Piscina promissora

Resort com investimento de US$ 200 milhões pode ganhar piscina de ondas desenvolvida pela Kelly Slater Wave Company em Coachella Valley, Califórnia (EUA); construtores apostam no surfe para inovar região tomada pelo golfe.

0
Resort luxuoso com investimento de US$ 200 milhões pode ganhar piscina de ondas de alto nível em Coachella Valley (EUA). Foto: CCY Architects

Um resort luxuoso projetado para ser construído em La Quinta, na região de Coachella Valley, sul da Califórnia (EUA), pode ganhar uma piscina de ondas com grande potencial.

A proposta do empreendimento Coral Mountain é combinar um hotel e um alojamento com 647,5 mil metros quadrados, que já foram aprovados por uma comunidade centrada no golfe.

Porém, com mais de 100 campos de golfe já servindo a região, os construtores esperam se destacar com um complexo de US$ 200 milhões construído em torno de uma piscina de ondas criada pela Kelly Slater Wave Co. A empresa de engenharia de Solana Beach fundada pela lenda do surfe Kelly Slater diz que fornecerá os maiores e mais largos tubos já feitos pelo homem no mundo.

Ao investir no surfe e em outros esportes de aventura, os desenvolvedores pretendem criar um novo tipo de bairro para a área de Palm Springs, que sofreu uma mudança demográfica nos últimos anos em relação aos visitantes mais jovens e moradores.

O Coral Mountain seria uma “comunidade baseada em ondas”, a primeira desse tipo, diz Garrett Simon, da Meriwether Cos, com um hotel de 150 quartos e 600 casas, a maioria residências unifamiliares com preços entre US$ 1 milhão e US$ 5 milhões. Haveria um clube privado e vários locais para refeições.

Além da piscina de ondas com mais de 68 milhões de litros, haveria uma rede de lagoas em que os hóspedes e residentes do hotel poderiam remar de Stand Up Paddle ou pranchas de hidrofólio.

Área projetada para a construção do Coral Moutain em La Quinta. Foto: Andy Potts Photography

Para os entusiastas de esportes de aventura em terra, haveria pistas de skate, trilhas de de bicicleta e também para mountain bikes e motocicletas elétricas.

A dinâmica dos desenvolvedores do golfe para os esportes mais ativos também reflete as fortunas em declínio da indústria do golfe.

Centenas de campos de golfe nos EUA fecharam nos últimos anos, com o número de jogadores e rodadas diminuindo, de acordo com relatórios do setor. Um excesso de oferta de campos, que costumavam ser construídos para vender casas próximas, contribuiu para os desafios do setor de golfe.

O Coral Mountain seria a segunda fase do adjacente Andalusia Country Club, inaugurado em 2006, explica Simon.

Mas, como relatou o Desert Sun, o espaço lutou com as vendas de imóveis e a associação a clubes de campo após a recessão que começou em 2008. A Meriwether Cos. adquiriu a propriedade em maio passado.

Como o lugar já foi aprovado para construção, Simon espera que sua empresa possa garantir a aprovação da cidade para iniciar a construção em Coral Mountain até o início do próximo ano e abrir para negócios em meados de 2022.

Piscina deve contar com a tecnologia da Kelly Slater Wave Company, responsável pela construção do Surf Ranch.

Seria um dos poucos parques de surfe planejados para o Coachella Valley, incluindo a adição de piscina de ondas ao antigo parque aquático Wet ‘n Wild, em Palm Springs, como parte de uma grande reforma. A atração fechada deve reabrir este ano como Palm Springs Surf Club.

O investidor Michael B. Schwab, da Big Sky Developments, ficou impressionado com o protótipo existente de Slater na área agrícola de San Joaquin Valley.

O Surf Ranch de Slater transformou a pequena Lemoore em uma “Meca do surfe”, disse Schwab, em parte porque as ondas feitas à máquina podem acelerar o processo de aprendizado de um esporte difícil. E foi assim com ele.

“Eu sabia que, se tivesse uma onda perfeita e repetitiva, poderia melhorar”, disse ele. E o que ele aprendeu “foi transferido para o surfe no mundo real”.

Schwab espera que o Coral Mountain possa atrair surfistas experientes, mas também apresente novatos desencorajados com a perspectiva de tentar pegar as ondas que podem surfar no oceano.

Cerca de 25 pessoas poderiam surfar de cada vez, com cinco ou mais surfando na onda principal e 10 surfistas em cada uma das duas baías da piscina, onde as ondas seriam menores.

Com o surfe e outros esportes ativos, o Coral Mountain “será para pessoas que querem sair de sua zona de conforto”, disse Schwab.

Fonte: Latimes.com