Carlinhos “Twin” do Itararé

Grandes personagens do surfe brasileiro prestam homenagem ao eterno Carlinhos “Twin” Argento (1951-2021).

0
Lendária loja da Twin, aberta em 1971 em frente ao prédio onde a família Argento morava em São Vicente.

Uma das grandes buscas do ser humano é o caminho para a imortalidade.

Algumas pessoas preferem talhar seu nome na história através de um grande feito, uma descoberta, uma invenção.

Carlos Argento viveu para criar, inovar e escreveu seu nome na eternidade.

O Museu do Surfe de Santos resgatou a memória das pessoas que conviveram e aprenderam com Carlinhos.

Além de suas obras, ele deixou o espírito Aloha na comunidade do surfe brasileiro.

Viva Carlinhos! Eterno.

“Minha primeira prancha foi uma Twin Surfboards, presente do Carlinhos Twin ao meu pai, Oracio Cocada, quando completei 9 anos de idade. A partir daí, começaram minha conquistas como surfista, conheci e surfei as melhores ondas do planeta, junto com velhos e novos amigos. Agradeço a Família Twin e meu pai por me mostrarem o caminho real do surfe”– Danylo Grillo, surfista e filho de Oracio Moraes “Cocada”

“Pioneirismo, vanguarda, visionários, amigos, corações gigantes, sempre com uma palavra acolhedora. Carlos e Eduardo Argento, grandes responsáveis pela moda surfe. Desejo de surfar para muitos, pranchas incríveis… isso é a Twin” – Mauro Rabelle, atual diretor presidente da Associação Santos de Surf

“Um pioneiro. Ele e o Eduardo foram uma inspiração no novo modo de vida surfe. Aquela casa no Itararé é um marco! O surfe saiu da garagem e chegou à avenida da praia. Foi o início de uma nova visão sobre o surfe. Os irmãos Twin, com certeza, sempre serão uma referência para o surf!” – Roberto Santini, Jornal A Tribuna

“A Twin foi marcante para uma geração. Fui muito influenciado pelo design das camisetas” – Turco Loco, empresário

“Já se ouvia falar deles quando estávamos começando a trabalhar com pranchas e lógico com o surfe. Marcaram época em Santos e SP e tive o prazer de trabalhar com Dudu na minha fábrica. Com certeza deixam um legado no mercado do surfe, grandes amizades” – Thyola, fabricante de pranchas Lightning Bolt

Eduardo e Carlos Argento, os “irmãos Twin”, visionários do mercado surfwear no litoral paulista.
Carlinhos Twin foi um dos primeiros incentivadores de Picuruta Salazar.

“Quando começamos a surfar a Twin já era uma marca muito moderna para a época… as lojas eram sonho de consumo… sem dúvida eles puxaram o surfe e a indústria para cima” – Alfio Lagnado, empresário

“Quando eu conheci a Twin comprei vários boardshorts e também andei no half pipe amarelo que tinha na frente da loja. O sonho de todos os surfistas da época era fazer parte da equipe” – Zé Paulo, surfista e presidente da Federação de Surf do Estado de São Paulo

“Quem faz história tem algo em comum: Paixão e enxergar a frente do seu tempo. Isso define os Twin. Numa época quase sem modelos ou exemplos a serem copiados, foram os primeiros a acreditar que uma surfshop, que a fabricação de pranchas com proposta profissional e a aposta no patrocínio de atletas seria algo viável. Foram um dos gatilhos do processo do desenvolvimento do surfe na região. Algumas pessoas viveram a história do surfe. Outras fizeram a história do surfe. Os Twin estão no segundo grupo” – Marcos Bukão, diretor de provas no surfe das Olimpíadas

“Desde que comecei a surfar em 1982 eu demorei uns cinco anos pra conhecer pessoalmente os famosos irmãos Twin. E o grande dia foi durante a etapa de abertura do circuito paulista de longboard na praia de Pernambuco, no Guarujá, lugar onde eu só surfava de pranchinha mas que decidi me aventurar na competição porque as ondas estavam grandes como eu gostava. Foi minha primeira participação na modalidade. O Dudu me emprestou seu long – laminado pelo Carlinhos – e eu venci na categoria Junior com ondas de até três metros. A partir disso eu me apaixonei pela modalidade e o grande marco dos Twins Brothers na minha vida foi terem participado diretamente desta minha paixão súbita pelo longboard. Que Deus os guarde surfando nas ondas celestiais!” – Daniks Fisher, surfista e big rider

“Eu era bem moleque e quando fui na primeira surf shop da região realmente fiquei fascinado pelas roupas e pranchas de surfe que eles já fabricavam. Com certeza os irmãos Twin foram os pioneiros e nos proporcionaram pensamentos infinitos com relação ao surfe e fazer parte dele. Aloha! RIP” – José Augusto, proprietário da Natural Art

“A Twin deixou um legado vasto. Quando eu tinha uns 8 a 9 anos, se não me engano, foi em 79, eu e meu irmão Lucio, fomos de bicicleta comprar a primeira parafina e foi na Twin na praia do Itararé e lá tinha um half Pipe enorme. E aquilo marcou muito nas nossas vidas e desde então fomos picados pelo surfe” – Lucinei Malas, presidente da Associação São Vicente de Surf

“A Twin foi o primeiro contato que eu tive com artigos de surfe, depois vindo trabalhar mais de 35 anos no mercado, tanto com acessórios como com confecção. Onde tive acesso as primeiras bermudas em Moema” – Ronaldo Tchim Piazza

Antigo logo da Twin Surfboards.

