É proibido surfar

Prefeituras de Niterói (RJ) e da Baixada Santista adotam medidas para conter avanço do coronavírus e proíbem acesso às praias da região.

0
Com a proibição do acesso às praias, surfe sai de cena em lugares como Niterói e Baixada Santista.

A batalha para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19) tem levado algumas prefeituras a proibir o acesso às praias de algumas regiões, como Niterói (RJ) e os municípios da Baixada Santista, no litoral paulista.

Em Niterói, a medida entrou em vigor nesta quinta (19) e vai até 6 de abril. Ela também se aplica às praças públicas da cidade – fica ‘proibida a permanência nas praias da Região Oceânica e da Baía de Guanabara, bem como nas praças públicas de Niterói’. As caminhadas no calçadão também estão impedidas. Até o momento, seis casos de pessoas infectadas foram confirmados no município.

Já as medidas restritivas da Baixada Santista foram definidas nesta quinta-feira (19), pelos prefeitos da região. Uma delas é a proibição total do acesso às praias a munícipes e turistas, incluindo comércio ambulante, barracas, cadeiras e guarda-sol.

“São Paulo é o epicentro do novo coronavírus no Brasil e estamos tendo uma curva de crescimento maior que a da Itália. Embora não tenhamos, ainda, casos confirmados, é preciso se prevenir. A responsabilidade nos exige tomar medidas mais rigorosas para preservar a vida das pessoas. Fazemos um apelo para que as pessoas fiquem em casa, que tenham a dimensão e a consciência da gravidade que estamos vivendo”, afirmou o prefeito Paulo Alexandre Barbosa, de Santos, em coletiva de imprensa após a reunião.

As medidas anunciadas nessa quinta (19) foram tomadas conjuntamente pelos membros do Condesb. Além do chefe do Executivo de Santos, participaram, por videoconferência, os prefeitos Caio Matheus (Bertioga), Válter Suman (Guarujá), Ademário Oliveira (Cubatão), Alberto Mourão (Praia Grande), Marco Aurélio dos Santos (Itanhaém), Márcio Gomes (Mongaguá), Luiz Maurício (Peruíbe) e Pedro Gouveia (São Vicente), além de Paula Covas (chefe do DRS-4) e Raquel Chini (diretora-executiva da Agem).

A deputada federal Rosana Valle também participou da reunião ao lado do secretário de Saúde, Fábio Ferraz, no Paço Municipal de Santos. Novas estratégias serão avaliadas na próxima reunião do Comitê Metropolitano, com data a ser definida nas próximas horas.

Fontes: G1.com e Santos.sp.gov.br.