Gold Coast Pro

Jadson e Michael dão show

Oito brasileiros avançam no primeiro dia do Gold Coast Pro. Michael Rodrigues e Jadson André vencem com os dois maiores somatórios e Jordan Lawler faz a maior nota do dia na Austrália.

0
Jadson André vence com o maior somatório do dia.

Começou neste sábado (7) o Challenger Series. A primeira etapa acontece em Snapper Rocks, Austrália. O pico funcionou com altas ondas de cerca de 1 metro, longas e penteadas por um fraco vento terral. Michael Rodrigues, Jadson André e o australiano Jordan Lawler foram os destaques do dia.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

A WSL realizou 18 baterias e 15 brasileiros competiram. Jadson foi um dos oito que avançaram. O atleta, que passou pelo corte da WSL e está garantido tanto para a segunda parte do CT 2022, quanto para a primeira parte do CT 2023, participou da quinta disputa.

O norte-americano Levi Slawson começou a disputa com uma direita muito longa que valeu 7.50 pontos. Jadson também não demorou para iniciar, mas largou com apenas 1.50. O neozelandês Billy Stairmand decolou na sua primeira onda, mas não completou. E Edgard Groggia surfou duas pequenas que não chegaram na casa dos três pontos.

Dia clássico de surfe em Snapper Rocks.

Aos 12 minutos de bateria Jadson usou a prioridade, executou oito manobras entre batidas e rasgadas, e colocou 8.50 no somatório. Cinco minutos depois entrou uma onda e Levi, que tinha a prioridade, deixou ela passar, mas Jadson não. O brasileiro fez menos manobras (7) do que na anterior, porém foi vertical em quase todos os movimentos e conquistou 9.00. Com 17.50 no somatório, que acabou sendo o maior do dia, Jadson só surfou mais uma direita (2.57) e venceu com larga vantagem no placar.

Quem avançou com o brasileiro para a segunda fase foi Billy. O neozelandês melhorou ao longo do duelo, e quando restavam cinco minutos para o fim destruiu uma direita, anotou 8.37 pontos e tomou a segunda posição de Levi. O norte-americano acabou eliminado em terceiro lugar, e Edgard, que não fez boa escolha de ondas, também se despediu da etapa ao ficar na quarta posição.

“É muito bom estar de volta aqui em Snapper Rocks”, diz Jadson André. “Este sempre foi um dos meus lugares favoritos no Tour e a onda é incrível, que eu gosto bastante. Tem muita gente do Brasil que mora na Gold Coast, então sempre sentimos muito apoio da torcida nos eventos aqui. Foi bom pegar algumas ondas boas hoje e poder surfar do jeito que eu queria. A previsão é de que continue assim por alguns dias, então estou animado para a próxima bateria”.

Michael também dá show – O segundo maior somatório do sábado foi 17.47 pontos, de Michael Rodrigues. O brasileiro competiu na 14ª bateria. Ele foi o que mais ondas surfou na disputa. Das nove que pegou, as maiores foram 9.07 e 8.40. Ele ainda descartou 7.60 e 6.17, que já seriam pontuações suficientes para ele avançar na competição, porém em segundo lugar no confronto.

A maior nota Michael saiu aos 18 minutos de bateria. A direita era uma intermediária e foi, razoavelmente, curta para o dia. Porém o brasileiro fez um layback derrapando a rabeta, bateu duas vezes em sequência passando as quilhas por cima da crista, rasgou com força e bateu mais uma vez (9.07). Ele já estava liderança e aumentou ainda mais a diferença para seus adversários. E perto do fim deu o golpe final (8.40), que valeu a vitória e a vaga na segunda fase do Gold Coast Pro com 17.47 pontos, o segundo maior somatório do sábado.

O surfista da Indonésia, Reo Inaba, tomou a segunda posição de Robson Santos perto do fim. O brasileiro foi eliminado ao ficar em terceiro. O norte-americano Jett Schilling (4º) também se despediu da competição.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Mais brasileiros – Os outros seis brasileiros que avançaram foram Samuel Pupo, Mateus Herdy, Marco Fernandez, Willian Cardoso, Thiago Camarão e João Chianca. Quem ficou pelo caminho, além de Edgard e Robson, foram Deivid Silva, Jessé Mendes, Weslley Leite, Ian Gouveia e Peterson Crisanto.

Restam estrear pelo Brasil os surfistas Alex Ribeiro, Eduardo Motta, Alejo Muniz, Lucas Silveira e Matheus Navarro.

Mateus Herdy garante vaga na segunda fase.

Maior nota – Jadson e Michael deram show, com os maiores somatórios, porém o autor da maior nota do dia foi Jordan Lawler. O australiano fez nove manobras, entrando reto em batidas, e rasgando com pressão. A média dos juízes foi 9.43 pontos.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por World Surf League (@wsl)

Cortados do CT – O Gold Coast Pro marca o início da tentativa de retorno à elite para muitos atletas. Oito deles competiram neste sábado. O norte-americano Conner Coffin, o havaiano Imaikalani deVault, os australisnos Owen Wright e Morgan Cibilic, o peruano Lucca Mesinas, além do brasileiro João Chianca se classificaram para a segunda fase. Já Frederico Morais e Deivid Silva caíram ainda na primeira fase da competição.

