Preparação de elite

Fenômeno da elite mundial, Caroline Marks revela rotina de treinos por trás dos grandes resultados.

0
Red Bull Content Pool
Caroline Marks dedica grande parte do tempo para atingir a melhor performance.

Fenômeno do surfe mundial, a norte-americana Caroline Marks já mostrou que não está para brincadeira. Aos 17 anos, ela se tornou a mais jovem mulher a competir no Championship Tour e, de lá para cá, acumula vitórias e vem conquistando inúmeros pódios.

Atualmente com 18 anos, Marks dedica grande parte do seu tempo para atingir sua melhor performance e impressionar os juízes ao chegar em uma competição.

Em entrevista à The Red Bulletin, revista da Red Bull, a atleta revela alguns pilares que norteiam os treinos e toda a sua preparação visando atingir o seu principal objetivo: ser a melhor surfista do mundo na categoria feminina.

Rapidez

Com uma rotina de treinos intensa tanto dentro quanto fora do mar, a atleta conta que é necessário realizar todos os movimentos com a maior rapidez possível. “Idealmente, eu surfo e faço ginástica todos os dias – é onde eu treino o equilíbrio e a preparação física. Digamos que eu vá fazer um point break longo, como Jeffreys Bay (África do Sul), por exemplo. Tenho que fazer a primeira curva tão forte quanto a última, e é muito difícil, porque minhas pernas ficam cansadas. Às vezes, preciso surfar quatro baterias por dia e, obviamente, não posso simplesmente parar”, afirma a atleta.

“Há, ainda, uma grande escada de agilidade na minha academia, onde tento manter meus pés funcionando da forma mais rápida que eu puder, mantendo minha frequência cardíaca elevada o máximo possível. São muitos movimentos de contração rápida também”, complementa.

Red Bull Content Pool
Surfista ressalta a importância de manter a mente saudável.

Foco mental

Concentrada em uma boa preparação antes mesmo de subir na prancha, a surfista explica que é importante manter sua mente saudável para obter melhores resultados. “Não gosto de pensar demais nas coisas, então, sempre tento simplificá-las.

Como surfista, é difícil fazer um grande planejamento, porque nunca se sabe como as ondas estarão. Eu preciso estar bem, mesmo quando fico cansada durante uma bateria. Algo que me ajuda a manter o foco mental são exercícios de equilíbrio que realizo na academia. Eu fico em pé em cima de uma bola, meu treinador joga outra bola para mim de forma aleatória, e eu preciso pegá-la com uma mão, sem saber para qual lado ele vai jogar. Grande parte do trabalho mais importante é feito antes mesmo de uma competição começar”.

Nutrição

Apesar de não restringir sua alimentação e comer praticamente tudo o que sente vontade, Marks busca aprender mais sobre refeições balanceadas. “Recentemente, fiz alguns exames com profissionais, pois quero aprender mais sobre o que devo comer. Se eu consumir algo pela manhã e conquistar alguma vitória na sequência, comerei esse alimento outras vezes. Atualmente, torrada com abacate é o meu prato preferido pela manhã: gosto de utilizar torrada orgânica, abacate, sal, pimenta e tomate cereja. No geral, sempre levo snacks e barras de proteína para todos os lugares que vou, mas não tenho uma dieta definida, então, se eu quiser abacate, peru e um bolo, eu irei comer”.

Caroline Marks vai com tudo em busca do inédito título mundial.

Flexibilidade

Importante exercício em sua preparação, o alongamento faz parte da rotina diária de Marks e, junto ao surfe, a auxilia em uma maior flexibilidade. “Tento surfar, no mínimo, quatro horas por dia – esse é um treino muito bom, já que é necessário utilizar o corpo inteiro constantemente. Ainda sou jovem e não sinto dores em decorrência do esporte, mas quero evitar esse problema futuramente, por isso, a flexibilidade do corpo é muito importante. Ela ainda melhora minha performance nas curvas. Faço alongamentos esticando o meu corpo inteiro, e conto com o auxílio de um rolo de espuma para isso”.

Remada perfeita

Para aproveitar melhor o seu tempo no mar, a atleta busca constante evolução no seu desempenho de remadas. “Preciso estar em uma ótima forma para executar as remadas, e isso só é possível com muita prática de surfe. Se estiver em uma condição plana, sem ondas, é interessante utilizar uma prancha maior para realizar uma remada mais longa. Isso costuma me ajudar muito.”