Adriano de Souza

México, um velho conhecido

Adriano de Souza retorna ao México quinze anos após seu ano de estreia no Tour, em 2006. Mídia internacional celebra o brasileiro.

0
Mineiro ficou com a 17ª colocação no México em 2006.ASP World Tour / Rip Curl
Mineiro ficou com a 17ª colocação no México em 2006.

Os fãs de surfe têm bons motivos para ficarem animados com a próxima etapa do CT, a partir desta terça-feira (10) em Barra de La Cruz, no México. Na última vez em que Tour passou pelo pico, em 2006, o evento ficou marcado como um dos melhores da história, pelas condições perfeitas das ondas. E um brasileiro que ainda compete no Circuito estava lá.

Está é a segunda vez que a elite mundial compete na praia, que fica na região de Oaxaca. O primeiro campeonato foi vencido pelo havaiano Andy Irons, que superou nomes como Kelly Slater, Mick Fanning, Joel Parkinson e Taj Burrow. Mineiro estava em seu ano de estreia no Tour e ficou na 17ª colocação. Quinze anos depois, ele retorna a Barra de La Cruz em seu ano de despedida.

“O México é um campeonato que está marcado para sempre na minha vida. É uma das três melhores condições que já peguei durante toda a minha história no WCT”, conta Adriano de Souza.

Aos 34 anos, Mineiro revela que fez uma preparação física especial para a etapa. Com ondas longas, a competição deve exigir muito da parte física e mental.

“Consegui fazer um treinamento específico e sinto que isso foi muito bom para a minha confiança e, principalmente, para meu desempenho no campeonato. “A onda do México é muito longa, então vai exigir muito do corpo e da concentração”, conta o capitão.

Mídia internacional celebra Mineiro

Em coluna assinada por Alex Workman no site internacional da WSL, o jornalista relembrou a passagem de Adriano de Souza pelo México em seu ano de estreia. Também avaliou a carreira vitoriosa do brasileiro, em retrospectiva. O texto ressalta que Adriano foi o primeiro brasileiro a competir de igual para igual com os primeiros colocados no Ranking do Tour.

“A determinação de Adriano é lendária. Ele aparecia nos locais dos eventos semanas antes de soar a buzina e ficava bem depois que o circo deixava a cidade, estudando a bancada, determinado a desvendar seus segredos. Ele fez história, tornando-se o primeiro brasileiro a vencer o Rip Curl Bells Beach Pro 2013, em seus 52 anos de história – e o primeiro vencedor a tocar o troféu do sino com tanta força que quebrou seu invólucro de madeira”, recorda o jornalista.

Etapa acontece nas direitas quilométricas de Barra de La Cruz, México.

“Enquanto Adriano se prepara para os dois últimos eventos de sua carreira, uma vitória final no CT seria um conto de fadas. Mas talvez depois de 15 anos da carreira que inspirou milhões de pessoas enquanto ele lutava para chegar ao topo, essa conquista é suficiente para comemorar”, celebra Workman.

Adriano de Souza ocupa a décima terceira posição no Ranking do CT em seu ano de despedida. Ao longo da temporada, ele conquistou resultados expressivos, como as quintas colocações em Newcastle, na Austrália e no Surf Ranch, na Califórnia (EUA). Considerado um líder pelos brasileiros do Circuito, Mineiro vem recebendo diversas homenagens ao longo da temporada.

View this post on Instagram

A post shared by Waves (@waves.com.br)