Lena é ouro no Peru

Lena Ribeiro fatura medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos na categoria SUP Race; Vinnicius Martins fica com a prata no masculino.

0
Marcelo Zambarana
Lena Ribeiro leva o Brasil ao lugar mais alto do pódio no SUP Race.

O Time Brasil fez a festa nas provas de SUP Race nos Jogos Pan-Americanos de Lima, nesta sexta-feira (2), em Punta Rocas, Peru. Numa chegada empolgante, Lena Guimarães Ribeiro garantiu o primeiro ouro da modalidade, ultrapassando a norte-americana Candice Appleby na última onda, para delírio da torcida.

Clique aqui para ver as fotos

Entre os homens, Vinnicius Martins foi prata, também ganhando uma posição na chegada, num mar desafiador, sobre o peruano Itzel Delgado, com o primeiro lugar ficando com o americano Connor Baxter.

Vale lembrar que o Brasil já tem, pelo menos, um bronze garantido com Chloé Calmon, na categoria longboard, mas a atleta aparece como favorita a um novo ouro. Outros dois atletas também aparecem chances de medalhas, Luiz Diniz e Nicole Pacelli, no SUP Wave.

O SUP Race abriu a competição desta sexta-feira e as medalhas foram conquistadas em disputas únicas, com mar agitado e ondulação grande, sobretudo na reta final. Foram cerca de cinco quilômetros em três voltas e a chegada enfrentando as poderosas ondas de Punta Rocas para garantir ainda mais emoção.

As mulheres remaram primeiro e a americana Candice abriu vantagem desde o início. Lena manteve o segundo lugar praticamente toda a prova, mas sofreu uma queda já nos metros finais, permitindo que Mariecarmen Rivera, de Porto Rico, a ultrapassasse. O que ninguém esperava era a líder cair a poucos metros da areia e o mesmo aconteceu com Rivera. Lena também levou mais um caldo, mas levantou rapidamente e seguiu firme para garantir o inédito ouro.

Ao chegar, não sabia que tinha conquistado o primeiro lugar e ficou surpresa. “Fui para o tudo ou nada e vim capotando. Quando cheguei, pensei devo ser a última, mas não vi ninguém na areia e me deram parabéns. Foi demais. Se participar de um evento como esse já era uma felicidade enorme, ter uma medalha e de ouro não poderia ser melhor”, vibra a atleta de 38 anos, que mora em Arraial do Cabo (RJ), é mãe de dois filhos, Maui, de 11 anos, e Kauai, de 16, e casada com o técnico da seleção brasileira, Américo Pinheiro.

Vinnicius Martins garante a prata entre os homens.

Tricampeã brasileira, ela é especialista em provas mais longas, mas se preparou nesse tipo de disputa, desde que o SUP Race foi incluído no Pan. “Prova técnica com ondas, como foi aqui sempre foi um desafio. Aqui em Punta Rocas o mar é bem pesado, até nas ondas espumadas. Treinei muito nessa condição e deu tudo certo”, conta. “Quero agradecer ao COB e CBsurf por todo o suporte técnico e logístico, meus patrocinadores, amigos e a equipe, sempre na torcida”, diz.

Entre os homens, as ondas também foram decisivas. Connor Baxter remou à frente, Vinni vinha em segundo, mas o atleta da casa ganhou a posição com uma onda. Já no final, o atleta do Brasil deu o troco e quando o rival tentou reagir acabou caindo. “A prova foi super dura, acirrada, disputada até o final. Caramba, consegui entrar numa onda no último segundo, segurei o máximo possível e consegui ganhar uma posição. Também estou muito feliz com o ouro da Lena. Foi um dia incrível”, festeja.

Ele lembrou das condições do mar no evento e o excelente nível técnico dos competidores. “Super difíceis, Punta Rocas é desafiador para o SUP, mas só tinha atleta casca grossa e todo mundo fez um ótimo trabalho. Todos aprenderam muito rápido o funcionamento dessa onda, que é dura para o stand up race”, ressalta o atleta, mandando um abraço para a torcida de Búzios, onde mora.

“Essas medalhas foram muito importantes para o esporte. A equipe de surfe do Brasil representando de maneira geral. Eu espero que o esporte continue crescendo. Eu sou apaixonado pelo stand up e espero que mais pessoas possam experimentar e curtir muito isso. É incrível e para todo mundo”, completa.

As disputas de surfe e SUP nos Jogos Pan-Americanos de Lima seguem até domingo em Punta Rocas. Neste sábado, Chloé volta ao mar e pode garantir vaga para a bateria decisiva pelo ouro. Luiz Diniz espera seguir repetindo as grandes atuações, como a de quinta-feira, quando marcou incríveis 17.34 pontos de 20 possíveis, com notas 9.17 e 8.17.