Samuel vence em Ribeira D’Ilhas

Samuel Pupo vence o QS 10.000 de Ericeira, Portugal, e mantém hegemonia brasileira em etapas de nível máximo da divisão de acesso em 2019.

0
Samuel Pupo é o campeão do QS 10.000 de Ericeira, Portugal.

Quatro etapas, quatro vitórias brasileiras. Neste domingo Samuel Pupo venceu o Billabong Ericeira Pro, quarta competição do QS 10.000 deste ano, e manteve a hegemonia brasileira em provas de nível máximo do circuito da divisão de acesso à elite mundial de 2020. Nas finais, o brasileiro marcou três notas excelentes, e superou dois australianos nas disputas realizadas em ondas de até 1 metro de altura no pico de Ribeira D’Ilhas. Yago Dora foi o outro brasileiro que chegou no dia decisivo. Ele parou na semi e terminou em terceiro lugar.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

Samuel x Jacob – Para chegar em sua primeira final do QS, Samuel teve que passar por Jacob Willcox. Após o australiano iniciar de forma fraca, em ondas pequenas, o brasileiro pegou uma direita da série e executou dez manobras, incluindo fortes rasgadas, batidas e layback para arrancar 8.50 dos juízes. Jacob insistia nas ondas menores e não conseguia notas acima de 5 pontos, já o brasileiro voltou a executar bons movimentos e, com 6.83, colocou seu adversário em combinação, na necessidade de 15.33. Restavam ainda 25 minutos e logo Jacob saiu da péssima situação para ficar numa ainda muito ruim, precisando de 9.50.

Após algumas trocas de prioridade em remadas para ondas fracas, Jacob encaixou um bom surfe com batidas e rasgadas e arrancou 8.00 pontos dos juízes, mesmo tendo errado a junção. O aussie passou a precisar de 7.34 pra vencer, mas quem esteve mais perto de trocar nota foi o brasileiro, que acertou um aéreo reverse. Porém o mar ficou devagar e Samuel partiu para a bateria mais importante do evento. Com o terceiro lugar Jacob conquistou 6.500 pontos e subiu 48 posições no ranking, sendo agora o 23º na lista dos melhores.

Samuel Pupo decola para a vitória em Ericeira.

Yago x Stuart – A segunda semi, assim como a primeira, começou com muita ação, mas com Yago Dora e Stuart Kennedy pegando direitas mais curtas. O brasileiro até surfou uma mais longa, mas sem muitas oportunidades de manobras fortes. Dentro dos dez minutos iniciais o australiano foi melhor, com uma onda de apenas três manobras, sendo a melhor uma batida fluida na junção, descendo junto com o lip sem perder o equilíbrio. A atuação valeu 7.50. Yago arrancou uma nota 5.00 e a bateria seguia embolada, mas o australiano aumentou a vantagem com 6.00 numa onda pequena que teve cinco manobras.

Perto da metade do confronto surgiu uma série. Yago usou a prioridade e surfou primeiro, mas errou a manobra. Stuart dropou a de trás, fez algumas manobras sem expressão e caiu no final, e, na sequência, ainda na mesma série, o brasileiro fez estrago. A direita ficou mais em pé e Yago começou com uma batida floater passando a seção, depois executou duas boas rasgadas e bateu forte. A apresentação valeu 8.80 e a liderança.

Yago Dora faz a maior nota do dia, mas perde na semi.

O australiano teve a chance de arrancar os 6.31 que precisava no início do terço final da bateria. Stuart pegou uma direita que não era da série e começou com um cutback, depois acertou uma batida / floater, bateu escalando a espuma e acertou mais uma pancada. A nota 6.50 colocou o aussie em primeiro.

As ondas desapareceram e no minuto final Yago quase consegue outra virada no evento. Ele repetiu a estratégia do sábado, foi numa esquerda e voou alto, rodando e com a mão na borda, porém caiu na aterrissagem. E, ao contrário do dia anterior, não veio outra onda atrás e ele acabou eliminado.

Yago terminou o Billabong Ericeira Pro na terceira posição, ganhou US$ 10.000 e com os 6.500 pontos subiu para a vice-liderança no ranking. “O meu objetivo era me reclassificar para o CT do ano que vem e eu acho que consegui isso, então sim, estou muito feliz. Doi estar tão perto e não conseguir fazer a final, mas o Stu está surfando tão bem que ele mereceu. Ontem eu definitivamente achei que fosse perder a bateria naqueles 30 segundos finais e essa foi outra lição pra mim: nunca desistir e sempre ter fé”, comentou o brasileiro.

Yago Dora rasga forte na semifinal.

Final – Na final, tanto Samuel quanto Stuart começaram de forma razoável, mas com o brasileiro executando mais manobras e tendo uma leve vantagem ao marcar 6.33 contra 6.10 do australiano.

