A didática do Bottom Turn

Série ao Fundo estreia novo quadro com dicas para aprimorar a parte técnica do surfe.

0

Dobrar mais os joelhos, jogar o peso no pé de trás, rotacionar o tronco para completar a manobra. Você sabe o que precisa fazer para evoluir seu surfe e aprender novas manobras?

Este é o objetivo do Saca Só, mais nova produção do canal Série ao Fundo. Em formato de tutorial e com o auxílio de gráficos, o programa adota uma linguagem didática para fornecer dicas que vão ajudar a aprimorar a parte técnica do seu surfe.

Serão 12 episódios destrinchando manobras de diferentes níveis. Desde ficar em pé na prancha até movimentos com maior grau de complexidade, como tubos e aéreos. E para trazer informação de qualidade, o ex-surfista profissional Renan Rocha soma sua experiência de 15 anos de circuito mundial com o conhecimento de atletas de diferentes gerações do surfe nacional. Nesta primeira temporada teremos a participação do top Michael Rodrigues, o mestre Fabio Gouveia e grande promessa Tainá Hinckel.

“Não oferecemos uma solução mágica, mas sim informações que te ajudem a entender o passo a passo das principais manobras do surfe e, assim, perceber seus erros para que possa corrigi-los dentro da água”, salienta Renan Rocha, que completa: “Quando você entende quais aspectos deve tentar melhorar, sua sessão rende mais e os movimentos ficam mais conscientes. Este é um processo pelo qual os surfistas profissionais passam ao longo de toda a carreira, já que recebem feedback constante de seus treinadores”.

“A evolução é um caminho árduo. Requer tempo, dedicação e resiliência para lidar com a frustração, já que o desejo de estar na água é constantemente frustrado pela falta de ondas ou de tempo para se dedicar a essa paixão. Mas por mais que a teoria não substitua a prática, este processo pode ser otimizado com auxílio da informação”, destaca o diretor do projeto Rafael Reis.

No primeiro episódio, Renan e Fabinho Gouveia fala sobre a importância do Bottom Turn, também conhecido como “curva na base” ou “cavada”. Esse movimento é considerado fundamental porque antecede quase todas as manobras e é a partir dele que o surfista se posiciona para atacar as sessões mais críticas da onda, gerando velocidade e potência.