Ian avança com vitória

Ian Gouveia conquista única vitória brasileira no segundo dia da Vans World Cup of Surfing em Sunset; João Chianca, Alejo Muniz e Weslley Dantas também avançam.

0
Ian Gouveia no ataque em Sunset.

Ian Gouveia atacou de backside as direitas de 2 metros com séries maiores de Sunset, no no lado norte da ilha havaiana de Oahu, e foi o único brasileiro que venceu no segundo dia de ação da Vans World Cup of Surfing, QS 10.000 que fecha o ano na divisão de acesso.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

Oito brazucas competiram na quarta-feira e quatro avançaram para o terceiro round, mas só Ian com vitória. O segundo dia da prova, que também é válida pela Tríplice Coroa Havaiana 2019, teve todas as 16 disputas da fase 2, e Ian competiu no quinto duelo. O brasileiro partiu pra cima das direitas com um backside afiado e chegou a surfar cinco ondas, tendo como melhor nota 7.60, a quarta maior do dia.

“Sinto-me bem de já estar de novo com a lycra (de competição) direto de Haleiwa pra cá. Amarradão de ter encontrado um bom ritmo no início da bateria. Conseguiu pegar uma onda logo que a bateria começou, isso me deixou num bom ritmo durante a bateria e aqui é um lugar difícil disso acontecer. Eu estava muito instigado em Haleiwa nos primeiros rounds, perdi na quarta fase e fiquei pensando o quanto eu gostaria de estar na final, mas continuo instigado e vou fazer o meu melhor para chegar até a final aqui”, disse Ian logo após o confronto.

Sunset bomba séries de 2 metros de altura para as disputas da segunda fase.

João Chianca, Alejo Muniz e Weslley Dantas também avançaram. João fez um surfe agressivo e arrancou duas notas 5.67. Luel Felipe começou mal no confronto, mas quase tomou a segunda posição de seu compatriota com um ataque de duas manobras, uma rasgada e uma batida expressiva que valeram 6.10 num momento em que ele precisava de 6.67. O tempo passou e Luel não conseguiu pegar outra direita com potencial, sendo eliminado em terceiro lugar. O vencedor do duelo foi o australiano Mitch Crews, que sobrou na bateria com manobras velozes, verticais e também de borda. O havaiano Kiron Jabour terminou na quarta posição.

A bateria com os brasileiros Samuel Pupo e Alejo Muniz teve uma primeira metade lenta, mas com onda, seguida de uma longa calmaria e um fim agitado com direitas intermediárias e pequenas sendo surfadas.

Samuel foi o que começou melhor. O brasileiro pareceu sofrer em alguns momentos da onda por falta de intimidade com a prancha grande, mas, quando partia para as manobras, era radical e veloz. Ele abriu com 4.93 pontos. Alejo foi o que mais demorou pra iniciar, mas abriu bem com uma forte rasgada num primeiro momento, depois acelerou pra passar a seção, fez mais um movimento, só que lento, e atacou a junção. Tudo isso valeu 5.23.

Os brasileiros competiram contra dois norte-americanos. Cam Richards errou na primeira direita, mas colocou 7.17 no somatório, o que o deixou mais tranquilo. Ian Crane teve um início com 4.50 e ficou no bolo que brigava pela segunda vaga. Após uma longa calmaria, Alejo pegou uma que não rendeu e na de trás surfou Ian Crane, que, mesmo sem ser também uma onda da série, fez boas curvas e anotou 4.33, pontuação que o levou para segundo lugar, jogando Samuel pra último.

Quando restavam quatro minutos para o fim, Samuel tinha a prioridade, mas quem surfou foi Alejo, que pegou uma que apareceu e ele a espremeu até o inside. E ainda deu tempo de vir Ian e na sequência Samuel, já nos segundos finais. Alejo precisava de 3.60 e fez 4.37, indo para segundo. Ian passou a necessitar de 5.11 e tirou 4.63 (4º), sendo eliminado junto com Samuel (3º), que necessitava de 4.68 e ganhou 4.47.

Samuel chegou na perna havaiana na lista parcial de classificados para a elite de 2020, mas foi eliminado nas primeiras participações nas duas provas e não conseguiu seguir entre os dez melhores.

Samuel Pupo perde na estreia e terminar QS 2019 fora da lista dos dez melhores.

Weslley Dantas participou do último confronto. O brasileiro foi bem e só perdeu a liderança perto do fim para o norte-americano Nat Young. Os dois eliminaram o francês Tristan Guilbaud e o sul-africano Adin Masencamp.

Baixas brasileiras – Além de Samuel e Luel, as baixas do Brasil na quarta-feira foram Tomas Hermes e Thiago Camarão. O primeiro caiu de uma forte manobra no início da bateria, mas depois se reergueu e chegou a ficar entre os dois classificados, porém sofreu a virada. E o segundo, Thiago, participou de uma das disputas mais difíceis do dia. Foi nela que o australiano Jack Robinson marcou a maior nota do round (8.67) e o maior somatório (16.07). Quem avançou em segundo lugar foi o francês Charly Martin, com 14.36 de somatório, o quarto melhor do dia.

