Narrabeen Classic

Italo é o melhor brazuca no dia

Italo Ferreira passa fácil por Mick Fanning, com direito ao maior somatório de um brasileiro no dia. Brasil já tem cinco surfistas nas oitavas de final.

0
Italo Ferreira vence mais uma no Narrabeen Classic.

O cara está demais. Italo Ferreira voltou a ser o melhor brasileiro no Narrabeen Classic e avançou para as oitavas de final. Neste domingo (18) foram realizadas todas as baterias das repescagens masculinas e femininas, além de 12 disputas do terceiro round dos homens, em direitas e esquerdas australianas com 1 metro em média. Nesse palco, o líder do ranking passou fácil pelo tricampeão mundial Mick Fanning e avançou. No total o Brasil já tem cinco integrantes na fase dos 16 melhores do evento.

Clique aqui para ver o vídeo

Clique aqui para ver as fotos

A bateria entre Italo e Mick foi a nona do round 3. O brasileiro usou a mesma fórmula nas duas apresentações que valeram notas iguais (6.50): acelerar na esquerda e voar com reverse. O australiano, que já se aposentou e que entrou como convidado no Narrabeen Classic, até soltou boas manobras de borda de backside, mas ficou longe de incomodar o brazuca que venceu por 13.00 a 9.33 pontos.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Waves (@waves.com.br)

“Essa foi uma bateria especial com o Mick (Fanning)”, disse Italo. “Eu sempre soube que seria um grande desafio surfar contra ele, então estou muito feliz por pegar duas boas ondas no início da disputa. Eu tento não pensar sobre contra quem estou surfando, apenas vou, faço meu trabalho, pego as minhas ondas. Estou me sentindo super confiante agora, então eu só quero seguir e seguir com meu jogo”.

Mick terminou o evento na 17ª posição e Italo agora encara o norte-amrericano Conner Coffin nas oitavas, que neste domingo virou nos segundos finais pra cima do australiano Wade Carmichael, também pela terceira fase.

Mick Fanning termina a prova na 17ª posição.

Medina rasga, voa e se classifica – Gabriel Medina também passou pelo round 3 da terceira etapa do tour 2021 da elite. O atual vice líder do circuito mundial encarou o australiano convidado para a etapa, Dylan Moffat, e venceu com boas manobras de borda e aéreos nas esquerdas.

Dylan chegou na fase após passar pela repescagem num duelo de aéreos que teve como vencedor o também aussie Jack Freestone, e que teve como eliminado o italiano Leonardo Fioravanti. Nessa bateria, Dylan executou um aéreo de rotação completa de backside e arrancou 7.33 pontos.

Contra Medina o aussie também partiu para as decolagens, mas não foi feliz. O brasileiro também errou uma muito alta, mas depois controlou as ações e, na liderança, foi trocando notas até o final da disputa e venceu pelo placar de 11.17 a 8.57 pontos.

“Estou me sentindo bem e feliz por termos boas ondas hoje”, disse Medina. “Foi uma bateria um pouco lenta para mim, o que foi uma pena, pois gostaria que houvesse mais oportunidades, mas uma vitória é uma vitória e isso é o que mais importa. Eu nunca tinha ouvido falar do Dylan (Moffat) antes dessa bateria e depois quando o vi, percebi que ele é um grande surfista e provavelmente estará conosco no CT um dia. Eu disse isso a ele. Estou feliz com meu desempenho porque tive poucas oportunidades, mas quando elas vieram eu consegui aproveitá-las”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Waves (@waves.com.br)

Caio de virada – Medina agora tem pela frente Caio Ibelli, com quem teve disputas quentes nos últimos anos. Caio venceu duas baterias neste domingo, passando pela repescagem e pelo terceiro round com estratégias diferentes. Na repescagem o brasileiro demorou a surfar, mas abriu bem, com 6.00 pontos, e assumiu a liderança com 3.97 quando restavam 12 minutos para o fim.

O sul-africano Matthew McGillivray começou de forma razoável, mas esperou por uma onda que não apareceu, só pegou mais uma até o fim e foi eliminado. O outro adversário, o australiano Mikey Wright, tentou tomar a liderança do brasileiro nos minutos finais, mas tirou 5.17 quando precisava de 5.21 pontos e terminou em segundo.

