Os foguetes de Ítalo

Edinho Leite acompanha a fabricação das pranchas que serão usadas pelo potiguar Ítalo Ferreira na perna australiana.

4

Enquanto Ítalo Ferreira se preparava para a perna australiana, Edinho Leite visitou a Silver Surf para um bate-papo com os shapers Tico e Teco, que fazem as pranchas do Top e nos contaram tudo sobre o mais novo quiver de Ítalo.

De acordo com os shapers, as pranchas demoram cerca de quatro semanas para serem fabricadas, mas a concepção do quiver é feita com base em estudos que ocorrem ao longo de todo o ano, levando em consideração as características das ondas onde rolam as competições e as informações passadas pelo surfista.

Para as etapas da Gold Coast, Margaret River e Bells Beach, foram produzidas 14 pranchas no total, com tamanho variando entre 5’10” e 6’4”.

Edinho descobriu que um dos grandes diferenciais nessa parceria é que o próprio Tico lixa as pranchas do Ítalo, algo incomum no surfe mundial. Explicando melhor, as pranchas têm um shape, depois são laminadas e passam por vários banhos de resina.

A cada etapa deste processo, a prancha precisa ser lixada, e se isso não for muito bem executado, o lixamento pode acabar alterando as características da prancha, literalmente mudando o shape.

Tico e Teco também mostraram a evolução das bordas das pranchas de Ítalo ao longo dos os anos. O potiguar tem parceria com eles há 10 anos e mudou muito fisicamente de lá pra cá. Para adaptar as pranchas ao surfe agressivo e inventivo de “Destemítalo”, Tico disse que eles dedicam muito tempo à colocação das quilhas, feita milimetricamente para controlar um pouco da velocidade do brasileiro.

Por fim, uma curiosidade é que cada prancha possui uma cor diferente com uma ficha descritiva com seu tamanho, largura, volume, rabeta, etc. Tudo isso para mapear o quiver e permitir que os shapers reconheçam em tempo real qual equipamento está sendo usado por Ítalo em cada bateria.