Soberania verde-amarela

Com dezoito finais nas últimas 22 etapas disputadas do Tour e dois títulos mundiais consecutivos, brasileiros vivem momento incrível na elite da WSL.

0
Gabriel Medina, Italo Ferreira e Filipe Toledo marcaram presença em nove finais das 11 etapas do Tour este ano.

A final do Billabong Pipe Masters coroou o grande momento dos brasileiros na elite mundial. Nos dois últimos anos, em um total de 22 etapas disputadas, o Brasil ficou fora de apenas quatro decisões.

Em 2018, os brasileiros não tiveram finalistas apenas na Gold Coast e França, ambas vencidas pelo australiano Julian Wilson. Além da presença nas finais, os brasileiros ainda venceram as outras 9 etapas.

Este ano, o ritmo se manteve. Os brasileiros ficaram fora do pódio apenas em Margaret River, onde John John Florence levou a melhor, e em Bali, etapa vencida por Kanoa Igarashi. Já a quantidade de etapas vencidas por brasileiros diminuiu um pouco, caindo de 9 para 6.

Foram cinco finais disputadas por Italo (Gold Coast, Jeffreys Bay, França, Portugal e Pipeline), quatro por Medina (Jeffreys Bay, Teahupoo, Surf Ranch e Pipeline) e três por Filipe (Bells Beach, Saquarema e Surf Ranch).

Em 2019, Italo Ferreira disputou cinco finais e venceu quatro delas.

Os triunfos vieram com Italo na Gold, Portugal e Pipeline, com Filipinho em Saquarema e com Medina em J-Bay e no Surf Ranch.

As vitórias com maiores pontuações foram de Gabriel Medina em Jeffreys Bay e no Surf Ranch, Italo Ferreira em Portugal e Filipe Toledo em Saquarema.

Em J-Bay, Medina registrou 19.50 pontos na decisão espetacular contra Italo, autor de 16.77. No Surf Ranch, foram 18.86 pontos na fase decisiva para manter o reinado nas ondas artificiais.

Logo depois vem Italo Ferreira, em Peniche, com 18.43 pontos no show contra Jordy Smith.

Filipinho, por sua vez, também levantou a plateia em Saquarema ao mandar 18.04 pontos também contra Jordy.

Em J-Bay, Gabriel Medina registrou incríveis 19.50 pontos para vencer a etapa.

Outro fato curioso é o domínio verde-amarelo em Jeffreys Bay, Saquarema, Peniche e na Califórnia (EUA), onde os brasileiros venceram nos três últimos anos.

O maior jejum de vitórias é na França. O último título foi de Gabriel Medina, em 2017, batendo o havaiano Sebastian Zietz na finalíssima.

Dono de dois títulos mundiais, Medina é o recordista de vitórias entre os brasileiros em etapas do Tour, com 14 triunfos, quase o dobro que o segundo colocado, Filipe Toledo, que tem oito.

Na terceira posição está Adriano de Souza, campeão mundial de 2015, com sete vitórias, seguido de perto por Italo Ferreira, vencedor de seis etapas.

O melhor índice de aproveitamento em finais é de Filipe Toledo. Ele só perdeu uma batalha em finalíssimas, e foi este ano, diante de John John Florence em Bells Beach.

Filipe Toledo é o brasileiro com melhor índice de aproveitamento em finais. Sua única derrota foi este ano, em Bells Beach.

A soberania brasileira se estende também ao Mundial Junior da WSL, com duas vitórias consecutivas em Taiwan, que passou a decidir o título mundial no ano passado. Depois de Mateus Herdy, foi a vez de o também catarinense Lucas Vicente erguer a taça.

Em 2020, além da busca por mais um troféu no Championship Tour, os brasileiros partem em busca do inédito ouro olímpico no Japão. Este ano, eles já fizeram bonito nas ondas orientais, com três medalhas no ISA Games. No masculino, Italo Ferreira levou o ouro e Gabriel Medina ficou com o bronze. Na categoria feminina, Silvana Lima faturou a medalha de prata.

Depois das festas de fim de ano, os preparativos para os próximos desafios retornam com tudo. O Championship Tour 2020 começa no dia 26 de março, na Gold Coast, e os Jogos Olímpicos de Tóquio acontecem de 26 de julho a 2 de agosto.