A descoberta catarinense

Documentário e livro Altas detalha a rica história do surfe catarinense.

1

O documentário e livro Altas – Histórias do Surfe em Santa Catarina, que vai contar um pouco mais da rica história do surfe catarinense, já começou a ser produzido. É um trabalho minucioso, que tem exigido dedicação, cuidado e atenção redobrada dos produtores.

“Ouvir os depoimentos e as histórias, ricas em detalhes, de nossos personagens, tem sido um grande privilégio”, afirma o surfe repórter Máurio Borges, que tem organizado o projeto, em parceria com o jornalista Luciano Burin, editor e produtor dos premiados ”Pegadas Salgadas” (2012) e ”A Pedra e o Farol” (2016).

O surfe explodiu no mundo durante a revolução cultural dos anos 60 e teve grande participação nas transformações comportamentais da época. Em Santa Catarina, as mudanças também foram fortes. É difícil dizer exatamente como aconteceu, mas relatos dão conta de que as primeiras ondas surfadas no litoral catarinense foram as do Sul do Estado, por famílias gaúchas, que vieram em busca de aventura em 1967.

De lá para cá, muitas histórias e ondas rolaram. O surfe se organizou, as praias catarinenses passaram a ser o palco de competições nacionais e internacionais, e o crescimento do esporte contribuiu para o desenvolvimento do turismo e comércio das cidades litorâneas.

Antonio Zanella
(Da esq. para a dir.) Bento Xavier, Jorge Hupsel, Máurio Borges, João Wallig e Luciano Burin durante as gravações do documentário.

O documentário já está em fase de produção, com a gravação de depoimentos de alguns personagens. Os pioneiros, as primeiras pranchas, os campeonatos, a organização do esporte em associações, as competições nacionais e internacionais, a expansão e o desenvolvimento de cidades impulsionadas pelo turismo e o surfe nos dias atuais farão parte dessa história.

Confira no trailer acima um pouco dessa fase embrionária do surfe nas ondas do litoral catarinense, com as primeiras fábricas de pranchas, as primeiras surf shops, as amizades, entre outras histórias.

No momento, a produção está coletando material (imagens, fotos e informações) da década de 1970 bem como procura parceiros e investidores. A ideia é lançá-los, filme e livro, em dezembro, com mais um grande encontro dos surfistas de Santa Catarina.

Foto de capa James Thisted