Big rider destemida

Candidata ao prêmio de Melhor Onda do Ano, Michaela Fregonese bate um papo com o Série ao Fundo.

0

No dia 31 de dezembro, Michaela Fregonese desafiou todos os limites e entubou em uma onda de mais de 45 pés em Jaws, Havaí.

Em novo episódio de Quarentena SAF, a big rider paranaense relata a experiência e admite orgulho da façanha: “Fiquei uns cinco dias sem conseguir dormir depois por causa da adrenalina”, conta.

Com muitas temporadas no Havaí e Indonésia, Michaela conta que a intimidade com os tubos fez a diferença: “Foi uma coisa meio instintiva mesmo, de ver que a onda ia rodar e colocar no trilho. Foram segundos, eu quase tomei a lipada”, relata.

A craca surfada na última temporada havaiana concorre ao prêmio Big Wave Awards na categoria Melhor Onda do Ano. No ano passado, Michaela também fez história ao se tornar a primeira campeã de um evento feminino de big surf no Brasil.

Foto de capa WSL / Keoki