Batalha anunciada na França

Janela de espera para o Quiksilver e Roxy Pro abre nesta quarta-feira (3) no sudoeste francês; primeira chamada acontece às 3h (horário de Brasília).

0
WSL / Poullenot
Gabriel Medina defende o título do Quiksilver Pro France.

A perna europeia do Championship Tour começa nesta quarta-feira (3) e Gabriel Medina vai defender o título nas duas etapas antes do encerramento da temporada no Havaí. Ele ganhou o Quiksilver Pro France e o MEO Rip Curl Pro Portugal no ano passado e vem de vitórias nas duas últimas deste ano, no Taiti e no Surf Ranch.

Na França, Medina é o único que pode tirar a lycra amarela do Jeep Leaderboard do número 1 do ranking, Filipe Toledo. Mas, outros dez surfistas ainda têm chances matemáticas de título mundial. Já o feminino pode ser decidido nesta penúltima etapa das meninas, para a hexacampeã Stephanie Gilmore.

A australiana iguala os sete títulos da recordista Layne Beachley se vencer o Roxy Pro France. Ela pode até festejar a conquista antes disso, mas só se chegar nas semifinais e sua única concorrente, Lakey Peterson, não tenha passado das quartas de final.

WSL / Poullenot
Filipe Toledo chega à Europa como líder do ranking.

Mesmo que ambas estejam nas semifinais, Gilmore confirma o heptacampeonato se passar a sua bateria e a norte-americana perder a dela. Caso a grande final seja entre as duas, Lakey Peterson precisa vencer o Roxy Pro para levar a decisão do título para a última etapa na ilha de Maui, Havaí.

Entre os homens, a disputa do título está mais centralizada em Filipe Toledo e Gabriel Medina, com o campeão mundial de 2014 já abrindo uma vantagem de 8.560 pontos para o australiano Julian Wilson e 13.860 do quarto colocado, o potiguar Italo Ferreira.

No entanto, os doze primeiros do ranking ainda têm chances matemáticas de terminar o ano como campeão mundial, até o catarinense Willian Cardoso, que ocupa a 12.a posição. Mas, a cada bateria que o líder Filipe Toledo avançar, esse número de concorrentes irá diminuindo.

Treino desta terça-feira em Hossegor:

A grande vantagem que Filipe Toledo tinha construído, caiu para 4.100 pontos após as vitórias de Gabriel Medina no Tahiti Pro Teahupoo e no Surf Ranch Pro. Mas, Medina só consegue ultrapassar os atuais 49.785 pontos de Filipe no ranking, se chegar nas quartas de final do Quiksilver Pro France.

Se o líder passar uma bateria em Hossegor, ele já precisará ser semifinalista. Filipe se garante na ponta se passar para as semifinais, mesmo que Medina conquiste o seu quarto troféu de campeão da etapa francesa.

Estreia na França O Quiksilver Pro France não terá mais uma vez a participação dos atuais campeões mundiais, John John Florence e Tyler Wright, bem como de Kelly Slater e do brasileiro Caio Ibelli, que seguem se recuperando de contusões.

Mas, outros dois paulistas foram chamados para substitui-los e vão reforçar a seleção verde-amarela em Hossegor, Miguel Pupo e Wiggolly Dantas. Então, serão doze brasileiros competindo na França.

WSL / Poullenot
Stephanie Gilmore pode sair da França com o sétimo título mundial.

A estreia será em dose dupla, com o potiguar Italo Ferreira e o catarinense Yago Dora enfrentando ao havaiano Keanu Asing na terceira bateria. Wiggolly Dantas entra no confronto seguinte com o português Frederico Morais e o número 3 do Jeep Leaderboard, Julian Wilson.

Na quinta bateria, Gabriel Medina começa a defender o título de campeão do Quiksilver Pro France com o catarinense Tomas Hermes e o australiano Ryan Callinan, que venceu o QS 10000 EDP Billabong Pro Ericeira sábado passado em Portugal.

Depois de Medina, Filipe Toledo entra com a lycra amarela de número 1 do mundo com outro australiano, Connor O´Leary, e o francês Jorgann Couzinet, convidado desta etapa. Na sétima bateria, serão mais dois brasileiros, o campeão mundial Adriano de Souza e o também paulista Miguel Pupo, contra o australiano Wade Carmichael.

Depois, tem o pernambucano Ian Gouveia na oitava bateria, o cearense Michael Rodrigues na nona, o paulista Jessé Mendes na décima e o catarinense Willian Cardoso fechando a primeira fase contra o francês Jeremy Flores e o australiano Joel Parkinson.

© WSL / Cestari
Italo Ferreira corre por fora na briga pelo título da temporada.

Vitórias brasileiras Os brasileiros vêm fazendo história no World Surf League Championship Tour esse ano, ganhando sete etapas seguidas das oito já disputadas. A série invicta começou com o potiguar Italo Ferreira badalando o emblemático sino do troféu de campeão do Rip Curl Pro Bells Beach, após ganhar a bateria que marcou a despedida do tricampeão mundial Mick Fanning na casa dele na Austrália.

