Carissa Moore é tetra

Carol Marks é eliminada nas quartas do Maui Pro e Carissa Moore garante o tetracampeonato mundial.

0
Havaiana Carissa Moore confirma o favoritismo e garante a taça pela quarta vez na carreira.

Depois de avançar às semifinais do lululemon Maui Pro em Honolua Bay, a havaiana Carissa Moore viu a californiana Caroline Marks ser eliminada pela australiana Stephanie Gilmore e finalmente pôde comemorar o seu quarto título do Championship Tour da WSL. A última etapa da temporada foi finalizada nas belas direitas havaianas, na última segunda-feira (2/12), com vitória de Stephanie Gilmore, que na final superou a compatriota Tyler Wright.

Clique aqui para ver as fotos

Nas quartas, Carissa não tomou conhecimento da australiana Nikki Van Dijk e somou duas notas 8.00 para deixar a adversária precisando de uma combinação de 16.00 pontos.

Com a classificação da líder do ranking, a tensão voltou para Carol Marks, que precisava chegar no mínimo à decisão em Honolua Bay para brigar pela taça. Em um duelo que começou devagar, Marks viu Stephanie Gilmore arrancar 7.00 pontos dos juízes e colocar pressão no outside.

O tempo foi passando e a californiana de 17 anos buscava 5.68 para virar o placar.

Faltando pouco mais de dois minutos para o término, Stephanie usou bem a prioridade e aumentou a vantagem. Na outra onda, Marks partiu em busca da virada, mas, apesar do tamanho, a direita foi bem volumosa, sem tantas partes críticas, para a tristeza da californiana e alegria de Carissa Moore, campeã mundial de 2019.

“Eu só estava tentando manter meu foco e as emoções sob controle, mas é uma loucura ser campeã mundial de novo”, disse Carissa Moore. “É incrível, porque foram anos de muito trabalho, anos de aprendizado e de crescimento. Cada título foi um pouco diferente e este, talvez, tenha sido o mais difícil. Disputar o título com a Caroline (Marks) e a Lakey (Peterson) foi incrível. As duas realmente me pressionaram e eu não estaria aqui sem a minha equipe de trabalho, então agradeço a todos e estou muito feliz em poder compartilhar isso com eles, com minha família e com meus amigos que estão aqui”.

Caroline Marks e Carissa Moore representam os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Carissa Moore entra agora, para um seleto grupo das surfistas que conquistaram quatro títulos mundiais na World Surf League. Eram cinco, as australianas recordistas com sete cada, Stephanie Gilmore e Layne Beachley, as norte-americanas Lisa Andersen e Freida Zamba e a sul-africana Wendy Botha. A surfista de Honolulu tem 27 anos e vai participar de um momento histórico, da estreia do surfe nas Olimpíadas de Tokyo 2020, representando os Estados Unidos junto com a vice-campeã mundial de 2019, Caroline Marks, de 17 anos apenas.

“Eu sonhei com este momento por muito tempo”, continuou Carissa Moore. “Seguir os passos do Duke (Kahanamoku, surfista havaiano que disputou natação numa Olimpíada), me dá até arrepios só de pensar nisso. Mas será, certamente, muito especial para mim. Espero poder levar nosso espírito Aloha para Tóquio e fico realmente orgulhosa e honrada, em representar os Estados Unidos e o Havaí nas Olimpíadas”.

A etapa foi vencida pela australiana Stephanie Gilmore, que impediu uma festa completa de Carissa ao derrotar a havaiana na semifinal, totalizando 15.94 pontos, contra 15.07 da adversária.

A australiana chegou embalada à decisão e em seguida superou a compatriota Tyler Wright, que estava afastada das competições desde a última temporada, quando foi diagnosticada com Influenza A.

Na final, Stephanie somou 7.33 e 6.83, contra 6.00 e 3.67 de Tyler.

“Eu não poderia imaginar uma pessoa melhor para fazer uma final aqui comigo, do que a Tyler. É muito bom ela estar de volta e surfando melhor do que nunca, então mal posso esperar para vê-la no próximo ano”, disse Stephanie Gilmore, que conquistou seu sétimo título em 2018, mas ficou fora da briga esse ano. “Parabéns a Carissa e a Caroline. A Caroline é um talento incrível para o nosso esporte e vai disputar muitos títulos nos próximos anos. Parabéns a todas as meninas pelo excelente ano que tivemos, ganhando a mesma premiação dos homens e tenho muito orgulho de fazer parte desse momento especial da WSL. E parabéns a todas as olímpicas. Nos vemos em Tóquio 2020”.

