Slater nomeia espécie

Cientista brasileiro batiza espécie de minhoca com o nome de Saccocirrus slateri em homenagem ao 11 vezes campeão mundial.

0
“Minhoca-surfista” aproveita o movimento das ondas utilizando o grão de areia como uma espécie de prancha para se locomover pela praia.

O oceanógrafo brasileiro Maikon Di Domenico resolveu homenagear o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater ao colocar o nome científico de Saccocirrus slateri em uma espécie de minhoca que vive em praias arenosas.

A “minhoca-surfista” foi descoberta durante uma pesquisa científica em Lanzarote, Ilhas Canárias, Espanha.

A espécie aproveita a ação das ondas para se locomover pela praia. Com o movimento do mar, ela adere ao grão de areia e vai deslizando para cima e para baixo ao longo de seu percurso.

“É como se surfassem pela praia utilizando o grão de areia como prancha”, descreve Domenico, que trabalha como professor no Centro de Estudos do Mar da UFPR (Universidade Federal do Paraná).

Apesar de pequenas, as minhocas-surfistas são ecologicamente importantes, pois desempenham um papel relevante nos processos de sedimentação da praia. Além disso, também servem de alimento para outros animais maiores.

Kelly Slater curtiu o post de Maikon Di Domenico no Instagram e se disse lisonjeado pela homenagem.

View this post on Instagram

Meet Saccocirrus slateri, a new species of saccocirrid, also called surfing worm, named in honor to the mighty surfer Kelly Slater (@kellyslater) who has been crowned World Surf League Champion 11 times! Surfing worms live at sandy beaches, where they cope with the wave action adhering to the sand grains and gliding with them up and down along the beach profile – as if they surf on the beach bottom using a sand grain as a board! Despite small, surfing worms are ecologically important, as they might play an important role on beach sedimentation processes but also, as food for animals at higher tropic levels . Since they have been found ingesting microfibres/microplastic (Gusmão et al., 2016; Environl Pol, 216:584-590), they might be partially responsible for the transfer of microfibres and microplastics for higher trophic levels – becoming an interesting model to understand microplastic contamination. We want to thank the help of the Government of the Canary Islands, Cabildo de Lanzarote, and especially, the Lanzarote and Chinijo Islands UNESCO Geopark for supporting this research! #ocean #plastic #yourshore #stoppolluttion #microplastic #kellyslater https://link.springer.com/content/pdf/10.1007%2Fs12526-019-00991-7.pdf

A post shared by Maikon Di Domenico (@maik2dd) on