Aprendizado molhado

Projeto inédito no Brasil coloca o surfe no currículo escolar em Garopaba (SC).

0

Certo dia recebi um WhatsApp de um cara chamado Thiago Marques explicando sobre um evento na praia da Ferrugem e me convidando para uma mesa redonda com os alunos de uma escola daqui de Garopaba (SC).

Não percebi exatamente a profundidade do que se tratava, mas sendo com as crianças locais e para falar da minha experiência com o surfe, nem pensei duas vezes e aceitei de cara, pois adoro contar tudo de bom que o esporte tem me proporcionado na vida.

Na manhã do evento, peguei minha câmera fotográfica e logo cedo saí caminhando da praia da Barra, onde moro, em direção à Ferrugem. O dia estava lindo, mar verde, quente, ondas boas, sem vento e muito sol.

Ao me aproximar do canto norte, percebi que algo diferente estava acontecendo ali! Professores de várias disciplinas ajudavam seus alunos na práticas de diferentes atividades. Encantados com o projeto, os pais acompanhavam de perto a nova oportunidade de aprendizado.

Era o Projeto NIAS (Núcleo Inteligente Amantes do Surfe), idealizado por Thiago Marques, em ação pela primeira vez no Brasil.

O NIAS desenvolveu um plano curricular denominado “SurfEduca”, onde trabalha o conteúdo envolvido no surfe de forma interdisciplinar com as áreas de conhecimento da Base Nacional Comum Curricular.

E esse plano já faz parte do PPP (Projeto Político Pedagógico) da E.M.E.F. Escola Nova Ambrósio, em Garopaba.

“Dentro desse plano asseguramos às crianças possibilidades efetivas de conhecimento sobre a natureza, assim como práticas de diferentes atividades relacionadas ao surfe”, relata Marques.

Como funciona o projeto?

As turmas são divididas em 4 equipes, no sistema de rodízio para que todos possam contemplar as atividades desenvolvidas:

– Entendendo as competições de surfe (formatos e padrões de campeonatos).

– Manifestações Ambientais (limpeza de praia e ideias sustentáveis).

– Escola de surfe (habilidade motoras envolvidas no surfe).

– Salva Surf com o Corpo de Bombeiros (avaliação das condições de surfe / direção do vento e ondulação, marés, correnteza e tipos de praias).

– Conversa com ícones do surfe em Garopaba (espaço com convidados para uma roda de conversa)

– Manifestação Cultural (com biblioteca e museu do surfe).

Para saber mais sobre o projeto, acesse a página NIAS no Facebook.

“Respeitamos a liberdade editorial de todos os nossos colunistas. As ideias expressadas no texto acima nem sempre refletem a opinião do site Waves”.