“Os irmãos Argento foram um canal de informação e nos traziam as novidades do universo do surfe, numa época em que não tínhamos acesso a nada. A primeira surf shop, com os equipamentos e personagens que gostaríamos de ter e ser. Desenvolveram designs que muito contribuíram para a evolução das pranchas que funcionavam para as ondas que tínhamos. Quebrando a tendência de copiarmos o que vinha de fora e não nós servia com tanta funcionalidade” – Edinho Leite, jornalista

“Eu com 14 anos foi a primeira surf shop que conheci, nem surfava ainda, mas passava a tarde na frente da loja de Moema. Com certeza foi uma das maiores inspirações que tive para chegar a me envolver com o surfe e fazer tudo que fiz” – Ricardo Piazza

“Pra mim, os irmãos Twin deixaram um grande legado pra todos nós que amamos o surfe! Foram visionários na época abrindo a loja Twin, me lembro até hoje a loja toda colorida, chamava atenção de quem passava na Avenida da Praia em São Vicente. Sou muito grata de ter tido a oportunidade de tê-los como amigos. Eles sempre me deram conselhos e me incentivaram pra seguir em frente. Levarei pra sempre o carinho que eles tinham com o surfe feminino. Aloha my Brothers!” – Diolanda Vaz, ativista do surfe feminino em Santos

“Sou amigo dos dois desde 1968. Minha primeira prancha foi uma Twin e meus primeiros clientes como loja foram eles” – Chico Preto, criador da SURFSOL

“Inovadora – essa é a palavra, começando pela fabricação das pranchas, montando uma loja e uma equipe de competição… isso foi muito inovador para época” – Silvio Silvério, presidente da Federação Paulista de Surf

“Em 1968, já contaminado pelo vírus das ondas, ainda desfrutando o deslizar nos pranchões e interessado na fabricação e evolução das pranchas, conheci os gêmeos de São Vicente, Dudu e Carlinhos Argento já trazendo inovações. As “mini models” que usavam mediam de 7 a 8 pés e os irmãos desempenhando não só na nova forma de surfar, visto que com a redução do tamanho das pranchas tudo se expandiu no mundo das ondas e experimentar era o que prevalecia, mas também na evolução das formas das pranchas com shapes até então nunca vistos. Manobras como “reversões” de direção, kick-outs aéreos e roller-coasters eram frequentemente apresentados, bem como biquilhas experimentais com dupla rabeta que antecederam em anos à aparição das Twin Fins…” – Ronaldo “Pardal” Hypolito

“Lembro de quando íamos de kombi pegar onda no Guarujá. O pai dele nos levava, com lanchinho e tudo para quando saíssemos da água famintos… os irmãos Argento e a Twin ficarão para sempre na memória dos que puderam conviver com eles. Duas pessoas maravilhosas e queridas!!!” Carla Canepa

“Algo que me marcou muito quando comecei a surfar e morava em São Paulo, era ir bater um fliperama onde hoje é a Surf Trip, depois ia na Brunella logo em frente tomar um sorvete e finalmente antes de ir embora de Moema passava na loja da Twin logo na mesma calçada e ficava simplesmente “viajando” nas pranchas e nas pinturas e desenhos… Fiz isso por muitos anos…, não dá para esquecer… ficou!” – Jefferson Alves, Editora Global

“Nos anos 70 era Twin em São Vicente (Divisa) e Homero em Santos (Conde do Mar). Twin tinham boas pranchas competitivas além da Surf Shop na qual vendi muitos importados e colares de Puka Shell para o Carlinhos e sua mãe… anos dourados my brother” – Roni Surf

Homero e Carlinhos Twin, figuras lendárias do surfe de Santos.

