Sangue aborígene no Tour

Australiano Soli Bailey é o primeiro atleta a representar a bandeira aborígene na história da elite mundial.

0
Soli Bailey representa a bandeira aborígene na elite mundial.

Em entrevista ao site australiano ABC, o Top Soli Bailey revelou que será o primeiro surfista australiano a representar a bandeira aborígene no Championship Tour.

“Por mais que eu estivesse super empolgado para representar a Austrália e o que defendemos, esta também foi uma oportunidade para mostrar algum amor, e um pouco da minha cultura”, explica Bailey.

Mais conhecido como “Soli”, Solaman Bailey tem 23 anos e foi revelado em Byron Bay, na costa norte de New South Wales.

“Eu sou parte do povo Yaegl, que consistia em [pessoas] de Maclean até Coffs Harbour, e este é o país de Bundjalung. Eu sou um australiano indígena que vai competir contra o mundo”, fala o novato.

Australiano de 23 anos quer conhecer melhor a herança indígena.

O diretor regional da World Surf League, Will Hayden-Smith, disse que a WSL, que também permite que os surfistas havaianos possam competir sob a bandeira do Estado, foi rápida em aceitar o pedido de Bailey.

“Estamos muito orgulhosos de ver os surfistas honrando sua herança”, disse Hayden-Smith. “Nós vemos que é uma pequena coisa que podemos fazer para permitir que ele mostre do que se orgulha”, conclui o dirigente.

Bailey admite que gostaria de aprender mais sobre sua herança indígena, que vem do lado materno da família.

“Estou realmente conectado no sentido de que tenho todos os meus amigos e familiares na minha área, mas acho que estou tão focado no que estou fazendo que não aprendi o suficiente sobre a minha cultura”, disse ele.

“Eu acho que há muitas pessoas assim, que têm uma herança indígena e simplesmente não tiveram tempo para aprender o suficiente e aprender mais e mais, mas é uma parte muito especial de mim”.

O atleta é muito elogiado por Hayden-Smith, que conhece Bailey desde a adolescência.

“Soli sempre foi uma criança extremamente humilde e gentil. Ele até me ligou no outro dia, só para conversar sobre um noivado para o qual o convidamos. É reservado, humilde e gentil. É uma qualidade realmente rara no Tour”, diz o diretor regional da WSL.

Soli Bailey foi revelado em Byron Bay.

Questionado sobre a expectativa para a sua primeira temporada na elite mundial, o atleta mostrou estar confiante. “Acho que vai ser um ano bem sólido”, acredita Soli.

A sua classificação foi garantida no fim de 2018, no Havaí. “É engraçado. O dia em que me classifiquei foi incrível e foi emocionante, mas de repente foi como se eu tivesse a chance de ser campeão do mundo. Um novo conjunto de metas surgiu instantaneamente”, conta Bailey.

Embora acredite que seus ídolos provavelmente exigirão que ele melhore seu desempenho em cerca de 10% a 15%, Bailey acredita que sua experiência valerá a pena.

Uma de suas maiores vitórias até o momento foi em 21 de fevereiro de 2017, quando venceu nomes como Kelly Slater no Volcom Pipe Pro, no Havaí.

“Quem sabe, talvez, eu possa sair como o novato do ano, Top 10, Top 5?”, reflete o australiano.

“Competir com os melhores surfistas do mundo em alguns dos destinos e ondas mais surpreendentes que temos, será realmente emocionante”, diz Soli. “Se você está realmente com fome, o primeiro lugar é o único lugar que você quer”, finaliza.

Fonte: ABC News.