Brazucas atacam La Graviere

Yago Dora faz maior somatório do dia no Quiksilver Pro France; Italo Ferreira e Gabriel Medina também superam as fechadeiras de La Graviere.

0
Yago Dora registra o maior somatório na terceira fase do Quiksilver Pro France.

O terceiro dia do Quiksilver Pro France teve como cenário o beach break de La Graviere, situado em frente ao palanque principal da nona etapa do Championship Tour.

Em condições difíceis, com ondas de até 2 metros de face e formação regular na rasa bancada de areia, os brasileiros Gabriel Medina, Yago Dora e Italo Ferreira seguiram adiante na prova, enquanto Filipe Toledo, Caio Ibelli, Jessé Mendes, Willian Cardoso, Peterson Crisanto e Michael Rodrigues foram eliminados.

Yago fez o maior somatório do dia, arrancando 7.67 e 6.83 dos juízes na vitória contra o californiano Griffin Colapinto, que chegou a obter a maior nota do confronto (8.23), mas não conseguiu superar o somatório de 14.50 pontos do adversário.

“Eu sabia que ia precisar de um pouco de tubo na bateria, manobras, tubos e aéreos”, disse Yago Dora, que vai enfrentar o número 4 do ranking, Kolohe Andino, na penúltima oitava de final. “O Griffin (Colapinto) pegou aquele tubo no início e eu precisava reagir rápido. Eu adoro o jeito que ele surfa, então estou aliviado em ganhar dele. Eu agora já consegui minha vaga no CT 2020 pelo QS, saiu toda a pressão da qualificação, então só penso em surfar melhor daqui pra frente, para finalizar o ano com a melhor colocação possível no ranking do CT”.

Italo Ferreira também faz bonito nas ondas de La Graviere.

Também com uma boa atuação, Italo Ferreira mandou 7.00 e 6.83 em suas duas melhores ondas, levando a melhor no duelo verde-amarelo com Jessé Mendes, que só surfou sua melhor onda nos minutos finais, diminuindo a vantagem com 7.37, mas não teve tempo para surfar outra onda expressiva e deu adeus à etapa com o somatório de 11.77 pontos.

“Como não tinha muitos tubos, optei pelos aéreos mesmo”, confessou Italo Ferreira, que vai disputar a última vaga para as quartas de final com o taitiano Michel Bourez. “Eu quase caí naquele primeiro, mas consegui completar e depois fiz uma manobra forte numa junção, em duas ondas boas no início da bateria. O Jessé (Mendes) ainda mandou um aéreo irado no final, que foi bem legal. Agora vou enfrentar o Michel (Bourez) e acho que vai ser uma bateria boa, pois estou bem confiante. Quero achar uns tubos e mandar umas manobras expressivas”.

Bicampeão mundial e atual líder do ranking, Gabriel Medina precisou suar muito a lycra no duelo com o jovem convidado francês Marco Mignot, de apenas 18 anos.

Medina ficou atrás no placar até os minutos finais da bateria, quando virou a batalha com uma nota 5.53, totalizando 9.76 pontos, contra 8.84 do adversário.

Chamado de última hora para substituir Adriano de Souza, afastado do Tour devido a uma lesão no joelho, Mignot largou na frente com um tubo de frontside avaliado em 5.67.

Gabriel Medina supera Marco Mignot com virada apertada nos minutos finais.

Gabriel Medina lutou muito para reagir e quase arrancou uma nota expressiva dos juízes depois de mandar um aéreo rodando de backside numa fechadeira. O brasileiro chegou a aterrissar, mas ficou atrás da espuma e os juízes consideraram a manobra incompleta.

O incrível esforço do líder do ranking foi recompensado nos minutos finais, depois de muitas tentativas de todas as maneiras nas difíceis ondas de La Graviere, seja tentando entubar, voar ou até mesmo apostando nas batidas. Com um tubo rápido, seguido de uma batida na junção, Medina conseguiu sua melhor nota na bateria (5.53) e finalmente virou o placar.

