Biquilha + 1

Com as biquilhas em alta, shapers aderem à trailer fin, uma pequena quilha colocada no centro da prancha para garantir mais controle.

0
Rei das Twin Fins, Mark Richards sucumbiu ao pivô central, mesmo que só de leve.

Quando Mark Richards redefiniu as biquilhas, transformando-as em pranchas de alta performance, também mudou a linha que se fazia numa onda. O australiano tetracampeão mundial, de 1979 a 1982, surfava como ninguém, literalmente. Isso teve muito a ver com a onda de Twin Fins e o desenvolvimento das Thrusters, criadas por Simon Anderson.

Como tantos outros, Simon não conseguia dominar as tais Twin Fins. Só que, também, como muitos surfistas na época, ele era um ótimo shaper.

Em outubro de 1980, depois de experimentar um modelo de Frank Williams, que colocou uma pequena quilha central, em forma de meia lua, para dar mais estabilidade à sua prancha com duas quilhas, visualizou a revolução: três quilhas, no design batizado de Thruster. A terceira quilha conferia velocidade, gerada pela força do atleta, além de segurança e manobrabilidade às pranchas. O resto é história.

O versátil Chippa Wilson é adepto desse tipo de prancha, faz tempo.

O mundo e o surfe mudaram. As biquilhas voltaram, com as mesmas vantagens e desvantagens do DNA delas. Mark Richards, que nunca parou de shapear, acabou sucumbindo à solução do meio de caminho que muita gente utilizou ao longo dos anos.

MR instalou uma terceira quilha, bem menor, fazendo de suas Twin Fins pranchas mais fáceis para a adaptação de qualquer tipo de surfista. Claro, muitos shapers viram isso como uma boa solução, pois faz sentido.

Aquela terceira “quilhinha”, que muitos chamam de trailer fin, fez toda a diferença na evolução do surfe de biquilhas e hoje está cada vez mais aceita. O controle gerado pela quilha central proporciona um surfe mais power, sem medo de derrapar demais. Na verdade o conceito não é novidade alguma, já tem décadas, mas ficou mais conhecido agora.

O interessante é observar que essa configuração não obedece aos parâmetros de colocação de quilhas da triquilha. A trailer fica muito mais próxima das duas quilhas laterais, maiores. Vai com elas, mesmo se as duas principais forem colocadas mais à frente.

Isso dá um pouco mais de segurança e pivô para quem fica incomodado com a sensação das duas quilhas sem nada no meio e ainda fornece aquela sensação solta e veloz das biquilhas. Outro detalhe é o fato de que a trailer fin não funciona muito bem se aplicadas às fishes, com rabetas mais largas.