Duelo Dantas na semi

Irmãos Wiggolly e Weslley Dantas decidem uma vaga na final do QS 5.000 de Fernando de Noronha; Jadson André e o marroquino Ramzi Boukhiam competem na outra semi.

0
Wiggolly ou Weslley Dantas: um dos dois vai fazer a final do Oi Hang Loose Pro Contest.

Após um sábado que teve 14 baterias, as semifinais do Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest foram definidas nas ondas de 1 metro que variaram de formação ao longo do dia na Cacimba do Padre, em Fernando de Noronha (PE). A primeira semi do QS 5.000 vai ter uma disputa familiar, entre Weslley e Wiggolly Dantas, e na segunda o atual campeão do evento, Jadson André, vai pra cima do marroquino Ramzi Boukhiam, único dos quatro que entrou três vezes na água nesse sábado.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

Weslley começou o dia superando o ainda recordista da etapa, Edgard Groggia, autor da nota 9.57 na sexta-feira. O duelo foi parelho, mas o ubatubense ficou com a vaga nas quartas. Na fase dos oito melhores do evento, Weslley encarou Filipe Toledo, surfista da elite que vinha de excelente apresentação nas oitavas, quando superou o francês Joan Duru com fortes manobras de backside que valeram as notas 8.67 e 8.00.

O confronto que abriu as quartas de finais rolou num momento ruim do mar, que teve poucas ondas. Weslley colocou força nas manobras e fez as duas maiores notas da bateria, superando Filipinho pelo placar de 10.23 a 8.47. “Eu posso dizer que a minha estratégia eu consegui colocar dentro d’água. Meu pensamento era sempre usar a parte mais crítica da onda. Nas minhas manobras, eu usei toda a força que eu tinha, não só na primeira esquerda, como também na segunda. Eu nem sei quanto eu fiz, se foi 5 ou se foi 6, nem sei as minhas notas (5.50 e 4.73), mas graças a Deus eu consegui passar. Meu jogo vai ser o mesmo na próxima bateria e eu não vou alisar, com certeza”.

Filipe Toledo e Weslley Dantas logo após a bateria.

O irmão de Weslley, Wiggolly, conquistou uma vaga nas quartas após virar nos instantes finais pra cima de Renan Pulga. Na disputa seguinte, o surfista que vai sair de Noronha como líder do ranking QS, usou os tubos pra virar pra cima do havaiano Ian Gentil. “Não tá fácil, tem bastante água, areia mexendo, peixe, tá difícil. Tomei algumas ondas na cabeça, e aí puxa a prancha, quebra a prancha, sai nadando, e vai, adrenalina, mas é bom. Estou feliz de ter passado, estou vendo que meu trabalho e meu foco estão ótimos. Agora eu vou treinar com essa prancha pra ir com tudo para a semifinal”, disse o atleta que quebrou um foguete durante a disputa.

Sobre o próximo confronto, contra o irmão, Wiggolly falou. “Estou feliz de ter passado. Uma semifinal com meu irmão é uma coisa histórica. É o primeiro evento que ele compete no ano, e ele sempre sonhou com essa bateria, desde criança, e agora ela vai acontecer. O mais importante é que eu estou bem, estou feliz, surfando bem, e com certeza vai ter um Dantas na final. Se for eu, se for ele, eu vou ficar feliz do mesmo jeito. Eu vou dar o melhor de mim, o meu máximo para ir para a final. Fora d’água a gente é irmão, dentro d’água ele é um competidor e eu também. Não vou dar mole, não vou liberar onda nenhuma (rs) e vou com tudo”.

Wiggolly Dantas acha os tubos e garante vaga na semi.

Weslley também disse que dentro d’água não tem essa de irmão. “Já tivemos alguns confrontos. Fiz uma bateria com ele na África, que ele ganhou, fiz uma bateria com ele em Arica, no Chile, que ele ganhou também. Acho que aqui ele não vai ganhar (rs). Vou fazer a minha estratégia, ele vai fazer a dele, e é isso, entrou na água não tem irmandade, quem fizer melhor o jogo ganha”.

Weslley Dantas sobrevoa a Cacimba do Padre.

