Sepultura faz a festa

Rock pesado do Sepultura sobe ao palco do Tom Brasil nesta sexta-feira (12) em São Paulo (SP).

0
Show terá setlist exclusivo, baseado em seis álbuns emblemáticos da banda.

O rock pesado do Sepultura fará a festa em comemoração ao Dia Mundial do Rock, 13 de julho. Um dia antes, nesta sexta-feira (12), Andreas Kisser (guitarra), Derrick Green (vocal), Paulo Jr. (baixo) e Eloy Casagrande (bateria) levarão os grandes sucessos da banda ao palco do Tom Brasil, em São Paulo (SP), no show Duas Trincas Concert.

Como o próprio nome diz, o repertório será baseado em seis discos emblemáticos do Sepultura – considerado referência do metal brasileiro no mundo – divididos em duas trincas.

“A primeira terá Beneath The Remains (1989), Arise (1991) e Chaos A. D. (1993), e a outra com Kairos (2011), The Mediator Between Head na Hands Must Be the Heart (2014) e Machine Messiah (2017). Vamos tocar três músicas de cada álbum para representar as melhores épocas da carreira do Sepultura. São os álbuns mais conceituados das duas fases. O setlist será exclusivo para este show”, explica o guitarrista Andreas Kisser.

Biografia Formado em Belo Horizonte, em 1984, o Sepultura passou a ser uma das principais figuras no cenário underground que florescia para o thrash metal. Com sonoridade inventiva e exuberante e ao mesmo tempo crua e primitiva, a banda rompeu preconceitos ao fixar a América do Sul no mapa do metal assim como ajudou a dar forma para algo novo e brutal no heavy metal desde seus primeiros álbuns, Morbid Visions, Schizophrenia e Beneath The Remains.

Obstinados a viajar para qualquer parte, o Sepultura construiu com firmeza uma das bases de fãs mais dedicada do planeta e, enquanto na década de 1990 muitas bandas tentavam se firmar criativa e comercialmente, os brasileiros conseguiram isso de ponta a ponta: em 1993, com Chaos AD, e em 1996, com Roots, clássicos instantâneos que provaram desde o lançamento serem extremamente influentes sobre várias gerações de músicos do metal.

A saída de Max Cavalera, frontman e membro fundador da banda em 1997. poderia ter descarrilado um grupo menos focado, mas mais tarde, naquele mesmo ano, a convocação do vocalista Derrick Green se provou um golpe de mestre.

As duas últimas décadas assistiram o Sepultura evoluir, diversificar e prosperar com o lançamento de uma sucessão de registros devastadores que adicionaram muita profundidade à ilustre biografia da banda. Da indiscriminada euforia causada pelo primeiro registro de Green no grupo, Against (1998), à Roorback (2003), para o brilhante e com riffs que guiam ao futurismo, Kairos (2011) e o extremamente aclamado The Mediator Between Head And Hands Must Be The Heart (2013), produzido por Ross Robinson, o progresso do Sepultura tem sido perpetuado com sua integridade artística impecável.

O álbum Machine Messiah é um disco com músicas cuidadosamente elaboradas, desafiadoras e impactantes. Lançado em 2017, traz o casamento perfeito entre os melhores solos de Andreas Kisser e a voz potente de Derrick Green, dois gigantes do heavy metal mundial.

Sonoridade e riffs bem encorpados são a essência do álbum. As faixas têm características únicas e não deixam de marcar a inovação musical do Sepultura.

Iceberg Dances, por exemplo, faz a guitarra de Kisser praticamente falar. “Há muitos elementos novos nesse disco e isso é algo que sempre fazemos. “Sempre colocamos 100% de energia e paixão. Falamos muito sobre tudo, especialmente quando chega a parte das letras e encontrar o melhor caminho para expressar o que queremos dizer”, afirma Kisser.

Andreas Kisser (guitarra), Derrick Green (vocal), Paulo Jr. (baixo) e Eloy Casagrande (bateria) celebraram recentemente os 33 anos de existência do Sepultura. Derrick tem um motivo a mais para comemorar: está há 20 anos à frente dos vocais da banda.

Para informações sobre como adquirir os ingressos, acesse o site Tom Brasil.

Show de abertura: Kisser Clan

O Kisser Clan é um dos projetos paralelos do guitarrista Andreas Kisser (Sepultura). Nele, Andreas toca e canta clássicos do rock e heavy metal ao lado de seu filho Yohan Kisser (guitarrista/voz), Amilcar Christófaro (baterista do Torture Squad) e de Gustavo Giglio (baixista).

Desde 2013, os shows do Kisser Clan são marcados pela celebração de todas as vertentes do rock, com clássicos que inspiram as vidas e carreiras dos músicos envolvidos. No repertório: Black Sabbath, The Beatles, Metallica, AC/DC, Judas Priest, Scorpions, KISS, Anthrax, Slayer, Iron Maiden, Sepultura e outros (e muitas surpresas).

Destaque no novo palco Rock District no Rock in Rio 2017, a banda segue fazendo show por todo o Brasil e já é presença confirmada no Rock in Rio 2019.