Após um longo flat, Stuart usou a prioridade e soltou as manobras, mas voltando de algumas meio agarrado, e na direita seguinte Samuel soltou oito manobras, sendo a última uma desgarrada de rabeta. O conjunto valeu 8.50 e deixou o aussie na busca de 8.73.

Stuart Kennedy fica em segundo do Billabong Ericeira Pro.

Logo Stuart trabalhou e conseguiu diminuir a diferença, mas ainda precisava de uma nota excelente pra vencer (8.14). Mas o brasileiro voltou a aprontar com 8.07, complicando o caminho do australiano que passou a necessitar de 9.87 pontos. Ele ainda tinha 14 minutos, mas não conseguiu mais trocar notas e o brasileiro começou as comemorações de sua primeira vitória no Circuito Mundial.

“Tem tanta coisa que eu quero falar, mas nada vem na minha mente agora. No início do ano o Jadson André disse pra mim que eu venceria uma etapa em 2019. Outro dia encontrei com ele no almoço e ele falou que eu iria ganhar esse campeonato, e eu falei que já estava escrito nas estrelas. E aqui estou eu com a vitória. É incrível, não sei, estou paralisado, não sei o que dizer. Obrigado mãe, pai e é isso, vamos lá”, disse Samuel que faturou US$ 30.000 e 10.000 pontos no ranking, sendo agora o nono colocado.

Depois, mais calmo, Samuel falou mais sobre o evento. “Foi uma semana incrível aqui no campeonato. Nós tivemos todos os tipos de condições e eu estou muito feliz de vencer a minha primeira etapa num QS. Estou muito feliz de estar aqui com meu irmão e meus amigos que tanto me ajudam. É incrível ter o suporte deles em cada uma das baterias. O Stu (Kennedy) é um surfista incrível e eu não baixei a guarda mesmo nos minutos finais, pois sabia que ele poderia conseguir reverter o resultado”.

Os irmão Miguel e Samuel Pupo comemoram o resultado.

Hegemonia brasileira – O Billabong Ericeira Pro foi o quarto evento de nível máximo do QS em 2019. O Brasil venceu todos. As outras conquistas foram com Deivid Silva em Ballito (AFR), Yago Dora em Huntington Beach (EUA) e Miguel Pupo em Pantin (ESP).

Ranking – Seis dos dez melhores do ranking QS após a etapa de Ericeira são brasileiros. Os quatro primeiros têm mais de 20.000 pontos e estão praticamente classificados para a elite de 2020. Jadson André é o líder, seguido de Yago Dora (2º), Alex Ribeiro (3º) e Miguel Pupo (4º). Samuel Pupo (9º) e Deivid Silva (10º) completam a lista dos dez melhores.

Entres os primeiros 50 aparecem ainda Jesse Mendes (27º), Ian Gouveia (32º), Luel Felipe (33º), Krystian Kymerson (34º) e Wiggolly Dantas (48º).

Próximas etapas – Restam apenas duas etapas 10.000 do QS e elas acontecem no Havaí. O Hawaiian Pro rola entre os dias 13 e 24 de novembro em Haleiwa, e o Vans World Cup está agendado para o período entre 25 de novembro e 7 de dezembro nas ondas de Sunset Beach.

Billabong Ericeira Pro

Final

Campeão Samuel Pupo (BRA) 16.57 – US$ 30.000 e 10.000 pontos
Vice-campeão Stuart Kennedy (AUS) 12.80 – US$ 15.000 e 8.000 pontos

Semifinais
2o = 3o colocado – US$ 10.000 e 6.500 pontos

1 Samuel Pupo (BRA) 15.33 x 13.83 Jacob Willcox (AUS)
2 Stuart Kennedy (AUS) 14.00 x 13.80 Yago Dora (BRA)

Ranking QS 2019 após o Billabong Ericeira Pro

1 Jadson André (BRA) 22.500 pontos
2 Yago Dora (BRA) 22.460
3 Alex Ribeiro (BRA) 21.580
4 Miguel Pupo (BRA) 21.000
5 Jake Marshall (EUA) 17.950
6 Frederico Morais (POR) 17.450
7 Jorgann Couzinet (FRA) 17.310
8 Connor O’Leary (AUS) 17.150
9 Samuel Pupo (BRA) 17.140
10 Deivid Silva (BRA) 16.850
11 Matt Banting (AUS) 16.750
12 Barron Mamiya (HAV) 14.500
13 Liam O’Brien (AUS) 14.350
14 Matthew McGillivray (AFR) 14.240
15 Stuart Kennedy (AUS) 13.925
16 Morgan Cibilic (AUS) 13.850
16 Carlos Munoz (CRC) 13.850
18 Jack Freestone (AUS) 13.550
19 Nat Young (EUA) 13.300
20 Jack Robinson (AUS) 12.610
27 Jessé Mendes (BRA) 10.850
32 Ian Gouveia (BRA) 10.160
33 Luel Felipe (BRA) 10.030
34 Krystian Kymerson (BRA) 9.580
48 Wiggolly Dantas (BRA) 7.760