Olimpíadas

Medina desabafa

"Tem coisas que não dá pra entender", diz Gabriel Medina após derrotas polêmicas nas Olimpíadas de Tóquio.

0
Brasileiro foi eliminado por Kanoa Igarashi nas semis, em julgamento polêmico.

Gabriel Medina terminou a sua participação nas Olimpíadas de Tóquio com um gosto amargo, após perder em uma bateria polêmica contra Kanoa Igarashi nas semifinais, e outra contra Owen Wright na disputa pelo bronze. Em declaração após o término do evento, o bicampeão mundial demonstrou-se contrariado com os resultados das baterias. “Minha parte eu fiz”, disse.

Após um início avassalador de Medina na primeira semifinal, Kanoa Igarashi conseguiu a virada perto do fim e colocou o Japão na grande final, com um aéreo que rendeu 9.33 pontos na visão dos juízes. A pontuação da bateria gerou polêmica, e o brasileiro revelou sua frustração com a eliminação.

View this post on Instagram

A post shared by G. Medina (@gabrielmedina)

“É triste quando isso acontece. Muita gente mandou mensagem… É difícil passar o ano treinando, se esforçando e chegar nisso. Mas minha parte eu fiz. Estou amarradão, fiz o meu melhor e agora é continuar trabalhando. Tem coisas que não dá pra entender, mas tinha que ser assim”, desabafa.

“Dei meu melhor, é foda quando isso acontece, dá uma tristeza, desculpa galera… Valeu pela torcida”, postou o brasileiro.

Na bateria contra Owen Wright, Gabriel Medina deu um aéreo que poderia ter dado a virada sobre o australiano na disputa do bronze. Ele também não ficou feliz com a sua pontuação.

“Eu precisava de um seis baixo (nota) e achei que tinha virado, mas… Já aconteceu tanta coisa, que na real o que vier é lucro. Estou mais preocupado em surfar e fazer o meu melhor. É difícil esperar dos outros, não é? Vou tentar fazer o meu”.

Duelo de alto nível nas semis

Assim como nas quartas, o brasileiro voou alto nas semifinais, e em dez minutos de disputa já tinha as notas 8.33 e 8.43 pontos. Isso deixou Kanoa Igarashi na necessidade de 9.09 pontos para assumir a liderança.

O tempo passava e Kanoa não achava ondas com potencial, porém quando restavam sete minutos o japonês acelerou na direita e decolou alto, com uma das mãos na borda, fez o giro completo antes de aterrissar e completou a manobra de forma perfeita.

Gabriel Medina fez somatório de 16.76 pontos.

A nota demorou a sair, mas quando foi divulgada deu para ouvir os gritos dos japoneses na praia, o que indicava a virada. E ela veio com 9.33 pontos. Medina passou a precisar de 8.58 e só teve uma chance no restante do duelo, porém não chegou perto da nota. A derrota foi pelo placar de 17.00 a 16.76.

Resultados no Japão

Bateria da medalha de ouro Masculina

Italo Ferreira (BRA) 15.14 x 6.60 Kanoa Igarashi (JAP)

Bateria da medalha de bronze

Owen Wright (AUS) 11.97 x 11.77 Gabriel Medina (BRA)

Semifinais

1 Kanoa Igarashi (JAP) 17.00 x 16.76 Gabriel Medina (BRA)
2 Italo Ferreira (BRA) 13.17 x 12.47 Owen Wright (AUS)

Quartas de final Masculinas

1 Kanoa Igarashi (JAP) 12.60 x 11.00 Kolohe Andino (EUA)
2 Gabriel Medina (BRA) 15.33 x 13.66 Michel Bourez (FRA)
3 Italo Ferreira (BRA) 16.30 x 11.90 Hiroto Ohhara (JAP)
4 Owen Wright (AUS) 12.74 x 7.83 Lucca Mesinas (PER)

Bateria da medalha de ouro Feminina

Carissa Moore (HAV) 14.93 x 8.46 Bianca Buitendag (AFR)

Bateria da medalha de bronze

Amuro Tsuzuki (JAP) 6.80 x 4.26 Carolina Marks (EUA)

Semifinais

1 Bianca Buitendag (AFR) 11.00 x 3.67 Carolina Marks (EUA)
2 Carissa Moore (HAV) 8.33 x 7.43 Amuro Tsuzuki (JAP)

Quartas de final Femininas

1 Bianca Buitendag (AFR) 9.50 x 5.46 Yolanda Hopkins (POR)
2 Carolina Marks (EUA) 12.50 x 6.83 Brisa Hennessy (CRC)
3 Carissa Moore (EUA) 14.26 x 8.30 Silvana Lima (BRA)
4 Amuro Tsuzuki (JAP) 13.27 x 11.67 Sally Fitzgib