Newcastle Cup

Italo no topo

Italo Ferreira vence Newcastle Cup em final contra Gabriel Medina e assume liderança do ranking.

0
Italo Ferreira emocionado após a vitória na Newcastle Cup.

O atual campeão mundial pegou a lycra amarela de líder do ranking novamente. Após ficar em terceiro na primeira etapa do Tour 2021, no Havaí, Italo foi com tudo para a Austrália e logo na segunda etapa da temporada retomou o posto de número um do circuito da elite do esporte. Neste sábado (10) o potiguar venceu três brasileiros e faturou a Newcastle Cup.

Clique aqui para ver o vídeo

Clique aqui para ver as fotos

Italo conquistou três notas excelentes nas finais, uma em cada bateria. Ele superou Deivid Silva nas quartas, Filipe Toledo na semi e Gabriel Medina na finalíssima. Com a vitória ele colocou mais 10.000 pontos no ranking e agora tem 16.085. Em segundo lugar aparece Gabriel Medina, com dois vices na temporada. Em terceiro o ex-líder John John Florence.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Waves (@waves.com.br)

“Nossa, que evento! Foi incrível competir contra tantas pessoas talentosas, que sempre me dão mais incentivo, então só quero agradecer a todos e, especialmente, à minha família e amigos”, disse Italo Ferreira, que comentou sobre os confrontos com Medina e em voltar ao topo do ranking. “Cara, ele é uma máquina (risos). Ele me faz ser cada vez melhor. Temos mais três eventos aqui na Austrália, então vai ser uma batalha boa. E sim, eu gosto de amarelo (da lycra do líder), mas não sei se faz muita diferença no momento”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Waves (@waves.com.br)

Final – A final começou em boas condições para o surfe em Merewether Beach, com direitas e esquerdas lisas de 1,5 metro em média, rolando desde o outside, com muitas delas conectando e dando boas oportunidades também no inside.

A bateria começou acelerada, com muita ação e com Italo fazendo a primeira nota (6.33) interessante aos seis minutos, com manobras no outside e uma batida no inside. Porém, dois minutos depois, Gabriel Medina deu três batidas em sequência, a segunda muito forte, jogando a rabeta por cima da onda, e ainda deu outra perto da beira. A performance valeu 8.60 pontos.

A ação quase não parava e Italo deu o troco (7.17), com manobras de borda e um aéreo reverse perto da areia. Medina surfou na sequência (4.67) e Italo também (5.33), mas foi aos 15 minutos de bateria que o potiguar se distanciou com um aéreo full rotation de backside (7.77).

Gabriel Medina bota pressão na manobra em busca dos pontos necessários para vencer.

A partir daí o mar foi ficando cada vez mais devagar, com as séries demorando a entrar e com as ondas enchendo com mais frequência, e então começou a rolar marcação no pico. Medina tentava os 6.34 que precisava pra tomar o primeiro lugar, mas errava os voos, e Italo também cometia algumas falhas. Daí até o final não houve mais troca de notas e o potiguar ficou com o caneco de campeão da Newcastle Cup.

“É uma sensação incrível, porque na real é a minha terceira final seguida, então só em estar neste ritmo já é bom demais. Ainda mais com essa turma aqui, especialmente o Italo que está surfando muito”, elogiou Gabriel Medina. “Está sendo bem divertido encontrar com ele em finais em quase todo evento (risos). Eu me diverti muito aqui em Newcastle e estou feliz com a segunda colocação. Esse lugar é incrível, foi minha primeira vez aqui e adorei, então muito obrigado a todos por nos receber tão bem”.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Waves (@waves.com.br)

Caminho até a final – Italo foi um dos melhores surfistas da etapa durante todo o evento, voando muito e com alto índice de acerto, manobrando bem de borda também e não sentido pressão quando ficava atrás no placar.

Italo Ferreira vai pra galera.

Isso aconteceu neste sábado, nas quartas de finais, quando ele encarou Deivid Silva. Ao contrário da final, que teve marcação cerrada em alguns momentos, nesse duelo cada um escolheu um pico e ninguém incomodou ninguém. Essa tática estava dando certo para Deivid, que assumiu a liderança com boas e fortes manobras numa direita que valeram 7.17, e que deixaram Italo precisando de 8.23.

O potiguar tentava encontrar rampas para os voos nas esquerdas, mas não conseguia e o tempo ia passando. Porém, quando restavam seis minutos para o fim, ele encontrou o que procurava e executou um aéreo de rotação completa. A nota 8.50 o colocou em primeiro, Deivid não conseguiu a virada e foi eliminado, terminando a prova em quinto lugar.

Italo Ferreira voa para a liderança do ranking.

Semi brazuca – Italo encontrou na semifinal outro brasileiro, Filipe Toledo, que passou por Conner Coffin com direito a tensão nos instantes finais da bateria. Filipinho vinha apresentando um bom surfe de borda, mas quase no término fez o uso da prioridade, porém deu tempo de o norte-americano surfar também. A nota de Conner daria a vitória pra ele, porém o brasileiro também somou um novo score e avançou.

Filipe começou melhor na semi, mas, após cinco tentativas sem grande sucesso, Italo manobrou do outisde ao inside de Merewether Beach e colocou 7.60 no somatório. Pouco depois executou um aéreo reverse numa esquerda (5.60) e assumiu a primeira posição.

Porém o potiguar queria mais, e, quando restavam oito minutos para o fim, voou e sem usar as mãos completou um full rotation de backside. A nota 8.50 deixou Filipe na necessidade de 9.60 pra virar o resultado, mas o paulista não conseguiu nem trocar as notas que tinha até aquele momento. Filipe se despediu da prova com a terceira posição.

