Verão faixa-preta

Lapo Coutinho, Marcio Grillo, Robson Santos, Caio Ibelli, Miguel Pupo e companhia desafiam as cracas de um final de semana nervoso em Maresias.

0

Ah, o verão… Estação marcada por muito calor, chuvas intensas, praias movimentadas, gente bonita, festas e poucas ondas. Essas são as características normais do verão no nosso litoral paulista como um todo.

Porém, essa temporada 2019/2020 temos algo diferente pairando no ar. Ondulações com pressão têm dado às caras por aqui. Dezembro já tivemos dois swells bons, um inclusive foi presente de Natal para aqueles que puderam estar presentes.

No último final de semana (18 e 19), o litoral norte paulista bombou como não se via há tempos durante o verão. Já era esperado uma forte ondulação conforme todos os sistemas de meteorologia previam. A excitação e ansiedade tomou conta da galera durante a semana como podia se ver nos stories postados no Instagram.

A previsão era do swell entrar já na sexta-feira mas com condições storm e vento maral. Sábado acordamos zero hora, conforme manda o ritual e já começamos a entrar em contato com os atletas e fazer o check dos picos do North Shore paulista para saber onde as condições estavam boas. Após várias mensagens trocadas e conforme já previsto pelos sites de previsão de ondas, tudo indicava que a Maresia iria quebrar de gala.

Lá fomos nós com destino a praia mais badalada do litoral paulista, mais conhecida no verão por suas festas do que pelas ondas. Chegando lá, parecia que o mar ainda acordava, ondas relativamente pequenas e nada de tubos.

Poucos surfistas na água, dentre eles o local Marcio Grillo e seu SUP estavam lá como de praxe, outro que adotou o lugar como casa nos últimos tempos Lapo Coutinho também já estava na água. Além deles, Felipe Oliveira e alguns free surfers. Aos poucos foram chegando mais surfistas e fotógrafos também. Primeiro a galera de Camburi, com Robson Santos, Renan Pulga e cia. Depois foi a vez de chegarem os irmão Pupo e os locais do Guarú, Caio Ibelli, Victor Bernardo e Herbert Moreno fizeram a travessia de balsa e pegaram a estrada rumo ao litoral norte paulista.

A essa altura o mar já tinha acordado e mudava rapidamente. Desde a coloração da água, marrom e escura pela manhã bem cedo, devido às chuvas dos dias anteriores, para aquele verde esmeralda que adoramos. Os poucos free surfers presentes na água foram saindo, o mar foi crescendo e os tubos começaram a rodar. Sobraram somente os atletas que mostraram muita disposição e atitude para se jogarem nas bombas de Maresias. Foi uma sessão de mais de três horas de surfe, com momentos épicos nesse período.

Depois fomos almoçar pois a fome batia e o mar já não estava tão bom. Após o almoço voltamos para a praia e esperamos o fim de tarde para mais uma sessão. Alguns tubos surfados e o mar continuava a crescer. A previsão indicava o pico do swell durante a madruga de sábado para domingo, com ondas que podiam atingir os 3 metros de altura.

E no domingo a previsão se confirmou, com ondas bizarras, fazendo com o que o surfe na remada fosse algo impossível. Mas isso é história pra outra matéria.

Esperamos que esse verão não mude e continue nos trazendo muitas ondulações ainda nos meses que restam. E tudo indica que próximo final de semana teremos mais ondas. Ahh, o verão…

Para saber mais sobre o trabalho do videomaker Anderson Ramalho, siga o perfil @stokedsoulfilms no Instagram.