Vagas no CT 2020 – Ian Gouveia e Jessé Mendes são os únicos que podem aumentar o número de brasileiros classificados para o CT 2020 pelo ranking de acesso, mas já precisam ficar entre os dois primeiros colocados na grande final da Vans World Cup. Os já garantidos são o potiguar Jadson André (2º do ranking), o catarinense Yago Dora (3º) e os paulistas Alex Ribeiro (4º) e Miguel Pupo (5º).

Ian chegou em Sunset Beach em 29º no ranking e Jessé em 33º, então eles têm que passar quatro baterias para chegar na decisão do título e ainda ficar no mínimo em segundo lugar para ultrapassar os 17.950 pontos do já eliminado nono colocado no ranking, Jake Marshall. Jessé faz parte do CT este ano, mas está fora do grupo dos top-22 que são mantidos na elite e tenta garantir sua permanência pelo Qualifying Series.

Ele é o primeiro dos dez cabeças de chave do Brasil a estrear na terceira fase, na terceira bateria, com o americano Conner Coffin e dois havaianos que vieram da segunda fase, Billy Kemper e Imaikalani Devault. Ian Gouveia também terá uma parada duríssima na quinta bateria, do líder do ranking e da Tríplice Coroa Havaiana, o português Frederico Morais, do taitiano Michel Bourez e do havaiano Cody Young.

Próxima chamada – A próxima chamada para a Vans World Cup of Surfing acontece só na sexta-feira (29), pois esta quinta é feriado de Ação de Graças no Havaí. Porém, são grandes as chances de a prova só ser reiniciada no domingo (1), quando um novo swell vai bombar direitas de quase 3 metros de altura em Sunset.

Assista às disputas ao vivo aqui no Waves.

Vans World Cup of Surfing

Round 2

1 Nolan Rapoza (EUA) 11.67 x Morgan Cibilic (AUS) 11.50 x O’Neill Massin (TAH) 8.77 x Timothee Bisso (FRA) 8.00
2 Liam O’Brien (AUS) 13.03 x Nicholas Squiers (AUS) 11.60 x Jordan Lawler (AUS) 9.90 x Eli Hanneman (HAV) 4.07
3 Billy Kemper (HAV) 11.93 x Joaquin Del Castillo (PER) 11.10 x Joshua Moniz (HAV) 8.90 x Joke Marshall (EUA) 4.00
4 Finn McGill (HAV) 13.50 x Imaikalani deVault (HAV) 11.53 x Caleb Tancred (AUS) 10.70 x Evan Geiselman (EUA) 9.33
5 Ian Gouveia (BRA) 13.80 x Jacob Willcox (AUS) 11.60 x Patrick Gudauskas (EUA) 10.60 x Mihimana Braye (TAH) 4.37
6 Jorgann Couzinet (FRA) 14.33 x Cody Young (HAV) 11.30 x Nomme Mignot (FRA) 11.10 x Callum Robson (AUS) 10.44
7 Carlos Munoz (CRC) 14.44 x Jordy Maree (AFR) 10.90 x Gavin Gillete (HAV) 9.27 x Hiroto Ohhara (JAP) 3.67
8 Stuart Kennedy (AUS) 12.30 x Gatien Delahaye (FRA) 11.93 x Cole Houshmand (EUA) 10.43 x Makuakai Rothman (HAV) 10.20
9 Jack Robinson (AUS) 16.07 x Charly Martin (FRA) 14.36 x Chris Zaffis (AUS) 13.17 x Thiago Camarão (BRA) 12.43
10 Alonso Correa (PER) 12.10 x Tyler Newton (HAV) 11.33 x Tomas Hermes (BRA) 8.30 x Matt Banting (AUS) 7.77
11 Cam Richards (EUA) 10.34 x Alejo Muniz (BRA) 9.60 x Samuel Pupo (BRA) 9.40 x Ian Crane (EUA) 9.13
12 Mitch Crews (AUS) 13.70 x João Chianca (BRA) 11.34 x Luel Felipe (BRA) 10.77 x Kiron Jabour (HAV) 8.94
13 Dusty Payne (HAV) 12.60 x Beyrick De Vries (AFR) 12.33 x Luke Gordon (EUA) 8.37 x Reo Inaba (IDN) 7.74
14 Ian Gentil (HAV) 15.10 x Billy Stairmand (NZL) 12.16 x Ricardo Christie (NZL) 11.80 x Kalani Ball (AUS) 11.04
15 Ethan Ewing (AUS) 14.20 x Maxime Huscenot (FRA) 13.06 x Sheldon Simkus (AUS) 12.44 x Brodi Sale (HAV) 11.90
16 Nat Young (EUA) 11.97 x Weslley Dantas (BRA) 11.17 x Tristan Guilbaud (FRA) 10.46 x Adin Masencamp (AFR) 9.37