Antidoping no Tour

ISA e WSL anunciam acordo para realização de exames antidoping nos integrantes da elite mundial.

0
John John Florence, Carissa Moore, Kelly Slater, Lakey Peterson e Kolohe Andino brigam por vagas na equipe norte-americana.

A International Surfing Association (ISA) e a World Surf League (WSL) anunciaram um acordo histórico que fará com que ambas as partes adotem um programa antidoping abrangente, garantindo que os atletas sejam elegíveis para a estreia olímpica do esporte em 2020. O programa será realizado de acordo com o Código da Agência Mundial Antidoping (WADA) e com as regras de antidoping da ISA, e será realizado durante todo o WSL Championship Tour (CT) em 2019 e 2020, levando para as Olimpíadas.

O acordo é inédito e um poderoso exemplo de boa colaboração entre uma federação internacional e a liga profissional associada nos interesses olímpicos de longo prazo do esporte e o compromisso com a competição limpa.

Com a CT 2019 servindo como um evento de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a WSL concordou com um programa antidoping reestruturado, garantindo que todos os surfistas do CT estejam em conformidade com a Carta Olímpica e o Código WADA antes da estreia olímpica histórica do surfe.

Como uma entidade profissional e independente, a WSL não é um signatário formal para o código da WADA – uma exigência para atletas ou eventos que buscam elegibilidade olímpica. Como tal, e para garantir a conformidade com as qualificações olímpicas, a WSL concordou em implementar um programa antidoping personalizado sob as regras antidoping da ISA. Todos os surfistas do CT concordaram voluntariamente com o programa antes do início do CT 2019, e agora estarão sujeitos a testes dentro e fora da competição e requisitos de localização, conduzidos e gerenciados pela WSL e pela International Testing Authority (ITA) em acordo com o Código WADA. O ITA foi formado no ano passado pelas partes interessadas do movimento olímpico para garantir maior transparência e credibilidade nos esforços globais antidoping.

Ao concordar com as regras antidoping da ISA, os surfistas da WSL reforçam seu compromisso com a estreia olímpica do esporte, o que foi alcançado após décadas de lobby da ISA. O compromisso da WSL reforça o importante impacto que a inclusão olímpica está tendo no profissionalismo do esporte, nas aspirações dos atletas e no futuro a longo prazo do surfe em todo o mundo.

ISA / Reed
Fernando Aguerre comemora mais um passo importante no movimento olímpico.

O presidente da ISA, Fernando Aguerre, comemorou o acordo. “Este acordo histórico com a WSL e seus surfistas profissionais sobre este assunto crítico é uma notícia muito importante para o nosso esporte e um passo fenomenal enquanto continuamos a nos preparar para Tóquio 2020. O surfe é um esporte de integridade e estamos comprometidos em preservar e promover. Hoje tenho orgulho de ver a WSL e a ISA trabalharem juntas para adotar uma abordagem tão rigorosa para a limpeza do esporte. Nós estamos à beira de uma era especial na história do surfe, e estou animado para entrar nessa era com processos robustos e parceiros”, diz Fernando.

“A inclusão olímpica do surfe continua a impulsionar o nosso esporte em novas e empolgantes direções que continuarão no futuro. Estou honrado e satisfeito por apoiar os esforços longos e determinados da ISA para garantir que o surfe se junte ao Programa Olímpico para Tóquio 2020 e agora, esperamos, também em Paris, em 2024”, conclui o dirigente.

Sophie Goldschmidt também destaca a importância do acordo entre a ISA e a WSL.

A CEO da WSL, Sophie Goldschmidt, também comenta o assunto. “Este acordo não apenas reflete o compromisso contínuo da WSL com a limpeza do esporte, mas também como um bom parceiro para a ISA e o movimento olímpico. Estou orgulhoso de que nossos surfistas entenderam a importância deste assunto e voluntariamente se comprometeram com essa obrigação. Agradecemos essa colaboração contínua com a ISA no processo de qualificação olímpica, a inclusão olímpica mudou nosso esporte para melhor e mal posso esperar para ver os atletas de elite do surfe competindo no maior palco – será um espetáculo incrível”, fala Sophie.

“Juntamente com Fernando e toda a equipe da ISA, estamos comprometidos com os princípios do movimento olímpico, incluindo esportes limpos e competitivos onde a capacidade atlética genuína está em primeiro plano. Quero agradecer à ISA pela colaboração e esperamos um ano incrível para o surfe na estrada para Tóquio 2020 e além disso”.

Benjamin Cohe, diretor-geral da International Testing Authority (ITA), destacou a importância do antidoping. “A ITA apoia a colaboração entre a ISA e a WSL para coordenar e reunir seus esforços antidoping, bem como harmonizar os padrões e políticas de testes no esporte do surfe antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020. A ITA garantirá que o surfe tenha um programa robusto e harmonioso em conformidade com a WADA em todo o mundo. Além disso, este acordo representa uma conquista notável que enfatiza o compromisso de limpar o esporte de ambas as entidades de surfe e pode servir de exemplo para parcerias similares entre outras federações esportivas internacionais e suas ligas profissionais. Estamos muito ansiosos para apoiar o surfe mantendo seu esporte limpo”, resume Cohe.