Rip Curl Rottnest Search

Medina decola em Strickland

Gabriel Medina dribla as difíceis condições e faz excelente estreia no Rip Curl Rottnest Search.

0
Gabriel Medina voa para a terceira fase.

Gabriel Medina começou muito bem no Rip Curl Rottnest Search. Com uma nota excelente (9.33) e o maior somatório do dia (17.00), o líder do ranking não tomou conhecimento dos adversários e avançou para o round 3 nas ondas de 1 metro em média no pico de Strickland Bay, no Oeste da Austrália. O brasileiro foi tão bem que venceria essa e outras seis baterias da primeira fase masculina mesmo se somasse apenas as suas terceira e quarta ondas (6.83 e 6.00), que foram descartadas.

Clique aqui para ver o vídeo

Clique aqui para ver as fotos

O bicampeão mundial entrou na água na sexta bateria do evento, logo após Adriano de Souza vencer e avançar com Italo Ferreira (2º) mesmo surfando apenas uma onda (6.50). O australiano Taj Burrow participou desse duelo e só surfou uma onda, já no final, conseguindo 0.70.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Waves (@waves.com.br)

Como as séries demoravam muito para entrar, Medina optou por surfar várias ondas, e foi nas esquerdas do reef break que ele se deu bem. O brasileiro começou a se soltar com um alley-oop, depois escovou uma onda com boas curvas e nos segundos finais, quando já tinha a vitória assegurada e quando Jack já estava saindo da água muito irritado com sua má atuação, Medina executou outro alley-oop, seguido de um aéreo reverse e de uma batida. A bela performance valeu 9.33 pontos e o maior somatório do dia, 17.00 pontos.

“Eu adoro fazer essa sequência de dois aéreos numa mesma onda”, disse Medina. “Eu vi que a bateria anterior (do Italo Ferreira e Adriano de Souza) foi bem fraca de ondas, mas tinha certeza de que ia entrar umas boas na minha, então estou feliz por ter vindo algumas no final. Está bem difícil, mas eu treino bastante para ficar preparado para qualquer coisa, onda boa ou onda ruim. Eu tento ficar bem ativo no mar, pegando várias ondas e estou feliz por conhecer esse lugar. Espero passar mais baterias aqui”.

Medina executa alley-oop na estreia vitoriosa no Rip Curl Rottnest Search.

Tubo quase 10 – A nota do brasileiro só não bateu os 9.63 do francês Michel Bourez, que surfou um longo tubo de backside numa esquerda e ainda deu uma batida. Isso aconteceu no 11º confronto, que contou ainda com o ataque feroz de frontside de Yago Dora, que venceu o duelo com as notas 8.23 e 7.93. Pior para Caio Ibelli que ficou em terceiro e foi para a repescagem.

“Estava bem lento de manhã e demos sorte em ter essas condições na bateria. É sempre um choque quando um oponente começa com uma nota quase 10. O Michel (Bourez) achou um tubo incrível e foi uma onda que não tinha hoje, mas ele achou. Depois disso pensei, tudo bem, o segundo lugar também avança e só tentei mostrar meu surfe”, contou Yago Dora. “Aí fui melhorando minhas notas e ficando mais confiante após cada onda. Fazia tempo que eu não surfava ondas boas, limpas, numa bateria e talvez tenha ficado muito empolgado nas primeiras. Mas, depois fiquei mais calmo e surfei do jeito que eu gosto”.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Waves (@waves.com.br)

Mais vitórias brasileiras – Outros brazucas que venceram no dia foram Filipe Toledo, Alex Ribeiro, Miguel Pupo e Deivid Silva. Filipe participou da terceira disputa e venceu dois aussies com um surfe forte de backside que rendeu duas notas na casa dos seis pontos (6.60 e 6.00). Ethan Ewing ficou em segundo e o convidado para a etapa, Liam O’Brien, em terceiro.