Jadson André – O outro brasileiro classificado para as quartas de finais é Jadson André, atual campeão do Hang Loose Pro Contest. Jadson enfrentou dois surfistas da nova geração nesse sábado, Leo Casal nas oitavas e Samuel Pupo nas quartas, quando surfou muito bem e chegou a arrancar uma nota excelente.

“Na esquerda que eu fiz quatro manobras (7.00), eu sabia que ela ia correr, e ela estava sempre um segundo na minha frente. Eu não queria ter dado aquelas (manobras) passando, mas foram as únicas opções que eu tive. Na realidade, eu queria ter dado aquela primeira, e ter ido para o aéreo carpado, mas eu estava sempre atrasado, pois a onda corre muito”, disse o potiguar da elite, que também falou do high score. “Antes da onda do 8.00, passaram duas ondas que pareciam boas, mas eu pensei: ‘eu sei que vão vir mais ondas e eu vou atirar naquela que eu tenho certeza mesmo’. E quando ela veio, só fiz segurar ali na base e sentar o pé. A prancha segurou o bottom turn (cavada), o drive, a força, e eu sabia que iria virar a bateria”.

Jadson André quer o bi da etapa.

Jadson também fez muitos elogios aos surfistas que ele encarou. “Eu sabia que a bateria seria disputada contra o Samuel. O Samuel era um dos caras mais encaixados no campeonato. Ele vem numa evolução absurda, o moleque já bate de frente com qualquer atleta do CT, a gente sabe que é uma questão de tempo para ele integrar a elite, ano passado foi por pouco. É a mesma questão do Leo, é moleque, mas os moleques são muito sinistros e eu sabia que não podia aliviar. Estou muito feliz e grato a Deus pela oportunidade de chegar no último dia do evento”.

Marroquino – Até os últimos 15 minutos de disputas desse sábado, a semifinal apontava para ser 100% brasileira, porém Ramzi Boukhiam virou pra cima de Ian Gouveia. Os dois já tinham se enfrentado na manhã desse sábado, na última bateria na quarta fase, e o brasileiro tinha avançado em primeiro e o marroquino em segundo. Nas oitavas, Ramzi virou nos instantes finais pra cima do surfista da Costa Rica, Noe Mar McGonagle, quando soltou as manobras para marcar uma nota 8.00 pontos. Nas quartas ele voltou a enfrentar o brasileiro e dessa vez levou a melhor.

Ramzi Boukhiam também está na semifinal.

Próxima chamada – A próxima chamada para o Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest acontece neste domingo, às 8h (de Brasília).

Assista às disputas ao vivo no Waves.

Quarta fase

Baterias desse sábado

7 Noe Mar McGonagle (CRC) 11.16 x Maxime Huscenot (FRA) 10.94 x Thiago Camarão (BRA) 9.57
8 Ian Gouveia (BRA) 14.60 x Ramzi Boukhiam (MAR) 10.93 x Mason Ho (HAV) 2.30

Cacimba do Padre nesse sábado.

Oitavas de final

1 Filipe Toledo (BRA) 16.67 x 11.87 Joan Duru (FRA)
2 Weslley Dantas (BRA) 11.60 x 9.30 Edgard Groggia (BRA)
3 Ian Gentil (HAV) 13.53 x 11.33 Jesse Mendes (BRA)
4 Wiggolly Dantas (BRA) 12.94 x 12.83 Renan Pulga (BRA)
5 Samuel Pupo (BRA) 14.17 x 10.20 Alejo Muniz (BRA)
6 Jadson André (BRA) 12.34 x 7.94 Leo Casal (BRA)
7 Ramzi Boukhiam (MAR) 13.93 x 13.06 Noe Mar McGonagle (CRC)
8 Ian Gouveia (BRA) 15.14 x 6.20 Maxime Huscenot (FRA)

Quartas de final

1 Weslley Dantas (BRA) 10.23 x 8.47 Filipe Toledo (BRA)
2 Wiggolly Dantas (BRA) 11.43 x 11.23 Ian Gentil (HAV)
3 Jadson André (BRA) 15.00 x 13.07 Samuel Pupo (BRA)
4 Ramzi Boukhiam (MAR) 12.53 x 11.67 Ian Gouveia (BRA)

Semifinal

1 Weslley Dantas (BRA) x Wiggolly Dantas (BRA)
2 Jadson André (BRA) x Ramzi Boukhiam (MAR)