Shape artesanal

Na fabricação de pranchas, a habilidade manual ainda tem tudo a ver com o produto final.

1
A tecnologia que vimos na The Board Trader Show 2017 ainda tem muito a ver com as mãos de artistas.

Mesmo com toda a tecnologia hoje aplicada às pranchas, podemos constatar que a habilidade manual ainda tem muito a ver com o produto final. Seguir o processo de fabricação de uma prancha que figura entre as mais “tecnologicamente” avançadas nos mostra duas coisas interessantes.

Primeiro: o processo de shape já avançou muito com o advento dos programas de design e as máquinas que realizam fisicamente o que mandam esses programas. Mesmo assim há margem para erros.

Se o arquivo com o design estiver perfeito ainda há o trabalho de quem ajusta toda a máquina de shape, para que o bloco esteja perfeitamente alinhado, seguro de maneira a não sofrer com vibrações indesejadas e seja shapeado com a ferramenta exercendo a pressão correta. O número de passadas da ferramenta que desbasta os blocos também entra na equação.

Contudo, a finalização do shape, especialmente em seus detalhes mais delicados, continua dependendo das mãos, olhos e talento humano, como você pode ver no vídeo abaixo:

Cada passo do processo de shape, mesmo quando realizado em grande parte por uma máquina, requer habilidade humana.

Segundo: A laminação, a fase em que o bloco de espuma shapeado e recoberto por fibras e resina, também teve progressos, quando pensamos em pranchas que utilizam laminação a vácuo, por exemplo. Mas a verdade é que, na maior parte dos casos, tivemos progresso quanto aos materiais utilizados muito mais do que a maneira de aplicá-los às pranchas.

A aplicação de fibras com resina é praticamente a mesma utilizada quando surgiram esses materiais. Basicamente você lamina com resina e fibra, depois aplica banhos só de resina para lixar sem comer a fibra e aplica outro banho para polir. Lixar requer uma habilidade praticamente de shaper. O processo de laminação pode alterar tudo o que o shaper criou, quando mal executado.

A finalização de um shape é um dos processos que ainda exige muito talento com as mãos.

Por enquanto, por mais industrializada que pareça a produção de uma prancha, ainda necessitamos de gente talentosa em todas as fases do processo.

Se você já tentou fazer uma prancha de cabo a rabo, sabe o trampo que é. Se não tentou ou viu, ficam esses vídeos que dão uma ideia rápida e a dica: Acredite, pranchas poderiam ser produtos ainda mais caros do que o que pagamos por eles.

A grande maioria das pranchas ainda é laminada de maneira artesanal e, por enquanto, essa ainda é a melhor maneira.