Flashback em Saladita

John Wolthers e Luiz Camarão relembram viagem às convidativas esquerdas de La Saladita, México.

John Wolthers rabisca as paredes do point de Saladita.

Com a recente flexibilização das viagens internacionais, notei dentro da família que nossa tribo continua capitaneando e fomentando a busca pelas ondas perfeitas.

Recentemente, meus filhos Alexandre e Jonas rumaram ao México, o que despertou um ‘flashback’ da minha própria viagem para o país, em 2013, quando surfei altas ondas na companhia de Luiz Camarão, Homero Antunes e Christian Wolthers.

À convite do Waves, eu (John Wolthers) e Luiz Camarão, o Mr. Shrimp, elaboramos o texto abaixo para relembrar esta inesquecível viagem.

John Wolthers, Homero Antunes e Luiz Camarão Camargo, membros do surf club Barriga Bowl e pioneiros do surfe no litoral paulista, estiveram no México em maio de 2013 para surfar as longas esquerdas de Saladita, El Rancho, Manzanillo Bay e Troncones.

Da Flórida (EUA), Christian Wolthers se uniu ao grupo, trazendo o fotógrafo e videomaker Bernardo Nogueira, além do seu team rider Darlan Lopes, duas vezes campeão Master da costa leste dos EUA pela NSSA.
 O grupo foi brindado com ótimas ondas de 1 a 2 metros quase todos dias. O crowd foi de pacífico a moderado nos horários de pico, e até inexistente em certos momentos.

Luiz Camarão sintonizado com o seu longbaord no pico.

Saladita, uma esquerda rasa e longa, confirmou a tradição. Pico dos legends da Califórnia (EUA), o grupo teve a honra de surfar ao lado de Corky Carroll e da ex-campeã mexicana de longboard Lourdes, que possui pousada e restaurante no local.
 Eles também surfaram em El Rancho, uma onda mais pesada e que segura com qualidade ondulações maiores de 3 metros, e Manzanillo Bay, um point mais cavernoso com entrada pelas pedras.

Esta viagem foi organizada por Luiz Camarão, que já estivera no pico em 2011.
 John embarcou de última hora, e Christian resolveu se juntar ao grupo para comemorar o seu aniversário de 55 anos. 
Homero também celebrou os 60 anos em grande estilo, surfando longas esquerdas. Entre os quatro pioneiros, havia mais de 150 anos de surfe acumulados.

Esta região do México oferece muitas opções de surfe, alguns poucos beach breaks e inúmeros point breaks. No entanto, 95% das ondas são esquerdas. 
Todas as praias são de laje, a maioria bem agressiva e rasa.
 Já em Saladita, a situação é mais tranquila, pois são pedras arredondadas, com facilidade de passar a arrebentação.

A melhor maneira é chegar é fazer uma conexão para Ixtapa, cidade turística com excelente estrutura, e que os locais dizem que rolam altas ondas. Saladita fica a cerca de 30 quilômetros dali, e a estrada de asfalto é boa. A dúvida é escolher entre se hospedar de frente ao pico, que oferece pousadas e restaurantes com bons preços e casas para alugar, ou nas melhores pousadas e restaurantes, que estão em Troncones e Manzanillo Bay.

Homero Antunes e a categoria de um pioneiro.

Alguns dados interessantes da trip:

– Na galeria abaixo, vemos um pescador que mergulhava nas águas rasas de El Rancho. Ele ia em busca uma iguaria mexicana, que é um molusco marítimo. O risco era de pisar nas arraias mexicanas, altamente venenosas e tóxicas.

– Em outra foto, podemos ver o mesmo mergulhador já com uma arraia arpoada. No Mercy!. Em todas as praias, podemos nos deparar com essas arraias e a melhor maneira de evitar suas terríveis ferroadas é ir arrastando os pés na areia quando se entra no mar, evitando assim pisar sobre elas.

– Como sublinhado no texto acima, um dos “highlights” da viagem foi ter encontrado, surfado e trocado ideias com Corky Carroll. Nesta época, ele estava com 66 anos e continuava surfando com maestria nas ondas de Saladita.

– Corky é multicampeão americano (5x), campeão do Smirnoff Hawaii e mora em Huntington Beach, Califórnia, mas possui casa em Saladita. No México, ele trabalha como corretor de mercado imobiliário, principalmente para surfistas americanos interessados em ter um imóvel, assim como ele, ao lado das ótimas ondas de Saladita.

– O que vimos na água foi muita classe, maestria, respeito dos locais e muita simpatia, confirmando a reputação de Corky. Nós o presenteamos com uma camiseta do grupo dos Pioneiros do Litoral Paulista, assim como o Gerry Lopez havia recebido outra camiseta alguns anos antes em Mentawai.

– Podemos aconselhar essa trip pelas inúmeras opções que o México oferece e para todos os níveis de surfe.