Etapa ameaçada

Prefeito de Honolulu volta a negar pedido da World Surf League e Pipe Masters corre risco de sair do calendário do Tour em 2019.

59
Pipeline, North Shore de Oahu, Havaí

O prefeito de Honolulu, Kirk Caldwell, voltou a negar o pedido da World Surf League para cancelar o Volcom Pipe Pro e promover um novo Pipe Masters entre o fim de janeiro e o início de fevereiro de 2019.

A ideia da Liga era finalizar o calendário de 2018 em Pipe e abrir a temporada seguinte no mesmo pico, dando largada a um novo circuito.

Já o Volcom Pipe Pro não seria disputado no início do ano, e sim em dezembro, passando a fazer parte da tradicional Tríplice Coroa Havaiana.

Porém, de acordo com a Prefeitura de Honolulu, a WSL perdeu o prazo de solicitação de permissão, no dia 9 de novembro.

Na última semana, Sophie Goldschmidt, CEO da WSL, voou para o Havaí no intuito de conversar pessoalmente com o prefeito, mas não conseguiu ser atendida. O havaiano Sunny Garcia, ex-campeão do mundo, também procurou o gabinete do Prefeito, mas teve um pedido de reunião negado.

Caldwell sustentou que a justiça com outros requerentes que apresentaram pedidos dentro do prazo era o principal motivo para sua decisão.

Na segunda-feira (antes da decisão final de Caldwell), Goldschmidt teria dito que, caso não pudessem chegar a um acordo dentro de duas semanas, a WSL não teria escolha senão “anunciar o World Tour 2019 sem inclusão do Havaí”.

A Liga ainda não se pronunciou oficialmente, mas pessoas familiarizadas com a situação apontam que a WSL continuam a trabalhar com o gabinete do Prefeito e que ainda não foi confirmado que não haverá o Pipe Masters em 2019.

“O Havaí é muito importante para o surfe. Essas mudanças vão permitir mais oportunidades para surfistas havaianos e, portanto, é realmente muito difícil de entender. Esperamos que possamos encontrar uma solução e que possamos continuar a trazer os melhores eventos para o Havaí onde eles merecem ser”, disse Goldschmidt ao Hawaii News Now.

Se isso acontecer, não será a primeira vez que o surfe profissional se retirou do Havaí. Em 1983, a então ASP tirou todos os eventos das ilhas, porque não conseguiram chegar a um acordo com o promotor do concurso Fred Hemmings. Hemmings seguiu em frente e promoveu três eventos – o Pipe Masters, o Duke Kahanumoku Classic e a World Cup – e, ironicamente, foi ali que a Triple Crown nasceu. A ASP retornou no ano seguinte.

O site australiano Stabmag.com teve acesso a uma carta enviada pelo Prefeito de Honolulu à WSL, em nome de Sophie Goldschmidt.

Prezada Sra. Goldschmidt,

Obrigado pela sua carta datada de 31 de janeiro de 2018, referente às aplicações e ao calendário 2018-2019, no North Shore. Na sua carta, descreve os pedidos de alterações nos seus pedidos de licença.

Eu entendo que você é nova na World Surf League, mas a organização tem feito negócios no Havaí por décadas e seus representantes locais são experientes e experientes em honrar o processo competitivo. Como você sabe, a alta qualidade do surfe no Havaí durante a temporada de inverno é a razão pela qual temos muitas organizações que se candidatam para as mesmas praias no mesmo período de tempo. Como tal, temos um processo para fazer uma seleção que é justa e sistemática, e garantir que todos sejam tratados de forma igual.

Revisei as variações que você está solicitando e não consigo acomodar a WSL.

Kirk Caldwell

Prefeito”

Apesar da grande quantidade de ondas oferecidas, a cidade e o condado de Honolulu permitem apenas um número relativamente pequeno de eventos.

As provas não podem ser executadas simultaneamente. Também não podem acontecer em dois fins de semana consecutivos. As competições aos domingos estão proibidas. Nas férias também.

Apenas parques selecionados de praia podem ser escolhidos, como Ehukai, Sunset, Mokuleia ou Waimea. A capacidade das ondas, o gênero, o impacto na comunidade local e a participação local são levados em consideração ao avaliar os requerentes.

Em 19 de outubro de 2017, uma carta foi enviada pelo correio para todos os atuais requerentes a licenças de campeonatos de surfe no North Shore de Oahu. Ela informava aos candidatos de que havia inúmeros pedidos conflitantes, bem como pedidos que não cumpriam os regulamentos relacionados às autorizações. Afirmou que uma extensão estava sendo concedida e que todos os requerentes teriam até o dia 9 de novembro, mais de três semanas, para enviar qualquer pedido alterado.

A carta também declarava: “… os pedidos tardios não serão processados ​​e serão devolvidos ao requerente”.

A World Surf League não teria apresentado o pedido alterado.

Fontes: Surfline.com e Stabmag.com