“Gastei muita energia semana passada em Margaret River, minha imunidade ficou bem baixa e estava gripado nos dois primeiros dias aqui, então hoje (domingo) foi meu primeiro dia de verdade surfando aqui em Rottnest”, contou Filipe Toledo. “Foi um pouco complicado acertar as pranchas, mas temos que manter o ritmo de competição e aproveitar o bom momento. É isso que eu quero fazer, usar a energia da vitória neste evento. Eu fiquei bem relaxado, procurei me divertir e estou feliz por ter vencido minha primeira bateria”.

Filipe Toledo também vence na estreia.

Alex também atacou as esquerdas e foi melhorando a performance com o passar dos minutos, sempre trocando de notas até vencer com 6.90 e 6.67. Peterson Crisanto começou bem, mas, ao contrário de seu conterrâneo, caiu de produção ao longo da bateria e ficou em terceiro, atrás do norte-americano Conner Coffin, autor da maior nota do confronto (7.33).

Alex Ribeiro rasga forte no caminho da vitória na primeira fase.

Bateria mais disputada – Miguel Pupo teve que suar para vencer a décima disputa. O francês Jeremy Flores começou forte, com 7.50, e o havaiano Seth Moniz também acelerou com 7.73. Porém o brasileiro deu um gás, aplicou fortes manobras de frontside, anotou 7.77 e muito próximo do fim virou pra cima de Seth com 5.93.

A última vitória do Brasil no dia foi com Deivid Silva na disputa que fechou a primeira fase masculina. Logo no início o atleta remou forte para uma onda, porém encontrou com o australiano Morgan Cibilic no caminho, que acabou atrapalhando o brasileiro e que foi penalizado com uma interferência. Com isso o aussie passou a contar com apenas metade de sua melhor onda.

Deivid Silva no ataque em Strickland Bay.

Morgan passou a esperar mais pelas ondas e acabou ficando em último, enquanto o brazuca fez boas curvas de frontside e venceu com as notas 7.00 e 5.50. O também australiano Julian Wilson avançou em segundo lugar.

Jadson André fica em terceiro e cai para a repescagem.

Jadson também na repescagem – Ao todo oito brasileiros pularam da primeira para a terceira fase, e três vão para a repescagem. Além de Peterson e Caio, Jadson André também vai ter que lutar para não ficar nas últimas posições do Rip Curl Rottnest Search.

A nona disputa teve nove ondas surfadas em trinta minutos. O português Frederico Morais pegou três e venceu com 6.83 e 5.00, e o italiano Leonardo Fioravanti surfou duas (6.17 e 5.10) e passou com a segunda posição. Jadson teve dificuldade em encontrar ondas com potencial e das quatro que pegou, apenas uma foi acima de um ponto (4.33).

Próxima chamada – A próxima chamada para o Rip Curl Rottnest Search acontece neste domingo (16), às 20h (de Brasília). De acordo com a previsão das ondas, o vento terral vai seguir soprando, mas as ondas vão perder um pouco de tamanho.

Acompanhe a competição ao vivo aqui no Waves.