Filipe Toledo termina na terceira posição.

Medina versus Adriano – Quando Italo chegou na final, Gabriel Medina já estava lá, esperando por ele. Pra chegar na bateria mais importante da Newcastle Cup, primeiro o bicampeão mundial teve que superar Adriano de Souza nas quartas.

Mineirinho começou melhor com quatro manobras (5.67), mas Medina, após uma vaca, fez movimentos mais contundentes e anotou 6.27 pontos. Sem a prioridade, Medina ficou mais ativo e aos 11 minutos executou uma rasgada, seguida de duas batidas e colocou mais 4.00 no somatório.

O campeão mundial de 2015 chegou perto da virada quando restavam sete minutos para o fim, quando Medina, que tinha a prioridade, deixou ele surfar e anotar 4.40 quando precisava de 4.61. Daí até o final Adriano não achou mais direitas com potencial e se despediu do evento com a quinta posição.

Adriano de Souza manobra e quase vira pra cima de Gabriel Medina.

Medina despacha novato – A primeira semi da Newcastle Cup teve Medina contra o novato na elite, local do pico da prova e uma das sensações do evento, Morgan Cibilic. O aussie tentou dar as cartas com o surfe de borda que o levou até a fase, porém o brasileiro tem muitas cartas pra jogar, e usou uma delas com maestria.

O brasileiro achou uma esquerda no meio de muitas direitas que rolavam no momento, acelerou e voou alto, rodando e por um longo percurso. A apresentação valeu 9.70 e o primeiro lugar na bateria, de onde não saiu mais. Morgan até pegou um tubo e diminuiu a distância para o brazuca, porém foi eliminado precisando de 8.71 pontos.

“Aquela onda foi incrível. Armou a maior rampa e não tive dúvidas, me joguei mesmo”, contou Gabriel Medina. “Eu estava confiante e minha prancha é muito boa, então senti que era o momento certo. O Morgan (Cibilic) estava surfando muito bem no evento todo, então eu tinha mesmo que arriscar. Mas, o que eu gostei mais foi o claim de basquete que fiz depois de completar o aéreo (risos). Acertei de três (risos)”.

Morgan Cibilic para na semifinal.

Próxima etapa – Agora as atenções se voltam para Narrabeen, que também fica em New South Wales, Austrália. É lá que acontece a terceira etapa do Tour 2021 e a primeira chamada já acontece na quinta-feira (15), às 17h (de Brasília).

Assista ao Narrabeen Classic ao vivo aqui no Waves.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Waves (@waves.com.br)

Newcastle Cup 2021

Final masculina

Campeão Italo Ferreira (BRA) 14.94
Vice-campeão Gabriel Medina (BRA) 13.27

Semifinais

Gabriel Medina (BRA) 15.77 x 14.07 Morgan Cibilic (AUS)
Italo Ferreira (BRA) 16.10 x 11.57 Filipe Toledo (BRA)

Quartas de finais masculinas

Gabriel Medina (BRA) 10.27 x 10.07 Adriano de Souza (BRA)
2 Morgan Cibilic (AUS) 10.37 x 10.37  Ryan Callinan (AUS)
Italo Ferreira (BRA) 12.67 x 12.40 Deivid Silva (BRA)
Filipe Toledo (BRA) 13.83 x 13.04 Conner Coffin (EUA)

View this post on Instagram

A post shared by Waves (@waves.com.br)

Top-10 após 2ª etapa de 2021

1.o- Italo Ferreira (BRA) – 16.085 pontos
2.o- Gabriel Medina (BRA) – 15.600
3.o- John John Florence (HAV) – 11.330
4.o- Jordy Smith (AFR) – 8.065
4.o- Kanoa Igarashi (JPN) – 8.065
4.o- Ryan Callinan (AUS) – 8.065
7.o- Filipe Toledo (BRA) – 7.415
7.o- Morgan Cibilic (AUS) – 7.415
9.o- Kelly Slater (EUA) – 6.350
10.o- Jeremy Flores (FRA) – 6.075
10.o- Deivid Silva (BRA) – 6.075
10.o- Leonardo Fioravanti (ITA) – 6.075

Outros brasileiros

13.o- Adriano de Souza (BRA) – 5.010
15.o- Caio Ibelli (BRA) – 4.650
15.o- Peterson Crisanto (BRA) – 4.650
15.o- Yago Dora (BRA) – 4.650
15.o- Miguel Pupo (BRA) – 4.650
25.o- Jadson André (BRA) – 3.585
32.o- Alex Ribeiro (BRA) – 1.595

Final feminina

Campeã Carissa Moore (HAV) 15.73
Vice-campeã Isabella Nichols (AUS) 8.34

Semifinais

1 Isabella Nichols (AUS) 13.20 x 12.13 Keely Andrew (AUS)
2 Carissa Moore (HAV) 17.74 x 10.17 Caroline Marks (EUA)

Top-10 após a segunda etapa

1.a- Carissa Moore (HAV) – 17.800 pontos
2.a- Tyler Wright (AUS) – 12.610
3.a: Isabella Nichols (AUS) – 10.410
4.a- Stephanie Gilmore (AUS) – 9.490
5.a- Caroline Marks (EUA) – 8.695
5.a- Sally Fitzgibbons (AUS) – 8.695
5.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) – 8.695
8.a- Lakey Peterson (EUA) – 7.355
8.a- Courtney Conlogue (EUA) – 7.355
8.a- Johanne Defay (FRA) – 7.355