Filipe é vice

John John Florence vence Filipe Toledo na final do Rip Curl Pro Bells Beach e assume a liderança do ranking mundial.

0
Filipe Toledo, John John Florence, Courtney Conlogue e Malia Manuel comemoram no pódio do Rip Curl Pro Bells Beach 2019.

O brasileiro Filipe Toledo foi o vice-campeão do Rip Curl Pro Bells Beach, segunda etapa do Championship Tour 2019. Na grande final, Filipe foi superado pelo havaiano John John Florence, novo líder do ranking mundial.

Clique aqui para ver as fotos

Depois de passar por confrontos dramáticos no último dia, o brasileiro largou na frente no confronto decisivo om 7.33 e 6.50. John John Florence falhou em suas primeiras ondas, caindo nos laybacks que vinha mandando durante toda a competição, mas conseguiu reagir e levou o tradicional sino de Bells depois de obter 6.67 e 7.63.

Filipe Toledo é vice-campeão do Rip Curl Pro Bells Beach.

Filipe chegou a tentar uma última chance nos últimos segundos e o drama tomou conta da praia em Bells, mas os juízes não deram a virada ao brasileiro, que precisava de 6.98 e fez 5.90.

“Eu me sinto abençoado por estar na final de um evento tão histórico, em ondas como essas, perfeitas. Acho que todo mundo queria estar na final surfando essas ondas”, disse Filipe Toledo. “Foi incrível estar lá fora competindo com um dos melhores surfistas do mundo. O John John (Florence) já me pegou duas vezes e estou de olho nele (risos). Parabéns ao John, Courtney (Conlogue), Malia (Manuel) e a todos, que se saíram muito bem. Foi muito legal assistir o evento estes últimos dias. Eu finalmente consegui surfar bem em Bells Beach, com boas ondas, então estou feliz, foi muito divertido”.

John John Florence vence a etapa e assume a liderança do ranking mundial.

Antes de superar Filipe, John John derrotou Gabriel Medina em uma batalha polêmica nas quartas de final e também suou muito a lycra para virar o placar diante de Jordy Smith na semifinal.

Com a vitória, o havaiano tomou a lycra amarela de Italo Ferreira, eliminado depois de cometer uma interferência nas quartas, contra Jordy Smith.

“É um sentimento surreal ganhar este evento”, disse John John Florence. “Especialmente um evento como este, em que começamos com ondas pequenas em Winkipop e finalizamos com condições desafiadoras, muito grandes ontem (sexta-feira) e hoje o mar clássico, perfeito. Foram vários desafios diferentes com grandes competidores e surfar contra o Filipe (Toledo) é sempre muito assustador. Este foi o dia final mais difícil da minha carreira, muito cansativo e estou muito feliz, só quero agradecer a todos em Torquay por nos deixar surfar suas ondas”.

Dia decisivo

O último dia da janela de espera do Rip Curl Pro Bells Beach começou com as quartas de final da categoria masculina.

Logo na primeira bateria do dia, o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater não entrou em sintonia com as ondas e foi presa fácil para o australiano Ryan Callinan, autor de 12.67 pontos, contra apenas 5.67 do veterano.

Em seguida, Filipe Toledo travou uma boa batalha com o australiano Jacob Wilcox, vencedor da triagem da prova.

O confronto começou morno, mas ganhou força quando Filipe arrancou 8.17 dos juízes. O brasileiro ainda ampliou vantagem com 5.83 e trocou sua segunda melhor nota por 6.00 pontos.

Jacob também reagiu em suas últimas ondas, fazendo 6.00 e 6.83, mas foi eliminado do Rip Curl Pro Bells Beach.

Gabriel Medina perde em duelo com resultado polêmico.

Duelo de titãs

A terceira bateria marcou o aguardado encontro entre os bicampeões mundiais Gabriel Medina e John John Florence.

Em um duelo de alto nível e com resultado polêmico, John John derrotou o brasileiro.

Em ondas acima de 2 metros, o havaiano teve seu surfe bastante valorizado e arrancou notas 8.87 e 8.00, contra 8.50 e 6.67 de Medina, que fez uma bela apresentação e atacou muito bem o lip em suas ondas, manobrando com bastante agressividade.