Na terceira fase Caio optou por ficar ativo desde o início, mas foi só no final que garantiu a vitória. A disputa ficou parelha contra Seth Moniz, e o brasileiro liderou até os cinco minutos finais, quando o havaiano, que precisava de 3.74, usou a prioridade e arrancou 5.83.

Caio passou a necessitar de 5.01 para avançar, e quando restava um minuto deu duas manobras fortes e limpas para conquistar 6.57 dos juízes. Mas a bateria ainda não tinha terminado e o havaiano ainda pegou uma onda, nos últimos instantes, e foi em busca dos 5.35 que precisava, mas nenhum dos cinco juízes deu a virada. Vitória do brasileiro por 11.17 a 9.60 pontos.

Caio Ibelli vibra com onda da virada.

Filipe ligado – O round 3 do Narrabeen Classic começou com vitória brasileira. Numa bateria de mar fraco e poucas ondas, Filipe Toledo foi ativo e soube construir o placar em cima do australiano Mikey Wright, que só surfou uma onda nos 30 minutos de disputa.

Filipe soltou as manobras de backside com muita agilidade e arrancou as notas 5.83 e 3.80 para vencer pelo placar de 9.63 a 4.33.

O próximo adversário do brasileiro será o português Frederico Morais, que surfou bem e eliminou o francês Michel Bourez no segundo confronto da fase.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Waves (@waves.com.br)

Jadson vence recordista da etapa – Outro brasileiro que já está nas oitavas é Jadson André. Ele encarou Jack Freestone, australiano que venceu uma batalha de aéreos na repescagem e que passou a ser o recordista do Narrabeen Classic.

Todos os três surfistas da segunda bateria da repescagem acertaram bons voos, mas o melhor foi de Jack, aussie que arrancou a maior nota da prova masculina até o momento (8.17) com um full rotation de backside.

Jack Freestone acerta aéreo bizarro e passa pela repescagem.

A bateria entre Jadson e Jack foi uma das muitas parelhas que rolaram neste domingo, porém o brasileiro começou melhor e também trocou nota perto do fim. Jadson atacou uma esquerda da série com uma forte batida, seguida de uma rasgada alongada e de mais duas pancadas. Os 6.33 deram uma certa tranquilidade para o brazuca trabalhar.

Jack deu um gás pra reverter o resultado, fez um ataque vertical de backside numa esquerda e perto do fim acelerou, mas precisava de quase sete pontos e arrancou 5.40 dos juízes. Pouco tempo antes, Jadson tinha voado bonito, jogando a rabeta lá no alto e mostrando todo o fundo da prancha para o público que lotava as areias da praia de Narrabeen (5.33).

O adversário de Jadson nas oitavas é Ethan Ewing, que venceu o duelo australiano contra Owen Wright com direito ao maior somatório do dia entre os homens (13.10).

Jadson André está nas oitavas de final.

Ainda competirão – Adriano de Souza, Yago Dora, Peterson Crisanto e Alex Ribeiro ainda irão competir pelo terceiro round. Dos quatro, Alex foi o único que foi pra água neste domingo.

Ele soube escolher as ondas certas e aproveitou as melhores oportunidades que teve para passar pela repescagem. O brasileiro fez duas notas 5.33, a primeira com manobras boas, alongadas e com junção, e a segunda com um aéreo reverse. O norte-americano Conner Coffin também encaixou algumas boas curvas e passou em segundo, à frente do aussie Adrian Buchan, que não entrou em sintonia com o mar e foi eliminado.

Alex Ribeiro passa pela repescagem e espera a hora de competir pela terceira fase.

Baixas brasileiras – As eliminações brasileiras no dia ficara  com Miguel Pupo e Deivid Silva. O primeiro encarou John John Florence e perdeu por 11.10 a 9.56 pontos.

Os dois começaram com notas fracas, mas o havaiano encaixou boas curvas e manobras em duas direitas seguidas (5.60 e 5.50) e abriu na frente. Miguel ainda surfou uma esquerda em altíssima velocidade e soltou algumas manobras, mas precisava de 5.87 e tirou 4.33. No final ainda deu um drible no John John, saiu da marcação, porém não veio onda e ele se despediu do Narrabeen Classic com a 17ª posição.

“Passar pela terceira fase é definitivamente uma vantagem e acalma os nervos, com certeza”, disse John John. “Em Newcastle senti que minhas pranchas estavam boas e meu surfe também estava bom, mas minha escolha de ondas não foi a melhor, então foquei nisso aqui e parece que comecei a melhorar nessa bateria.”