“Estou feliz por passar para a próxima fase, mas foi uma bateria difícil, porque o mar estava bem ruim na hora da minha bateria”, lamentou Gabriel Medina, que vai disputar a quinta oitava de final com o australiano Adrian Buchan. “Era uma fase importante para mim e estou feliz por ter avançado. Agora é me concentrar para o próximo round e espero que de tudo certo, que Deus me abençoe para conseguir um bom resultado aqui. Vamos com tudo e, se Deus quiser, vai dar tudo certo”.

Antes de bater Mignot, o líder do ranking viu seu principal concorrente ser eliminado no Quiksilver Pro France. Atualmente em segundo lugar, Filipe Toledo caiu diante do convidado francês Marc Lacomare e viu sua situação na corrida pelo título mundial ficar ainda mais complicada.

Filipe Toledo perde para Marc Lacomare.

Briga pela liderança – Com a queda de Filipe, o único atleta que pode tomar a lycra amarela de Medina na França é o sul-africano Jordy Smith, que viu o português Frederico Morais arrancar uma nota 9.17 nesta segunda-feira, mas conseguiu manter a liderança da bateria e venceu a batalha por 13.83 a 12.40 pontos.

Para ultrapassar Gabriel Medina, Jordy precisa vencer a etapa e torcer para que o brasileiro não chegue às semifinais do Quiksilver Pro France.

Previsão das ondas – A próxima chamada para o Quiksilver e Roxy Pro France acontece nesta terça, às 4h (horário de Brasília), e a tendência é de que um novo swell encoste na costa francesa, mantendo a consistência das ondas. O vento maral tende a atrapalhar a formação das ondas, principalmente à tarde.

Na quarta, as ondas devem bombar ainda mais, podendo atingir os 5 metros de face nas maiores séries, mas com vento maral moderado a forte durante todo o dia.

O swell deve perder um pouco de força na quinta, com as ondas quebrando de 2,5 a 4 metros de face, dessa vez com ventos melhores.

Na sexta, são esperadas ondas de 2 a 2,5 metros de face pela manhã, com ventos favoráveis.

Jordy Smith é o único atleta com chance matemática de tomar a lycra de Gabriel Medina no Quiksilver Pro France.

Quiksilver Pro France 2019

Terceira fase

1 Jordy Smith (AFR) 13.83 x 12.40 Frederico Morais (POR)
2 Jeremy Flores (FRA) 8.37 x 6.07 Caio Ibelli (BRA)
3 Ezekiel Lau (HAV) 11.16 x 5.30 Owen Wright (AUS)
4 Ryan Callinan (AUS) 14.33 x 13.00 Michael Rodrigues (BRA)
5 Marc Lacomare (FRA) 12.83 x 12.17 Filipe Toledo (BRA)
6 Wade Carmichael (AUS) 11.93 x 9.70 Willian Cardoso (BRA)
7 Julian Wilson (AUS) 11.33 x 6.17 Jorgann Couzinet (FRA)
8 Jack Freestone (AUS) 8.56 x 8.33 Kanoa Igarashi (JAP)
9 Gabriel Medina (BRA) 9.76 x 8.84 Marco Mignot (FRA)
10 Adrian Buchan (AUS) 8.93 x 8.60 Conner Coffin (EUA)
11 Seth Moniz (HAV) 12.60 x 10.77 Peterson Crisanto (BRA)
12 Leonardo Fioravanti (ITA) 12.43 x 11.00 Kelly Slater (EUA)
13 Kolohe Andino (EUA) 10.34 x 9.27 Soli Bailey (AUS)
14 Yago Dora (BRA) 14.50 x 13.23 Griffin Colapinto (EUA)
15 Michel Bourez (FRA) 11.67 x 7.56 Joan Duru (FRA)
16 Italo Ferreira (BRA) 13.83 x 11.77 Jessé Mendes (BRA)

Oitavas de final

1 Jordy Smith (AFR) x Jeremy Flores (FRA)
2 Ezekiel Lau (HAV) x Ryan Callinan (AUS)
3 Marc Lacomare (FRA) x Wade Carmichael (AUS)
4 Julian Wilson (AUS) x Jack Freestone (AUS)
5 Gabriel Medina (BRA) x Adrian Buchan (AUS)
6 Seth Moniz (HAV) x Leonardo Fioravanti (ITA)
7 Kolohe Andino (EUA) x Yago Dora (BRA)
8 Michel Bourez (FRA) x Italo Ferreira (BRA)