Monik Santos em ascensão

Campeã da etapa anterior, pernambucana Monik Santos quer repetir boa atuação na disputa final do Circuito Brasileiro Feminino, em Itamambuca, Ubatuba (SP).

0
Monik Santos busca um patrocinador principal para disputar o QS em 2020.

Vindo de importante vitória na etapa anterior, a pernambucana Monik Santos quer repetir a boa atuação na final do Circuito Brasileiro de Surf Feminino, nos próximos dias 18 a 20 de outubro, na Praia de Itamambuca, Ubatuba (SP).

Mais do que os 3.000 pontos no ranking que definirá a campeã 2019 da Associação Brasileira de Surf Profissional (Abrasp), ela espera chamar a atenção para conseguir um patrocinador principal e seguir com seus sonhos na carreira, competindo nas etapas do Mundial.

“As expectativas são as melhores possíveis e continuo focada em fazer o meu surfe, sem muita pressão”, afirma. “Meu objetivo em 2020 é competir o Circuito Mundial QS (Qualifying Series), mas para isso, preciso de patrocínio para poder sonhar com uma vaga no CT (Championship Tour)”, comenta a atleta de 27 anos, que começou a surfar aos 10, em Maracaípe e ano passado foi a quarta colocada no ranking sul-americano da World Surf League (WSL).

O evento é realizado graças ao convênio firmado entre a União, por intermédio da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania, e a Prefeitura Municipal de Ubatuba, e as inscrições seguem abertas até esta quarta-feira (16), às 16 horas. Informações pelo WhatsApp (21) 99140-9715, com Pedro Falcão.

Além da Pro Adulto, o Circuito Brasileiro de Surf Feminino tem disputas na Pro Júnior, também valendo título da Abrasp, Longboard e as categorias amadoras de base Sub 16, Sub 14, Sub 12 e Sub 10.

Atleta vem de vitória na última parada do Circuito Brasileiro em Itamambuca.

Na etapa anterior, Monik venceu e convenceu na principal categoria da competição, com direito à maior média do evento – 15.75 pontos, somando 8.25 e 7.50, ao superar a cearense Larissa dos Santos, a atual campeã e líder, Camila Cássia (competindo em casa) e a paranaense Jessica Bianca, para faturar R$ 4 mil dos R$ 15 mil de premiação. “A vitória me deu confiança! Vinha de alguns resultados ruins e esse resultado me renovou”, conta a atleta, que se inspira no surfe de Silvana Lima, Bethany Hamilton, Carissa Moore e Stephanie Gilmore.

Monik também elogia a iniciativa do surfista Wiggolly Dantas, que há cinco anos promove o campeonato exclusivo para mulheres, válido pelo título nacional. “Sem dúvida, é um evento muito importante para o surfe feminino. A Família Dantas criou essa competição, quando não tinha mais disputas femininas no Brasil. Muito gratificante ver a nova geração ter um encontro desse nível”, destaca.

“O surfe brasileiro feminino está em ascensão. Vejo meninas de todas as idades querendo competir, surfando muito. Acredito que se tiverem oportunidade, teremos mais atletas na elite do surf mundial”, reforça Monik também enaltecendo a praia onde o Circuito é realizado. “Itamambuca é um lugar incrível, altas ondas, natureza maravilhosa. Amo competir lá”, ressalta a atleta que atualmente compete com os apoios de Neuronha, pranchas Fábio Gouveia e blocos Teccel.

Idealizado pelo surfista Wiggolly Dantas, o Circuito Brasileiro de Surf Feminino em Ubatuba é resultado de convênio firmado entre a União, por intermédio da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania, e a Prefeitura Municipal de Ubatuba. Patrocínio: Wizard by Pearson, Radical Times, Ubadesklimp e Ubasurf Motors. Apoio: Banana Wax, Padaria Itamambuca, Gangster e Quiosque Tia Albertina, Dantas e ONG Esmeralda. Colaboração: Fisioterapia Sérgio Neri, Pono Beachwear, Gigi Watery, Silva Indaiá Supermercado, Floricultura Rosa de Sarom, Pizzaria São Paulo, Lazybbag, EaD Unitau, Byrne e Firma. Divulgação: Waves e FMA Notícias. Supervisão técnica: Associação Brasileira de Surf Profissional (Abrasp), Federação Paulista de Surf e Associação Ubatuba de Surf (AUS).