Stephanie Gilmore vence etapa em Honolua.

Quem também chegou junto em Honolua foi Tatiana Weston-Webb, brasileira criada no Havaí. A gaúcha foi até a semifinal, mas parou diante de Tyler, terminando em terceiro lugar na etapa e em sexto no ranking final da temporada.

Tati será uma das representantes do Brasil nas Olimpíadas, assim como Silvana Lima. Apesar de ficar em 12º lugar no Championship Tour 2019, e fora da elite no próximo ano, Silvana garantiu a oitava e última vaga olímpica. Apenas duas atletas por cada país podiam se classificar para os Jogos de Tóquio e cinco norte-americanas e três australianas ficaram à frente da costa-riquenha Brisa Hennessy e de Silvana Lima, donas das duas últimas vagas nos Jogos.

Ao término do lululemon Maui Pro, as oito elegíveis para as Olimpíadas do Japão pelo ranking da WSL são Carissa Moore e Caroline Marks pelos Estados Unidos; Stephanie Gilmore e Sally Fitzgibbons pela Austrália; Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima pelo Brasil; Johanne Defay pela França e Brisa Hennessy pela Costa Rica.

As outras 12 participantes da categoria feminina nos Jogos sairão de outros eventos como o ISA Games 2019, ISA Games 2020 e os Jogos Pan-Americanos de 2019.

Tyler Wright, Carissa Moore e Stephanie Gilmore no pódio da etapa.

Resultado do lululemon Maui Pro 2019

1 Stephanie Gilmore (AUS)
2 Tyler Wright (AUS)
3 Carissa Moore (HAV)
3 Tatiana Weston-Webb (BRA)
5 Sally Fitzgibbons (AUS)
5 Johanne Defay (FRA)
5 Carol Marks (EUA)
5 Nikki Van Dijk (AUS)

Top 10 do CT Feminino 2019

1 Carissa Moore (HAV) 59.940
2 Caroline Marks (EUA) 55.545
3 Lakey Peterson (EUA) 55.125
4 Stephanie Gilmore (AUS) 49.810
5 Sally Fitzgibbons (AUS) 48.950
6 Tatiana Weston-Webb (BRA) 41.560
7 Courtney Conlogue (EUA) 41.080
8 Johanne Defay (FRA) 38.085
9 Malia Manuel (HAV) 35.155
10 Nikki Van Dijk (AUS) 28.625

Ranking final do QS feminino depois de 36 etapas*

1 Isabella Nichols (AUS) – 23.900 pontos
2 Bronte Macaulay (AUS) – 22.050
3 Sage Erickson (EUA) – 19.600
4 Tatiana Weston-Webb (BRA) 18.400**
5 Brisa Hennessy (CRI) – 16.350
6 Macy Callaghan (AUS) – 14.900
7 Keely Andrew (AUS) – 14.250
8 Amuro Tsuzuki (JAP) – 14.080
9 Caroline Marks (EUA) – 14.000**
10 Alyssa Spencer (EUA) – 13.980
11 Zahli Kelly (AUS) – 13.350
12 Chelsea Tuach (BAR) – 12.790
36 Silvana Lima (BRA) – 6.950

*As seis primeiras estão classificadas à elite mundial de 2020.
**Garantidas na elite pelo ranking do CT.

Tops do Championship Tour feminino em 2020 (uma vaga ainda será concedida a uma convidada)

Carissa Moore (HAV)
Caroline Marks (EUA)
Lakey Peterson (EUA)
Stephanie Gilmore (AUS)
Sally Fitzgibbons (AUS)
Tatiana Weston-Webb (BRA)
Courtney Conlogue (EUA)
Johanne Defay (FRA)
Malia Manuel (HAV)
Nikki Van Dijk (AUS)
Isabella Nichols (AUS)
Bronte Macaulay (AUS)
Sage Erickson (EUA)
Brisa Hennessy (CRI)
Macy Callaghan (AUS)
Keely Andrew (AUS)

Atletas classificadas para os Jogos do Japão pelo ranking da WSL

Carissa Moore (HAV)
Caroline Marks (EUA)
Stephanie Gilmore (AUS)
Sally Fitzgibbons (AUS)
Tatiana Weston-Webb (BRA)
Johanne Defay (FRA)
Brisa Hennessy (CRI)
Silvana Lima (BRA)