Petróleo invade o Nordeste

Mancha de óleo impregna praias de toda a região Nordeste do Brasil; com um mês de atraso, Governo e Polícia Federal abrem investigação para saber origem.

0
Reprodução / Salve Maracaípe
Visual assustador do óleo chegando à praia da Coroa do Meio, em Aracaju (SE).

O último balanço divulgado pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) aponta que já são 130 o número de locais no Nordeste afetados pelas manchas de óleo de origem desconhecida.

O número de municípios contaminados é superior a 60 em toda a região. Na última quinta-feira (3), as manchas atingiram o litoral da Bahia. A Petrobras afirma que o material encontrado não é produzido e nem comercializado pela empresa no Brasil.

Com um mês de atraso, o Governo Federal e a Polícia Federal abriram investigação – ao lado do Ibama e ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) – para saber a origem da mancha. O petróleo cru tem chegado às praias em diferentes intensidades desde o dia 2 de setembro.

A recomendação é de que as pessoas evitem o banho de mar, surfe e o consumo de frutos do mar nos locais afetados. Segundo reportagem do Estado de S.Paulo na última semana, 12 animais já foram atingidos pela substância, sendo 11 deles tartarugas marinhas – oito deles morreram.

Em nota, o Ibama informou ter requisitado apoio à Petrobras para atuar na limpeza das praias. Agentes comunitários estão sendo contratados pela petrolífera, que já havia realizado treinamento prévio para ocasiões em que fossem necessários esses serviços.

“A investigação do Ibama com apoio dos Bombeiros do DF aponta que o petróleo que está poluindo todas as praias seja o mesmo. Contudo, a sua origem ainda não foi identificada. Em análise feita pela Petrobras, a empresa informou que o óleo encontrado não é produzido pelo Brasil”, informou o órgão ambiental.

Nas redes sociais é possível ver moradores compartilhando vídeos e fotos dos locais e animais afetados. A recomendação do Ibama é que nestes casos a população acione os órgãos ambientais competentes para que os animais sejam avaliados antes de devolvidos ao mar.

Relatório divulgado pelo Ibama mostra os locais atingidos pelo óleo; mancha chegou ao litoral baiano na última quinta-feira (3).