Medina sedento

Filipe Toledo é eliminado e Gabriel Medina chega à quarta fase do Quiksilver Pro France; Adriano de Souza e Willian Cardoso também seguem na briga.

0
Gabriel Medina supera Wiggolly Dantas na terceira fase do Quiksilver Pro France.

Depois de ver o líder Filipe Toledo cair na terceira fase, o vice-líder Gabriel Medina se deu bem e passou pelo compatriota Wiggolly Dantas no Quiksilver Pro France, nona etapa do Championship Tour. Devido à inconsistência das ondas na maré cheia, a prova foi paralisada e a próxima chamada acontece às 2:45h desta quinta-feira no horário de Brasília.

Clique aqui para ver as fotos

Em ondas de 1 metro e formação irregular, Medina foi melhor desde o início da bateria e venceu com notas 5.00 e 6.33, contra 4.00 e 4.37 de Guigui.

Com o resultado, o vice-líder do Tour ganha força na briga pela liderança da temporada. Para tomar a lycra amarela de Filipe, Medina precisa chegar no mínimo às semifinais da etapa francesa.

“Foi muito difícil lá fora e eu estava meio perdido”, disse Medina. “Eu assisti a todo mundo entubando e mandando grandes aéreos o dia todo e parecia muito divertido, mas nós não tivemos muita sorte naquela bateria. É incrível ver todo o apoio aqui, especialmente quando você não está em casa. Filipe (Toledo) fora é obviamente bom para a minha própria campanha, mas como já disse, estou realmente focado em mim e quero ir bem aqui”, declarou o vice-líder do ranking.

Filipe Toledo é eliminado na bateria com os maiores somatórios do evento.

Filipinho foi eliminado em uma batalha eletrizante com o australiano Ryan Callinan. Os dois atletas registraram as duas maiores pontuações da etapa até o momento, mas o brasileiro levou a pior. Callinan arrancou 7.93 e 8.87 dos juízes, contra 7.60 e 9.00 de Filipe Toledo.

“Eu estava bastante perdido naquele momento, para ser sincero”, disse Callinan. “Estava numa situação complicada na bateria e as duas ondas que vieram para mim foram bonitas, sem balanço. Quando eu estava no Tour, tive um monte de grandes séries como essa, mas nunca pareciam seguir meu caminho. Parece estar mudando neste evento, então é ótimo!”, comemorou o australiano.

Filipe lamentou a derrota, mas reconheceu a boa apresentação do adversário. “É triste e muito difícil perder assim, mas tenho muito respeito pelo Ryan (Callinan) e ele surfou bem também para me vencer”, disse Filipe Toledo. “Estou no circuito há seis anos, mas ainda cometi alguns erros de novatos no Tour. Esse meu erro de prioridade (de escolha da próxima onda) me custou a bateria e provavelmente a lycra amarela (do Jeep Leaderboard de número 1 no ranking). Mas, vou continuar focado para lutar pelo título mundial até o fim”.

Italo Ferreira perde em duelo com resultado polêmico.

A terceira fase já começou com uma bateria polêmica. O brasileiro Italo Ferreira e o australiano Matt Wilkinson travaram uma batalha acirrada, com o australiano levando a melhor nos instantes finais.

Wilko tinha 7.43 e 5.00 nas duas melhores ondas, contra 7.27 e 6.33 de Italo. Precisando de 6.17, o australiano conseguiu a virada com 6.47 em uma direita, mas o brasileiro respondeu com uma boa esquerda. Os juízes deram 6.57 a Italo, que perdeu por uma diferença de apenas seis centésimos.

“As ondas estão complicadas, então você precisa ser paciente”, disse Wilkinson. “Eu estava feliz por ter conseguido aquela última onda e ouvi as pessoas gritando enquanto eu estava em pé, e achei que Italo provavelmente fez algo louco, eu estava apenas esperando que não fosse uma pontuação gigantesca. Estou aqui para recuperar meu poder e gostaria de me encontrar em uma semi ou uma final, no pódio, e levantar um troféu seria bom, com certeza”, comentou Wilko.

Willian Cardoso conquista a primeira vitória brasileira na terceira fase da prova.