Depois, veio o segundo título de Filipe Toledo no Oi Rio Pro em Saquarema e na Indonésia foram mais duas vitórias seguidas, com Italo Ferreira de novo nas direitas de Keramas e do novato na elite, Willian Cardoso, nas esquerdas de Uluwatu, batendo na final o líder do ranking naquele momento, Julian Wilson. Filipe Toledo assumiu a lycra amarela do Jeep Leaderboard com o bicampeonato consecutivo no Corona Open J-Bay na África do Sul.

Ele se manteve na frente até agora, mesmo com a aproximação fulminante de Medina nesta segunda metade da temporada. O campeão mundial de 2014 venceu duas seguidas, o Tahiti Pro Teahupoo, o Surf Ranch Pro e vai defender o título nas duas etapas da perna europeia, no Quiksilver Pro France, onde já fez cinco finais e ganhou três, depois no MEO Rip Curl Pro Portugal em Peniche. Os dois eventos acontecem entre os dias 3 e 27 de outubro.

Primeira fase

1 Jordy Smith (AFR), Ezekiel Lau (HAV), Matt Wilkinson (AUS)
2 Owen Wright (AUS), Sebastian Zietz (HAV), Joan Duru (FRA)
3 Italo Ferreira (BRA), Yago Dora (BRA), Keanu Asing (HAV)
4 Julian Wilson (AUS), Frederico Morais (PRT), Wiggolly Dantas (BRA)
5 Gabriel Medina (BRA), Tomas Hermes (BRA), Ryan Callinan (AUS)
6 Filipe Toledo (BRA), Connor O´Leary (AUS), Jorgann Couzinet (FRA)
7 Wade Carmichael (AUS), Adriano de Souza (BRA), Miguel Pupo (BRA)
8 Kolohe Andino (EUA), Adrian Buchan (AUS), Ian Gouveia (BRA)
9 Kanoa Igarashi (JPN), Michael Rodrigues (BRA), Patrick Gudauskas (EUA)
10 Michel Bourez (TAH), Griffin Colapinto (EUA), Jessé Mendes (BRA)
11 Mikey Wright (AUS), Conner Coffin (EUA), Michael February (AFR)
12 Jeremy Flores (FRA), Willian Cardoso (BRA), Joel Parkinson (AUS)

Feminino

1 Caroline Marks (EUA), Nikki Van Dijk (AUS), Bronte Macaulay (AUS)
2 Carissa Moore (HAV), Coco Ho (HAV), Paige Hareb (NZL)
3 Stephanie Gilmore (AUS), Sage Erickson (EUA), Vahine Fierro (TAH)
4 Lakey Peterson (EUA), Courtney Conlogue (EUA), Pauline Ado (FRA)
5 Tatiana Weston-Webb (BRA), Malia Manuel (HAV), Macy Callaghan (AUS)
6 Johanne Defay (FRA), Sally Fitzgibbons (AUS), Keely Andrew (AUS)

Ranking do Championship Tour depois de oito etapas

1 Filipe Toledo (BRA) – 49.785 pontos
2 Gabriel Medina (BRA) – 45.685
3 Julian Wilson (AUS) – 37.125
4 Italo Ferreira (BRA) – 31.825
5 Owen Wright (AUS) – 29.485
6 Jordy Smith (AFR) – 27.275
7 Wade Carmichael (AUS) – 26.970
8 Kolohe Andino (EUA) – 24.690
9 Kanoa Igarashi (JPN) – 24.530
10 Michel Bourez (TAH) – 24.370
11 Mikey Wright (AUS) – 22.530
12 Willian Cardoso (BRA) – 22.245
13 Jeremy Flores (FRA) – 21.610
14 Conner Coffin (EUA) – 21.060
15 Griffin Colapinto (EUA) – 20.365
16 Michael Rodrigues (BRA) – 20.270
17 Adrian Buchan (AUS) – 19.000
18 Adriano de Souza (BRA) – 18.180
19 Ezekiel Lau (HAV) – 17.875
20 Sebastian Zietz (HAV) – 17.780
21 Yago Dora (BRA) – 16.735
22 Frederico Morais (PRT) – 15.945
23 Tomas Hermes (BRA) – 14.005
28 Jessé Mendes (BRA) – 10.375
31 Ian Gouveia (BRA) – 9.130
33 Miguel Pupo (BRA) – 8.090
37 Wiggolly Dantas (BRA) – 4.170
38 Caio Ibelli (BRA) – 3.360
39 Alejo Muniz (BRA) – 1.665
43 Deivid Silva (BRA) – 420

Feminino

1 Stephanie Gilmore (AUS) – 61.175 pontos
2 Lakey Peterson (EUA) – 54.260
3 Tatiana Weston-Webb (BRA) – 41.415
4 Carissa Moore (HAV) – 41.235
5 Caroline Marks (EUA) – 37.000
6 Johanne Defay (FRA) – 36.540
7 Sally Fitzgibbons (AUS) – 32.270
8 Nikki Van Dijk (AUS) – 29.270
9 Tyler Wright (AUS) – 28.970
10 Coco Ho (HAV) – 26.305
11 Silvana Lima (BRA) – 25.915