Deivid fechou o dia de disputas. O duelo de número 12 da terceira fase foi decidido nos detalhes. Das quatro notas dos somatórios, o japonês Kanoa Igarashi fez a maior e o brasileiro a segunda e a terceiras melhores, porém não deu para Deivid, que apesar das boas curvas nas esquerdas caiu pelo placar apertado de 11.46 a 11.20.

Deivid Silva ataca a esquerda, mas perde bateria para Kanoa Igarashi.

Próxima chamada – A próxima chamada para o Narrabeen Classic acontece neste domingo (18) brasileiro, às 17h30 (de Brasília).

Assista às disputas ao vivo aqui no Waves.

De acordo com a previsão oficial da prova o mar deve seguir com ondas, porém menores e mais inconsistentes.

Narrabeen Classic 2021

Repescagem Masculina

1 Jeremy Flores (FRA) 10.84, Mick Fanning (AUS) 10.27, Connor O’Leary (AUS) 4.60
2 Jack Freestone (AUS) 12.24, Dynal Moffat (AUS) 11.90, Leonardo Fioravanti (ITA) 9.57
3 Caio Ibelli (BRA) 9.97, Mikey Wright (AUS) 9.94, Matthew McGillivray (AFR) 7.70
4 Alex Ribeiro (BRA) 10.66, Conner Coffin (EUA) 8.60, Adrian Buchan (AUS) 5.20

Round 3 Masculino

1 Filipe Toledo (BRA) 9.63 x 4.33 Mikey Wright (AUS)
2 Frederico Morais (POR) 9.83 x 6.94 Michel Bourez (FRA)
3 Ethan Ewing (AUS) 13.10 x 11.83 Owen Wright (AUS)
4 Jadson André (BRA) 11.66 x 10.07 Jack Freestone (AUS)
5 Gabriel Medina (BRA) 11.17 x 8.57 Dylan Moffat (AUS)
6 Caio Ibelli (BRA) 11.17 x 9.60 Seth Moniz (HAW)
7 John John Florence (HAV) 11.10 x 9.56 Miguel Pupo (BRA)
8 Morgan Cibilic (AUS) 10.67 x 7.43 Julian Wilson (AUS)
9 Italo Ferreira (BRA) 13.00 x 9.33 Mick Fanning (AUS)
10 Conner Coffin (EA) 9.60 x 9.43 Wade Carmichael (AUS)
11 Jack Robinson (AUS) 9.93 x 9.34 Jeremy Flores (FRA)
12 Kanoa Igarashi (JAP) 11.46 x 11.20 Deivid Silva (BRA)
13 Jordy Smith (AFR) x Alex Ribeiro (BRA)
14 Yago Dora (BRA) x Peterson Crisanto (BRA)
15 Griffin Colapinto (AUS) x Adriano de Souza (BRA)
16 Ryan Callinan (AUS) x Reef Heazlewood (AUS)

Oitavas de final Masculinas

1 Filipe Toledo (BRA) x Frederico Morais (POR)
2 Ethan Ewing (AUS) x Jadson André (BRA)
3 Gabriel Medina (BRA) x Caio Ibelli (BRA)
4 John John Florence (HAV) x Morgan Cibilic (AUS)
5 Italo Ferreira (BRA) x Conner Coffin (EUA)
6 Jack Robinson (AUS) x Kanoa Igarashi (JAP)
7
8

Repescagem Feminina

1 Tyler Wright (AUS) 9.10 x Tatiana Weston-Webb (BRA) 8.96 x Laura Enever (AUS) 8.94
2 Johanne Defay (FRA) 16.66 x Brisa Hennessy (CRI) 10.64 x Isabella Nichols (AUS) 8.70

Oitavas de final Femininas

1 Carissa Moore (HAV) x Brisa Hennessy (CRC)
2 Malia Manuel (HAV) x Keely Andrew (AUS)
3 Sally Fitzgibbons (AUS) x Macy Callaghan (AUS)
4 Tatiana Weston-Webb (BRA) x Nikki Van Dijk (AUS)
5 Carolina Marks (EUA) x Amuro Tsuzuki (JAP)
6 Johanne Defay (FRA) x x Tyler Wright (AUS)
7 Stephanie Gilmore (AUS) x Sage Erickson (EUA)
8 Courtney Conlogue (EUA) x Bronte Macaulay (AUS)