Guinada na carreira

Na transição entre a carreira amadora e profissional, Vitor Ferreira treina forte e estabelece meta para esta temporada.

0

Aos 18 anos, o carioca Vitor Ferreira vive o complicado momento de migrar da carreira amadora para a profissional. Na estrada desde os 8 anos, ele traçou algumas metas para este importante ano como atleta.

“Ano passado corri algumas etapas do QS para ver como seria participar integralmente do circuito. Esse ano decidi colocar o circuito como meta principal”, comenta o surfista, que participou de seis etapas da divisão de acesso até o meio deste ano e agora treina para as pernas europeia e brasileira.

“Minha meta é tentar finalizar o ano entre os 150 primeiros do ranking”, diz Ferreira, que relembra a trajetória como atleta amador. “Minha carreira como amador foi muito boa e colhi bons frutos e títulos como o de campeão brasileiro em 2014, vice-campeão brasileiro em 2016 e o melhor brasileiro na categoria Sub 16 no Mundial da ISA em 2016”, conta.

“Sempre busquei viajar bastante para surfar todos os tipos de ondas. Comecei a ir para o Havaí com 12 anos e não parei mais. Também estive algumas vezes na Indonésia, Peru, Califórnia, Chile, Costa Rica , Namíbia, dentre outros lugares, sempre treinando ou competindo”, finaliza o surfista.

No clipe acima, Vitor exibe um pouco dos treinos durante a temporada de 2018.