Filipe passa por cima

Bicampeão do Open J-Bay e embalado pela vitória em Saquarema, Filipe Toledo tem estreia avassaladora em etapa sul-africana.

0
Filipe Toledo brilha na estreia em Jeffreys Bay.

Avassalador. Assim foi a estreia de Filipe Toledo no Open J-Bay, etapa do Tour que acontece em Jeffreys Bay, África do Sul. E, ondas de 1 metro e séries pouco maiores, com boa formação, Filipe não deu chance alguma aos adversários e mostrou por que é o bicampeão da etapa sul-africana.

Clique aqui para ver as fotos

Com tranquilidade na escolha de ondas e performances acima do nível, Filipe mandou 9.10 e 8.50 nas duas melhores ondas, deixando para trás o sul-africano Michael February e o australiano Adrian Buchan no melhor confronto do primeiro dia em J-Bay.

“É uma sensação incrível fazer essas notas altas logo depois da minha vitória no Brasil”, disse Filipe Toledo, referindo-se ao tricampeonato conquistado no Oi Rio Pro em Saquarema, duas semanas atrás. “Já estava na minha mente tentar começar com uma boa performance aqui, com um ritmo forte para ficar confiante para o restante do evento. A estratégia funcionou e agora é continuar firme para seguir avançando neste lugar que é um dos meus favoritos no mundo. Eu cheguei cedo aqui em J-Bay e deu pra relaxar um pouco antes do campeonato. Nem surfei muito, foi quase uma mini-férias (risos), então agora estou com toda a energia para focar nas baterias”.

O Open J-Bay começou com vitória do brasileiro Gabriel Medina, que encontrou uma ótima onda e não desperdiçou a chance de botar pressão nos adversários com 7.33, assumindo a frente no placar.

O confronto teve poucas emoções e o brasileiro, que até então tinha 4.67 como melhor nota, trocou por 4.70 em sua última onda, totalizando 12.03 pontos, contra 10.57 do francês Joan Duru e 9.00 do português Frederico Morais.

Gabriel Medina também estreia com vitória.

Na segunda bateria, Italo Ferreira levou a melhor com 6.50 e 7.93 nas duas melhores ondas, deixando para trás o australiano Soli Bailey e o compatriota Peterson Crisanto.

Petersinho chegou a surfar uma boa onda e mandou 7.17, mas não conseguiu uma segunda nota expressiva e perdeu para Bailey por muito pouco (10.67 a 10.34).

Na sequência, Adriano de Souza e Jessé Mendes entraram na água juntos com Kanoa Igarashi, californiano naturalizado japonês. A dobradinha novamente não deu certo, desta vez com Kanoa tomando a frente e deixando a briga pela segunda vaga entre os brazucas.

Melhor para Adriano, autor de 4.23 e 3.10, contra apenas 2.77 e 3.97 de Jessé.

Italo Ferreira descola uma das maiores pontuações do dia.

Quem também já está classificado à terceira fase é Caio Ibelli. Com 6.00 e 3.27 no somatório, Ibelli superou o wildcard francês Jorgann Couzinet e avançou atrás do ídolo sul-africano Jordy Smith, que arrancou 7.17 e 6.60 dos juízes em suas duas melhores ondas.

“Você só tem que pegar onda por onda”, disse Smith. “Eu acho que o meu estilo combina com essa onda. Eu cresci surfando muitos e muitos picos de direita. Eu acho que molda muito dos estilos de surfistas sul-africanos e acho que combina muito bem com Jeffreys Bay”.

No confronto seguinte, Yago Dora garantiu a segunda vaga e passou atrás do californiano Kolohe Andino, que comanda a briga pela liderança do ranking mundial depois da lesão do líder John John Florence. Yago somou 5.57 e 4.27, contra 5.00 e 3.30 do wildcard sul-africano Beyrick De Vries.

“Eu estava muito nervoso sentado lá fora, sabendo que essa bateria poderia ficar flat pelos 20 minutos restantes”, disse Kolohe Andino. “Eu fiquei muito feliz que a onda chegou e estou feliz porque eu também fui, porque parecia que outra pessoa viria e então não, eu tive sorte. Estou motivado, a posição que estou neste ano é realmente alucinante, estou empolgado por estar em J-Bay e apenas surfar em longas linhas, encarando bateria a bateria e muito animado para a minha bateria do round 3. Eu trabalhei muito nesses tipos de ondas e, infelizmente, em Bells, eu não consegui dar o meu melhor, espero que aqui eu possa”.

Adriano de Souza avança em confronto com poucas ondas expressivas.

