Molecada finaliza disputa

Nova geração fluminense encerra as disputas do Maricá Surf Pro/Am 2018, no último domingo (29), na praia de Ponta Negra, Maricá (RJ).

0
Lucas Bezerra comandou as ações no sábado em Maricá.

A nova geração do surfe encerrou as disputas do Maricá Surf Pro/Am 2018 no último fim de semana, na praia de Ponta Negra, Maricá (RJ).

No sábado, foram conhecidos mais cinco campeões do evento. Três cariocas, um baiano e um cearense conquistaram troféus de campeões do evento em mais um dia de ondas com excelente formação, apesar do tamanho não chegar a 1 metro.

O grande destaque do dia foi o cearense Lucas Bezerra, que na final da Mirim arrancou uma nota 9,00 pontos, score que só ele e a vice-campeã da categoria profissional feminino Kayane Reis conquistaram no Maricá Surf Pro/AM 2018 até o momento.

E a atuação que valeu a nota foi logo no início da bateria, quando ele executou duas forte manobras de borda de frontside numa esquerda. O cearense Cauã Costa veio na de trás quebrando de backside, mas arrancou apenas uma nota na casa dos 7 pontos e ficou sempre atrás, tentando encostar no líder Lucas, que se distanciou ainda mais.

Depois de 20 minutos de disputas, Lucas Bezerra, que está passando uma temporada de treinos no Rio, comemorou muito o título. “Estou muito feliz, pois queria muito ganhar esse evento. Agora vou focar no brasileiro amador, de olho numa vaga no mundial”, contou ele que pego apenas duas ondas na final, deixando para trás Cauã (2º), Valentino Belga (3º) e Felipe Alves (4º).

Rayan Fadul levou a melhor nas categorias Infantil e Iniciante.

Outro nordestino que comemorou na praia de Ponta Negra foi o baiano Rayan Fadul, que surfou com muita intensidade na finalíssima da categoria Iniciante, complicando o caminho de seus adversários.

O surfista, que vem conquistando excelentes resultados em competições no Rio de Janeiro, mostrou novamente seu estilo limpo com pressão nas manobras. “Muito feliz com essa vitória num um pico de altas ondas, num campeonato ‘da hora’ feito junto com os profissionais. Essa onda de Ponta Negra é muito boa, pegar um mar maior aqui com certeza é bem legal. Agora é seguir em frente com foco nos campeonatos”, disse Rayan que superou Pedro Henrique (2º), Antonio Carvalho (3º) e Kawa da Silva (4º).

Os outros títulos do sábado foram conquistados por cariocas. Na Open, Bernardo Bordovksy dominou as ações, vencendo a semi com o maior somatório do dia na categoria (12,00). Na finalíssima trocou de prancha e andou muito fácil nas pequenas, porém perfeitas ondas de Maricá. “Eu nunca tinha surfado aqui e fiquei surpreso quando cheguei. Não esperava me dar bem e acabei ganhando. Parabéns a FESERJ pelo evento irado, com uma estrutura irada. É o Rio de Janeiro voltando com tudo!”, falou Bernardo que deixou Bernardo Ribeiro em segundo, Juninho Malta em terceiro e Pedro Paiva na quarta posição.

Bernardo Bordovsky fez a festa na Open.

Na Feminino Mirim, deu Julia Duarte. A carioca, que atualmente mora em Maresias, onde treina no Instituto Gabriel Medina, entrou em sintonia com as séries de Ponta Negra, não deu mole nas oportunidades que teve e dominou a final. “Marzinho bom, parece com onde eu treino agora, em Maresias, com ondas abrindo. É a minha primeira vez em Ponta Negra. Quando cheguei muita gente falou que as ondas aqui eram ruins, que quebravam na areia, mas quando vi que estava perfeito, pensei, ‘não, é uma das melhores onda que tem! (risos)”, disse Julia que na categoria profissional do Maricá Surf Pro / AM 2018 foi até as quartas de final. No sábado, ela superou Laiz Costa (2ª), Tainara Vieira (3ª) e Mariana Areno (4ª).

A outra vitória de surfistas do Rio de Janeiro no sábado foi conquistada na categoria Surdos, com Pedro Jesus, que virou a bateria nos instantes finais, deixando Fabio Quintella em segundo e Andre Menezes em terceiro.

O domingo amanheceu com ondas de até meio metro e boa formação, cenário excelente para os surfistas com até 12 anos de idade. Quem se destacou foi Luana Paes, campeã da Feminino Infantil, que conquistou nove das dez melhores notas da categoria.

Campeã da Feminino Infantil, Luana Paes conquista nove das dez melhores notas da categoria.

Quem também comemorou no domingo, e pela segunda vez no Maricá Surf Pro/Am 2018, foi o baiano Rayan Fadul. O surfista, que no sábado faturou o troféu de melhor na Iniciante, dessa vez venceu as três baterias da Infantil e foi novamente campeão.

Caique Nunes deu um gás nos minutos finais e ameaçou, porém terminou como vice-campeão. Em terceiro ficou Rickson Falcão, e em quarto Rafael Lutfy, que marcou a maior nota (7.83) e a maior média do dia (13.33) e que vinha de excelentes apresentações, porém na final não voltou a entrar em sintonia com o outside de Ponta Negra.

Na Petit, para atletas com até 10 anos, Nathan Hereda dominou. O surfista fez as maiores marcas da categoria (nota 6.67 e média 12.67) e foi o campeão, deixando pra trás Pablo Gabriel (2º), que vinha forte da semifinal, além de Igor Oberlander (3º) e Ramon Kurpan (4º).

Nathan Hereda ficou com o título na Petit.

Resultados

Open

1 Bernardo Bordovsky
2 Bernardo Ribeiro
3 Juninho Malta
4 Pedro Paiva

Feminino Mirim

1 Julia Duarte
2 Laiz Costa
3 Tainara Vieira
4 Mariana Areno

Mirim

1 Lucas Bezerra
2 Cauã Costa
3 Valentino Belga
4 Felipe Alves

Iniciante

1 Rayan Fadul
2 Pedro Henrique
3 Antonio Carvalho
4 Kawa da Silva

Surdos

1 Pablo Jesus
2 Fabio Quintella
3 Andre Menezes

Infantil

1 Rayan Fadul
2 Caique Nunes
3 Rickson Falcão
4 Rafael Lutfy

Feminino Infantil

1 Luana Paes
2 Ayme Rezende
3 Allany Tuze
4 Sofia Amora

Petit

1 Nathan Hereda
2 Pablo Gabriel
3 Igor Oberlander
4 Ramon Kurpan

Veja mais fotos do fim de semana: