Medina estreia na boa

Gabriel Medina avança com tranquilidade à terceira fase do Quiksilver Pro France.

0
Atual líder do ranking mundial, Gabriel Medina avança sem sustos à terceira fase do Quiksilver Pro France.

Com uma atuação tranquila, sem sustos, o brasileiro Gabriel Medina avançou direto à terceira fase do Quiksilver Pro France.

Clique aqui para ver as fotos

Clique aqui para ver o vídeo

Atual líder do ranking e detentor de três títulos da etapa francesa, Medina somou 7.40 e 7.00 para superar seu compatriota Michael Rodrigues e o jovem francês Marco Mignot, convidado para substituir o Top Adriano de Souza, afastado do Tour devido a uma lesão no joelho.

Durante o confronto, Medina mostrou uma condição física impecável, surfando um total de 19 ondas e construindo seu somatório gradativamente.

“É bom estar de volta à França, surfar em uma esquerda manobrável e passar pela primeira bateria”, disse Medina. “Tivemos uma semana muito corrida com tantos eventos, mas me sinto em forma e tenho uma ótima prancha sob meus pés. Parece que as condições serão divertidas para este evento”, finaliza o atual líder do ranking.

Na briga pela segunda vaga, Michael foi bastante ameaçado por Mignot, que obteve 5.97 em sua melhor onda, mas não conseguiu outra nota próxima a seis pontos para superar o brasileiro.

Ainda com dores nas costas, Filipe Toledo abandona bateria a 10 minutos do término, mas garante a primeira posição.

Vice-líder do Tour, Filipe Toledo também passou em sua estreia, mas voltou a sentir dores nas costas, chegando a abandonar sua bateria quando faltavam 10 minutos para o término.

Durante o confronto, Filipe nitidamente mostrou dificuldade para atacar as paredes de Culs Nus, no sudoeste francês. Apesar disso, o brasileiro conseguiu liderar o placar com 6.00 e 6.33, saindo da água logo depois de ampliar vantagem com 6.30, totalizando 12.63 pontos na soma das suas duas melhores notas.

Enquanto isso, os franceses Joan Duru e Marc Lacomare lutavam pela classificação no outside, mas sem muitas ameaças à vitória de Filipe. Duru terminou em segundo, seguido por Lacomare, que caiu para a repescagem.

Segundo Filipe, as dores nas costas vêm incomodando desde a etapa em Jeffreys Bay, África do Sul, e se agravaram durante o ISA Games no Japão.

“É muito chato, especialmente depois de trabalhar durante uma semana inteira sem dor”, disse Toledo. “Depois de um free surf ontem, acordei esta manhã um pouco dolorido, mas saí e tentei o meu melhor na bateria. Infelizmente, na minha primeira onda, senti mais dor, então vou ver os médicos e ver o que está acontecendo”, completou o brasileiro.

Italo Ferreira também estreia com vitória em Culs Nus.

Outros brasileiros já garantidos no round 3 do Quiksilver Pro France são Italo Ferreira e Yago Dora.

Italo venceu seu confronto com 11.94 pontos, enquanto Yago encarou a batalha mais acirrada da manhã até o momento, totalizando 14.30 pontos para avançar atrás do italiano Leo Fioravanti, autor de 14.40, deixando em terceiro o californiano Kolohe Andino, com 14.00.

Uma das vítimas de Italo Ferreira foi Caio Ibelli. Com 9.60 pontos, ele também ficou atrás do português Frederico Morais (10.10), mas terá uma nova chance na repescagem da prova.

A quinta-feira marcou ainda as estreias de Willian Cardoso, Jadson André, Jessé Mendes, Peterson Crisanto e Deivid Silva.

Wilian arrancou 7.17 e 6.17 em suas duas melhores ondas, ficando atrás do inspirado australiano Owen Wright, autor de 6.93 e 8.17, totalizando 15.10 pontos, maior somatório da primeira fase do Quiksilver Pro France. Em terceiro ficou o neozelandês Ricardo Christie.

Yago Dora avança em uma das batalhas mais acirradas da primeira fase.

Na sequência, Jadson André enfrentou dois australianos e perdeu a segunda vaga por apenas um décimo. O confronto foi vencido por Julian Wilson, com 11.44 pontos, seguido por Adrian Buchan, autor de 9.57, e Jadson, que obteve 9.47.

Na nona bateria, o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater comandou as ações com 13.84 pontos e deixou a briga pela segunda vaga entre Jessé Mendes e o californiano Conner Coffin. Melhor para Jessé, que mandou 11.67 pontos, contra 9.94 de Conner.

Os brasileiros Peterson Crisanto e Deivid Silva partiram em busca da dobradinha no penúltimo duelo, mas apenas Petersinho seguiu direto à terceira fase, com 13.84 pontos.

Deivid terminou empatado com o australiano Ryan Callinan na segunda posição com 11.67 pontos, mas levou a pior no critério de desempate, já que Ryan somou 6.27 pontos em sua melhor onda, contra 6.00 do brasileiro.

Peterson Crisanto joga duro em sua bateria.

Na sexta (4), o swell gerado pelo furacão Lorenzo no Atlântico Norte começa a encostar na França e as ondas podem facilmente ultrapassar os 2,5 metros, mas a previsão é de forte vento maral e a WSL já anunciou que o dia será de folga na França.

No dia seguinte, o swell continua com pressão e os ventos diminuem, mas a direção de quadrante leste ainda não é a ideal para o pico francês. No entanto, segundo a previsão oficial do evento, é possível que aconteçam algumas baterias neste dia.

No domingo, o mar perde tamanho pela manhã e quebra com cerca de 1,5 metro, mas um novo swell começa a ganhar força no final do dia. Novamente a previsão indica ventos marais, mas sem tanta potência como na sexta.

Jessé Mendes garante a segunda vaga em batalha dominada por Kelly Slater.

Para segunda e terça-feira da próxima semana, as ondas ficam em torno de 1 a 2 metros e os ventos sopram mais calmos no sudoeste francês. É possível que o evento tenha sequência nestes dois dias.

A longo prazo, ainda não é possível vislumbrar nenhuma grande ondulação que combine direção de swell e ventos ideais para Hossegor. A janela de espera vai até 13 de outubro.

A próxima chamada acontece apenas no sábado (5/10), às 4h (horário de Brasília), já que a previsão é um forte vento maral na sexta-feira. O evento é transmitido ao vivo pelo Waves.

Willian Cardoso tem boa atuação na primeira fase do Quiksilver Pro France.

Quiksilver Pro France 2019

Primeira fase

1 Griffin Colapinto (EUA) 12.50, Kanoa Igarashi (JAP) 11.90, Soli Bailey (AUS) 8.07
2 Italo Ferreira (BRA) 11.94, Frederico Morais (POR) 10.10, Caio Ibelli (BRA) 9.60
3 Leonardo Fioravanti (ITA) 14.90, Yago Dora (BRA) 14.33, Kolohe Andino (EUA) 14.00
4 Jorgann Couzinet (FRA) 12.67, Jordy Smith (AFR) 12.66, Sebastian Zietz (HAV) 9.26
5 Filipe Toledo (BRA) 12.63, Joan Duru (FRA) 10.60, Marc Lacomare (FRA) 9.74
6 Gabriel Medina (BRA) 14.40, Michael Rodrigues (BRA) 11.87, Marco Mignot (FRA) 11.04
7 Owen Wright (AUS) 15.10, Willian Cardoso (BRA) 13.34, Ricardo Christie (NZL) 7.94
8 Julian Wilson (AUS) 11.44, Adrian Buchan (AUS) 9.57, Jadson André (BRA) 9.47
9 Kelly Slater (EUA) 13.84, Jessé Mendes (BRA) 11.67, Conner Coffin (EUA) 9.94
10 Seth Moniz (HAV) 12.24, Ezekiel Lau (HAV) 10.50, Wade Carmichael (AUS) 10.13
11 Peterson Crisanto (BRA) 13.84, Ryan Callinan (AUS) 11.67, Deivid Silva (BRA) 11.67*
12 Jack Freestone (AUS) 11.40, Michel Bourez (FRA) 8.54, Jeremy Flores (FRA) 5.63

*No critério de desempate, Ryan levou a melhor por ter obtido a maior nota.

Round 2

1 Kolohe Andino (EUA), Jadson André (BRA) e Marco Mignot (FRA)
2 Michel Bourez (FRA), Sebastian Zietz (HAV) e Marc Lacomare (FRA)
3 Deivid Silva (BRA), Caio Ibelli (BRA) e Soli Bailey (AUS)
4 Wade Carmichael (AUS), Conner Coffin (EUA) e Ricardo Christie (NZL)