Rip Curl Rottnest Search 2021

Primeira fase

1 Mikey Wright (AUS) 10.97, Owen Wright (AUS) 10.00, Griffin Colapinto (EUA) 5.60
2 Kanoa Igarashi (JAP) 12.77, Jack Robinson (AUS) 11.20, Jacob Wilcox (AUS) 10.76
3 Jordy Smith (AFR) 13.93, Wade Carmichael (AUS) 9.40, Stuart Kennedy (AUS) 8.13
4 Filipe Toledo (BRA) 12.60, Ethan Ewing (AUS) 6.70, Liam O´Brien (AUS) 5.30
Adriano de Souza (BRA) 6.50, Italo Ferreira (BRA) 5.83, Taj Burrow (AUS) 0.70
6 Gabriel Medina (BRA) 17.00, Kael Walsh (AUS) 9.00, Jack Freestone (AUS) 5.96
7 Ryan Callinan (AUS) 15.20, Connor O´Leary (AUS) 15.03, Matthew McGillivray (AFR) 10.94
8 Alex Ribeiro (BRA) 13.57, Conner Coffin (EUA) 13.43, Peterson Crisanto (BRA) 11.50
9 Frederico Morais (POR) 11.83, Leonardo Fioravanti (ITA) 11.27, Jadson André (BRA) 5.03
10 Miguel Pupo (BRA) 13.70, Seth Moniz (HAV) 13.66, Jeremy Flores (FRA) 12.53
11 Yago Dora (BRA) 16.16, Michel Bourez (FRA) 15.76, Caio Ibelli (BRA) 11.57
12 Deivid Silva (BRA) 12.50,Julian Wilson (AUS) 11.20, Morgan Cibilic (AUS) 6.06

Segunda fase masculina

1 Griffin Colapinto (EUA), Jack Freestone (AUS) e Taj Burrow (AUS)
2 Jeremy Flores (FRA), Matthew McGillivray (AFR) e Liam O´Brien (AUS)
3 Caio Ibelli (BRA), Peterson Crisanto (BRA) e Stuart Kennedy (AUS)
4 Morgan Cibilic (AUS), Jadson André (BRA) e Jacob Willcox (AUS)

Feminino

1 Stephanie Gilmore (AUS), Bronte Macaulay (AUS) e Macy Callaghan (AUS)
2 Tatiana Weston-Webb (BRA), Keely Andrew (AUS) e Amuro Tsuzuki (JAP)
3 Carissa Moore (HAV), Malia Manuel (HAV) e Mia McCarthy (AUS)
4 Caroline Marks (EUA), Courtney Conlogue (EUA) e Brisa Hennessy (COS)
5 Sally Fitzgibbons (AUS), Isabella Nichols (AUS) e Sage Erickson (EUA)
6 Tyler Wright (AUS), Johanne Defay e Nikki Van Dijk (AUS)

Segunda fase feminina

1 Tatiana Weston-Webb (BRA), Nikki Van Dijk (AUS) e Mia McCarthy (AUS)
2 Isabella Nichols (AUS), Bronte Macaulay (AUS) e Brisa Hennessy (COS)

Ranking do CT 2021 depois de quatro etapas

1 Gabriel Medina (BRA) – 28.920 pontos
2 Italo Ferreira (BRA) – 24.150
3 Filipe Toledo (BRA) – 20.735
4 John John Florence (EUA) – 19.395
5 Jordy Smith (AFR) – 19.185
6 Griffin Colapinto (EUA) – 16.820
7 Kanoa Igarashi (JPN) – 16.130
8 Ryan Callinan (AUS) – 14.140
8 Conner Coffin (EUA) – 14.140
10 Frederico Morais (PRT) – 14.055
12 Caio Ibelli (BRA) – 11.290 pontos
13 Yago Dora (BRA) – 10.725
15 Jadson André (BRA) – 10.225
17 Peterson Crisanto (BRA) – 9.300
20 Deivid Silva (BRA) – 8.735
23 Adriano de Souza (BRA) – 7.670
25 Miguel Pupo (BRA) – 7.310
31 Alex Ribeiro (BRA) – 4.255

Feminino

1 Carissa Moore (EUA) – 29.970 pontos
2 Tatiana Weston-Webb (BRA) – 26.495
3 Stephanie Gilmore (AUS) – 22.035
4 Caroline Marks (EUA) – 21.305
5 Tyler Wright (AUS) – 19.965
6 Sally Fitzgibbons (AUS) – 18.185
7 Johanne Defay (FRA) – 16.845
8 Isabella Nichols (AUS) – 16.200
9 Courtney Conlogue (EUA) – 14.485
9 Bronte Macaulay (AUS) – 14.485
9 Keely Andrew (AUS) – 14.485