Mais quatro brasileiros entraram em ação nesta segunda-feira e metade seguiu adiante. Em uma disputa acirrada no duelo vencido pelo australiano Julian Wilson, Deivid Silva superou Jadson André por apenas 4 centésimos e avançou direto ao round 3.

Em seguida, Willian Cardoso foi derrotado por Ezekiel Lau e Conner Coffin. Já Michael Rodrigues ficou com a segunda vaga e avançou junto com Ricardo Christie, deixando Ryan Callinan para trás.

Ao término da primeira fase masculina, a WSL colocou na água os três confrontos iniciais do round 1 feminina. Representantes do Brasil na etapa, Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb tiveram folga e aguardam os duelos pendentes. Elas estão escaladas na mesma bateria, que conta ainda com a jovem californiana Caroline Marks.

Deivid Silva leva a melhor sobre Jadson André por apenas 4 centésimos.

Previsão das ondas

O swell deve perder força lentamente nos dias seguintes, apesar de um leve pulso previsto para a noite da quarta-feira.

Na sexta-feira, um swell mais intenso pode chegar a J-Bay, levando ondas acima de 2 metros nas séries depois do meio-dia. O vento terral tende a soprar até o meio da tarde, virando para um maral moderado no restante do dia.

No sábado, a previsão é de ondas um pouco menores, mas ainda bem consistentes, e vento variando de terral a maral durante todo o dia.

As ondas seguem diminuindo no domingo, mas ainda oferecendo ótimas condições para o surfe, com vento terral.

No momento, a previsão indica ondas bem menores na segunda-feira (15/7).

Há boa possibilidade de novas ondulações na reta final da janela de espera. O prazo para encerramento da etapa vai até 22 de julho.

Acompanhe a próxima chamada às 2:30h da madrugada desta quarta-feira, no horário de Brasília.


Open J-Bay 2019

Primeira fase

1 Gabriel Medina (BRA) 12.03, Joan Duru (FRA) 10.57, Frederico Morais (POR) 9.00
2 Italo Ferreira (BRA) 14.43, Soli Bailey (AUS) 10.67, Peterson Crisanto (BRA) 10.34
3 Kanoa Igarashi (JAP) 12.16, Adriano de Souza (BRA) 7.33, Jessé Mendes (BRA) 6.74
4 Jordy Smith (AFR) 13.77, Caio Ibelli (BRA) 9.27, Jorgann Couzinet (FRA) 8.67
5 Kolohe Andino (EUA) 11.43, Yago Dora (BRA) 9.84, Beyrick De Vries (AFR) 8.30
6 Filipe Toledo (BRA) 17.60, Michael February (AFR) 12.83, Adrian Buchan (AUS) 11.77
7 Julian Wilson (AUS) 13.97, Deivid Silva (BRA) 10.60, Jadson André (BRA) 10.56
8 Ezekiel Lau (HAV) 13.17, Conner Coffin (EUA) 11.84, Willian Cardoso (BRA) 5.27
9 Ricardo Christie (NZL) 10.66, Michael Rodrigues (BRA) 9.03, Ryan Callinan (AUS) 6.10
10 Sebastian Zietz (HAV) 12.40, Kelly Slater (EUA) 10.67, Jeremy Flores (FRA) 9.27
11 Michel Bourez (PLF) 12.24, Owen Wright (AUS) 12.00 Jack Freestone (AUS) 11.86
12 Wade Carmichael (AUS) 13.24, Griffin Colapinto (EUA) 13.23, Seth Moniz (HAV) 10.83

Round 2

1 Ryan Callinan (AUS), Jack Freestone (AUS) e Beyrick De Vries (AFR)
2 Seth Moniz (HAV), Adrian Buchan (AUS) e Jorgann Couzinet (FRA)
3 Jeremy Flores (FRA), Jessé Mendes (BRA) e Frederico Morais (POR)
4 Willian Cardoso (BRA), Peterson Crisanto (BRA) e Jadson André (BRA)

Round 1 feminino

1 Stephanie Gilmore (AUS) 14.80, Johanne Defay (FRA) 12.57, Macy Callaghan (AUS) 8.40
2 Carissa Moore (HAV) 12.33, Bronte Macaulay (AUS) 11.70, Sage Erickson (EUA) 9.97
3 Sally Fitzgibbons (AUS) 12.60, Nikki Van Dijk (AUS) 10.30, Bianca Buitendag (AFR) 9.83
4 Courtney Conlogue (EUA), Brisa Hennessy (CRI) e Paige Hareb (NZL)
5 Lakey Peterson (EUA), Malia Manuel (HAV) e Keely Andrew (AUS)
6 Caroline Marks (EUA), Tatiana Weston-Webb (BRA) e Silvana Lima (BRA)