mahina Maeda (JPN)

2 Keala Tomoda-Bannert (HAV) 14.63 x 13.80 Sawyer Lindblad (EUA) 13.80

3 Sarah Baum (AFR) 13.87 x 12.40 Moana Jones Wong (HAV)

4 Teresa Bonvalot (POR) 12.43 x 10.63 Zoe McDougall (HAV)

5 Alyssa Spencer (EUA) 16.00 x 13.16 Macy Callaghan (AUS)

6 Nikki Van Dijk (AUS) 11.44 x 11.27 Zahli Kelly (AUS)

Próximas baterias

7 Caitlim Simmers (EUA) x Kirra Pinkerton (EUA)

8 Sophie McCulloch (AUS) x Sara Wakita (JPN)