O australiano Liam O’Brien, que conquistou a vaga na elite, porém se machucou e não participou e nenhum evento, também foi eliminado neste primeiro dia do Gold Coast Pro. Outro que perdeu foi o também aussie, Jack Robinson, campeão do Margaret River Pro.

Owen Wright estreia com vitória no Gold Coast Pro.

Próxima chamada – A próxima chamada para o Gold Coast Pro acontece neste sábado, às 17h45 (de Brasília).

Gold Coast Pro

Round 1 masculino

1 Ian Gentil (HAV) 14.04 x Samuel Pupo (BRA) 12.43 x Crosby Colapinto (EUA) 11.87 x Maikai Burdine (HAV) 9.06

2 Sheldon Simkus (AUS) 12.36 x Vasco Ribeiro (POR) 11.16 x Kalani Ball (AUS) 10.96 x Joel Vaugham (AUS) 10.17

3 Rio Waida (IDN) 15.74 x Mateus Herdy (BRA) 13.00 x Deivid Silva (BRA) 8.27 x Joshua Moniz (HAV) 3.47

4 Conner Coffin (EUA) 12.33 x Marco Fernandez (BRA) 10.67 x Jessé Mendes (BRA) 10.07 x Eli Beukes (AFR) 9.87

5 Jadson André (BRA) 17.50 x Billy Stairmand (NZL) 14.24 x Levi Slawson (EUA) 13.50 x Edgard Grogia (BRA) 9.20

6 Imaikalani deVault (HAV) 16.17 x Chris Zaffis (AUS) 12.23 x Adrian Buchan (AUS) 11.80 x Brodi Sale (HAV) 10.83

7 Timotthe Bisso (FRA) 13.50 x Hiroto Ohhara (JPN) 11.57 x Kei Kobayashi (EUA) 11.46 x Liam O’Brien (AUS) 11.00

8 Connor O’Leary (AUS) 14.17 x Adur Amatriain (ESP) 12.46 x Shane Sykes (AFR) 12.10 x Keanu Kamiyama (JPN) 8.70

9 Owen Wright (AUS) 12.26 x Willian Cardoso (BRA) 12.23 x Taichi Wakita (JPN) 11.73 x Alonso Correa (PER) 9.23

10 Morgan Cibilic (AUS) 14.60 x Dylan Moffat (AUS) 13.83 x Evan Geiselman (EUA) 12.13 x Mikey McDonagh (AUS) 10.54

11 Jordan Lawler (AUS) 16.26 x Maxime Huscenot (FRA) 15.07 x Justin Becret (FRA) 14.50 x Kainehe Hunt (HAV) 12.93

12 Alister Reginato (AUS) 13.73 x Te Kehukehu Butler (NZL) 12.70 x Cole Houshmand (EUA) 12.57 x Jack Robinson (AUS) 10.83

13 Callum Robson (AUS) 15.50 x Oscar Berry (AUS) 14.33 x Wesley Leite (BRA) 11.80 x Max Elkington (AFR) 10.67

14 Michael Rodrigues (BRA) 17.47 x Reo Inaba (JPN) 14.40 x Robson Santos (BRA) 13.40 x Jett Schilling (EUA) 11.54

15 Kyuss King (AUS) 14.73 x Thiago Camarão (BRA) 14.06 x Kade Matson (EUA) 12.10 x Frederico Morais (POR) 11.47

16 Ramzi Boukiam (MAR) 14.96 x Lucca Mesinas (PER) 14.93 x Matt Banting (AUS) 13..64 x Koa Smith (HAV) 11..67

17 Jackson Baker (AUS) 14.66 x Nolan Rapoza (EUA) 13.63 x Jacob Willcox (AUS) 13.36 x Ian Gouveia (BRA) 10.00

18 João Chianca (BRA) 14.90 x Alan Cleland (MEX) 14.43 x Peterson Crisanto (BRA) 11.40 x Gatien Delahaye (FRA) 10.07

Próximas baterias

19 Ryan Callinan (BRA) x Alex Ribeiro (BRA) Santiago Muniz (ARG) x Julian Wilson (AUS)

20 Matthew McGillivray (AFR) x Eduardo Motta (BRA) x Joshue Faulkner (AFR) x Mihimana Braye (TAI)

21 Ezekiel Lau (HAV) x Eli Hanneman (HAV) x Gaspard Larsonneur (FRA) x Alejo Muniz (BRA)

22 Leonardo Fioravanti (ITA) x Slade Prestwich (AFR) x Tristan Guilbaud (FRA) x Lucas Silveira (BRA)

23 Michael Dunphy (EUA) x Adin Masencamp (AFR) x Cam Richards (EUA) x Matheus Navarro (BRA)

24 Kelly Slater (EUA) x Ketut Agus (IDN) x Jorgann Couzinet (FRA) x Stuart Kennedy (AUS)