Monique chega junto

Monique Pontes inicia temporada com dois pódios no circuito brasileiro e celebra boa fase nos pranchões.

0
Monique Pontes crava a maior nota do Jericoacoara Festival entre as mulheres.

Aos 31 anos, Monique Pontes não esconde o sorriso pela ótima fase que vive no esporte. Recém-chegada de uma viagem à Austrália, ela partiu com tudo para a primeira etapa do Circuito Brasileiro de Longboard, encerrada no dia 24 de março, em Jericoacoara (CE), onde fez pódio em duas finais e trouxe para São Vicente (SP) os troféus de terceira colocada (Open Feminino) e quarta colocada (Profissional) no evento que reuniu a nata do esporte.

“Após a Austrália, retornei ao Brasil com sede de surfe. Logo que cheguei, encarei um jet leg horroroso e fui pra água treinar porque em uma semana eu teria de competir no Brasileiro. Embarquei para Jericoacoara e tinha uma meta: subir ao pódio! Graças a Deus não subi uma, mas duas vezes”, declara a longboarder.

Para ela, a maior satisfação foi a sintonia que apresentou durante a prova, que garantiu a melhor nota do evento entre as garotas (9.00). “Estou extremamente feliz. Não somente com o resultado, mas por surfar realmente bem. Me senti à vontade na água e isso com certeza fez muita diferença. Consegui a maior nota entre as meninas. Já conhecia a onda de Jeri, mas não me dei bem na etapa de 2018. Eu sabia que teria que treinar para melhorar este ano e acho que acertei”, explica.

Sobre o pico e a prova, a atleta é só elogios. “As ondas são perfeitas, mas pequenas e a variação grande de maré faz com que mudem muito rápido. Cada bateria é uma escolha diferente de posicionamento no pico e a leitura da onda é primordial. O evento tem surpreendido, pois transforma Jeri em um grande palco para o surf. A cidade comporta o evento e a dedicação da organização é excelente”, completa.

No calendário do ano, a surfista encara ainda três etapas da World Surf League South America e mais duas etapas internacionais de acesso ao mundial, além de duas etapas do circuito brasileiro. “Estes dois últimos anos tem sido de grande aprendizado. A princípio existe mais duas etapas do Brasileiro e terão também duas etapas do circuito feminino realizado pelo Wiggolly Dantas e eu quero muito estar lá! Este ano serão muitos eventos e estou bem animada”.

A empolgação continua quando Monique recorda como foi sua estreia nas ondas australianas, sonho de todo surfista. “A Austrália realmente é incrível, possui clima extremamente agradável, praias lindas, limpas, com estrutura para o surfista, comida boa, povo receptivo, os brasileiros que moram lá nos receberam de braços abertos”, recorda.

Monique (última à direita) comemora o quarto lugar entre as profissionais.

De acordo com Monique, em termos de resultado a temporada na Austrália não foi o esperado. Mas, a experiência serviu de motivação. “Apesar da competição não sair como queria a experiência de conhecer um país novo, surfar uma onda perfeita, estar com os melhores atletas de longboard do mundo foi algo que realmente me inspirou, me deixou com mais vontade de surfar, treinar e fazer o que amo”, diz.

No surfe, Monique encontrou grandes amigos. “São meus ídolos, sempre preocupados em me ajudar com dicas e compartilhando a experiência. Sinto que tenho evoluído e quero mais! O suporte do meu marido (João Renato Moura, educador físico, referência no longboard e vice-campeão sul americano de canoa havaiana) também foi maravilhoso! São poucas competições que conseguimos ir juntos, por conta da logística familiar e custos, mas ele com certeza foi meu amuleto da sorte. Acredito que o resultado veio do trabalho que fizemos o ano passado e o início desse ano”.

A surfista conta ainda com uma equipe para auxiliá-la: psicóloga para cuidar da estrutura emocional; o experiente Jaime Viudes que lapidou o surfe e também deu ritmo de bateria e estratégia; e o doutor Frans, médico do esporte que cuida da minha saúde no geral.

Pra completar, o início de ano marcou a estreia de Monique nas telinhas. Ao lado de outras atletas referências do esporte, a surfista estreou o programa Serenas, no canal por assinatura Woohoo. “Foi muito legal, recebi muitas mensagens da galera que tem acompanhado. Acredito que o programa veio em um ótimo momento com a visibilidade que tem tomado o surfe feminino. Quero agradecer a todos que me apoiam e acreditam nesse trabalho”.