Também em baterias com resultados apertados, o Brasil perdeu Yago Dora e Ian Gouveia na seqüência.

Yago caiu diante do norte-americano Conner Coffin (10.43 x 10.27), enquanto Ian foi superado pelo sul-africano Jordy Smith (10.50 x 10.30).

A primeira vitória brasileira veio com Willian Cardoso no quarto confronto, também com resultado apertado. O brasileiro conseguiu a virada na penúltima onda, avaliada em 4.83, totalizando 11.13, contra 11.07 do australiano Connor O´Leary.

Em seguida, Adriano de Souza imprimiu um forte ritmo no outside e atacou bem as esquerdas para obter 6.50 e 8.70 nas duas melhores ondas, deixando o australiano Adrian Buchan em situação complicada, precisando de 9.43.

“Eu tive uma boa corrida até agora e quero manter o mesmo ritmo até o final”, disse Adriano. “Estou feliz por vencer este duelo contra Ace (Buchan) porque ele está na minha frente no ranking, então estamos lutando por pontos”, resumiu o brazuca.

Adriano de Souza também segue adiante na França.

Apenas um brasileiro ainda não entrou em ação na terceira fase. O cearense Michael Rodrigues está escalado na próxima bateria e vai encarar o havaiano Ezekiel Lau, que derrotou Ian Gouveia com uma virada polêmica na repescagem.

A próxima chamada acontece às 2:45h desta quinta-feira no horário de Brasília.

Na quinta (11), o swell deve perder força, mas ainda pode oferecer boas condições.

A intenção da WSL é finalizar o evento na sexta (12) ou no sábado (13), quando um novo swell promete altas ondas para o litoral francês.

Michael Rodrigues aguarda bateria na terceira fase.

Quiksilver Pro France 2018

Terceira fase

1 Matt Wilkinson (AUS) 13.90 x 13.84 Italo Ferreira (BRA)
2 Conner Coffin (EUA) 10.43 x 10.27 Yago Dora (BRA)
3 Jordy Smith (AFR) 10.50 x 10.30 Ian Gouveia (BRA)
4 Willian Cardoso (BRA) 11.13 x 11.07 Connor O´Leary (AUS)
5 Adriano de Souza (BRA) 15.20 x 11.14 Adrian Buchan (AUS)
6 Ryan Callinan (AUS) 16.80 x 16.60 Filipe Toledo (BRA)
7 Gabriel Medina (BRA) 11.33 x 8.37 Wiggolly Dantas (BRA)
8 Michael Rodrigues (BRA) x Ezekiel Lau (HAV)
9 Mikey Wright (AUS) x Joel Parkinson (AUS)
10 Kolohe Andino (EUA) x Patrick Gudauskas (EUA)
11 Griffin Colapinto (EUA) x Sebastian Zietz (HAV)
12 Julian Wilson (AUS) x Joan Duru (FRA)

Repescagem

1 Filipe Toledo (BRA) 15.84 x 7.77 Jorgann Couzinet (FRA)
2 Ryan Callinan (AUS) 16.10 x 12.17 Owen Wright (AUS)
3 Wiggolly Dantas (BRA) 10.00 x 6.83 Wade Carmichael (AUS)
4 Kolohe Andino (EUA) 13.07 x 11.13 Keanu Asing (HAV)
5 Joan Duru (FRA) 11.44 x 10.56 Kanoa Igarashi (JAP)
6 Matt Wilkinson (AUS) 11.50 x 9.00 Michel Bourez (PLF)
7 Willian Cardoso (BRA) 13.44 x 3.60 Miguel Pupo (BRA)
8 Ian Gouveia (BRA) 12.36 x 9.50 Jeremy Flores (FRA)
9 Conner Coffin (EUA) 14.00 x 11.43 Jessé Mendes (BRA)
10 Michael Rodrigues (BRA) 14.10 x 12.93 Michael February (AFR)
11 Ezekiel Lau (HAV) 13.93 x 13.80 Tomas Hermes (BRA)
12 Yago Dora (BRA) 15.77 x 15.57 Frederico Morais (POR)