“A exitosa história do surfe brasileiro não seria totalmente entendida sem a contribuição decisiva do irmãos Argento. Poderia ser resumida em:
1) Grandes surfistas;
2) Talentosos shapers;
3) Visionários no surfwear e nos patrocínios a jovens atletas;
4) Exemplos marcantes no verdadeiro “Aloha Spirit” na comunidade do surfe;
Tive a sorte de ser testemunha desse legado e também de tê-los como amigos, tanto esperando uma onda da série no line up como em inúmeros momentos na cultura da praia” – Toni Barletta

“Morava em Santo André quando conheci a Twin através da revista POP. Coincidências à parte, nossas vidas sempre se cruzam com pessoas iluminadas. Ambos foram precursores do surfe no Brasil. Muitas lembranças e histórias, eternizadas na simplicidade de uma amizade que vislumbra o horizonte, sempre conectados com o MAR e a natureza que nos é plenitude. Carlinhos muito querido por esta comunidade, foi reencontrar Dudu. Somos espíritos imortais e soou como um até breve. Deixa saudades, mas nos alegra profundamente por tudo aquilo que puderam compartilhar conosco” – Alexandre Todt, Stone Brothers

“Um eterno buscador de inovações para o surfe. Inspirou muitos shapers que vieram no rastro, dentro dos quais me incluo. Respirava surfe e tudo isso em dose dupla, porque Dudu e Carlinhos vieram para revolucionar. Horas intermináveis de papo sobre pranchas. Good trip, brother” – Kareka, Shine Surfboards

“Os irmãos Twin, além de surfar muito bem, eram muito talentosos na fabricação de pranchas. Eram pessoas à frente do tempo, sempre pesquisando e lançando novidades. Sua influência no mercado foi muito importante para o desenvolvimento do surfe brasileiro” – Rico de Souza

“Foi uma longa história. Conheci os irmãos surfando no Itararé e depois comecei a fazer consertos na fábrica da Twin. Depois recebi o patrocínio da marca. Foi a Era de Ouro da Twin. Eles fabricavam tudo. Aprendi muita coisa com o Dudu e o Carlinhos. Foram muito diferenciados. A gente deve muito a eles. Ficou a história. O legado é muito forte” – Almir Salazar

“Carlinhos Argento, mais carinhosamente chamado de Carlinhos Twin, uma referência para todos nós surfistas, atleta, amigo, companheiro de outside, de competições, enfim. Saudades para sempre da pessoa, do ser humano, referência inconteste de tudo no surfe, criação, confecção, acessórios e em tudo que estivesse relacionado. Nossos corações, hoje tristes pela sua perda, são compensados pelas grandes e ótimas lembranças de tudo que nos proporcionou. Obrigado amigo, companheiro fiel, irmão do coração” – José Carlos Paioli

“O surfe dele tinha muita personalidade e manobras fortes. Eu gostava de ver. Foi uma grande influência no surfe da região– Musgão, kneeboarder

“Acredito ter tido minha primeira prancha da Twin com 13 anos de idade e lembro que já naquela época os irmãos Argento tinham uma visão bem futurística do esporte, design das pranchas, criação de surfwear e acessórios, tudo muito avançado para a época. Não demorou muito para que eu começasse a me interessar pelo surfe competitivo e daí pra frente o apoio deles foi fundamental, inscrições em campeonatos, uniformes para equipe, pranchas e equipamentos de primeira nos levavam para competir em outros estados. Em pouco tempo nos tornamos uma das equipes mais fortes do cenário surfístico e o resto é história. Meu profundo agradecimento à esses dois visionários do nosso esporte, Carlos e Eduardo Argento. Não só eu, mas o surfe em geral deve muito a eles. Big Mahalo uncles!!!” – Maurício Orelhinha, ex-competidor

“Carlinhos Twin: um ícone do surfe santista que nos deixou. Desde o começo de nossa jornada nesse esporte do reis havaianos, na praia de Itararé, dois garotos gêmeos, logo aderiram ao surfe e adotaram como estilo de vida: Dudu e Carlinhos, os irmãos Argento. Brilharam, fundaram a marca TWIN e dedicaram suas vidas ao surfe. Aloha, Carlinhos! Saudades” – Paulo Miorim

“A Twin foi uma grande influenciadora do meu negócio. Fabricamos muitas pranchas juntos. Foi uma época que produzimos bastante” – Delton Menezes, fábrica da Longboards Classic

“Os irmãos Argento eram os melhores santistas quando ganhei o campeonato do Itararé… me tornei amigo deles pois eram humildes e conversei bastante com forma especial. Depois de anos eles formaram-se empresários da Twin e fui chamado para ser patrocinado na época inicial do campeonato nacional de longboard e eles foram super legais e se esforçaram muito para me apoiar… agora eu honro em alta eles, os grandes surfistas do Brasil… Aloha!” – Carlos Mudinho

“Gratidão aos irmãos Twin por tudo que fizeram para a Família Salazar. Surfe Forever!” – Picuruta Salazar

“Apesar do sentimento de perda, o único sentimento que consigo expressar é de gratidão, por tudo que meus avós, primos, familiares, amigos e principalmente Dudu e Carlinhos fizeram pela Twin e pelo surfe no Brasil. A chama da Twin nunca se apagou, e agora sigo shapeando e dando continuidade nessa linda história que foi construída com tanto amor ao esporte. Mahalo Twin Ohana” João “Twin” Argento, surfista, shaper e filho de Dudu Argento

Leia mais:

Pioneiro falece em Santos

O nascimento da Twin