John John chegou a cair da prancha na conclusão da sua melhor onda (8.87), uma longa direita que começou cheia, com o havaiano errando a primeira manobra, mas proporcionou uma sequência de rasgadas até chegar à junção, quando ele mandou um layback e caiu logo depois de voltar da manobra. Na onda de trás, Medina mandou um floater em uma seção bastante crítica, conseguiu conectar e acertou uma paulada na junção. Para os juízes, a onda do brasileiro valeu 8.50, 0.37 a menos do que o adversário.

Florence ainda conseguiu ampliar vantagem em um erro de Medina, que tinha a prioridade. O havaiano descolou 8.00 pontos em uma onda muito bem atacada com duas potentes rasgadas, finalizada com uma batida sem tanta expressão. A partir daí, o tempo foi passando e Medina tentou esperar pela onda da virada, mas as séries pararam de entrar em Bells Beach.

Italo Ferreira descola maior nota, mas faz interferência em Jordy Smith e dá adeus ao evento.

Inteferência derruba líder

Uma interferência tirou Italo Ferreira da briga pelo bicampeonato da etapa e da liderança do ranking. O brasileiro chegou a fazer a maior nota do confronto (8.40) nas quartas de final, mas o sul-africano Jordy Smith aproveitou um risco assumido pelo adversário e forçou a interferência de prioridade, levando Italo a ser punido com a perda de uma nota.

Jordy tinha o direito de surfar a onda naquele momento, mas estava mal posicionado. Achando que o adversário não conseguiria ir, Italo apostou na direita, mas viu o sul-africano virar a prancha rapidamente na espuma turbulenta, aproveitando a presença do brasileiro na onda.

O brasileiro ainda chegou a sair da onda e Jordy dropou logo depois, mas os juízes avaliaram que o líder do ranking interferiu na prioridade do adversário. De acordo com a regra, o atleta sem a prioridade não pode surfar em frente a outro com prioridade quando ele está surfando ou demonstra intenção de surfar a onda.

Sem condição de virar o placar e chateado com a punição, Italo ainda surfou uma boa onda e abandonou a bateria.

Ryan Callinan vê sua vaga para a final escapar na última onda.

Classificação eletrizante

Com uma virada emocionante na última onda, Filipe Toledo derrotou o australiano Ryan Callinan e garantiu vaga na grande final.

Algoz do brazuca em 2018, na França, etapa em que Filipe acabou perdendo a liderança do ranking mundial, o australiano Ryan Callinan tentou aprontar novamente, mas desta vez levou um duro golpe no último minuto.

Filipe começou melhor, com 6.83, mas teve dificuldade para surfar outra onda expressiva e viu seu adversário arrancar 7.67 em uma direita muito bem atacada.

O brasileiro teve a chance da virada na última onda, quando precisava de 6.02. Apesar de cair na finalização, Filipinho obteve 6.57 e virou o placar.

Na outra semifinal, John John Florence superou o sul-africano Jordy Smith em outro duelo que pegou fogo. Smith chegou a liderar o placar durante boa parte do tempo, mas Florence levou a melhor com 9.43 e 7.37, contra 7.17 e 8.07 do adversário.

Jordy Smith cai na outra semifinal e também fica em terceiro.

Próximo desafio – A terceira etapa acontece na Indonésia, o Corona Bali Protected, de 13 a 25 de maio nas direitas de Keramas, onde Italo Ferreira venceu no ano passado depois da sua primeira vitória no CT em Bells Beach. Além dos três do topo do ranking, também estão entre os 22 primeiros colocados que são mantidos na elite dos top-34 para o ano que vem, Willian Cardoso em décimo lugar e Yago Dora empatado em 16.o com os dois estreantes da “seleção brasileira”, Peterson Crisanto e Deivid Silva. Michael Rodrigues caiu do 17.o para o 23.o lugar e três estão em trigésimo, Caio Ibelli, Jessé Mendes e Jadson André.

Resultado do Rip Curl Pro Bells Beach 2019

1 John John Florence (HAV)
2 Filipe Toledo (BRA)
3 Ryan Callinan (AUS)
3 Jordy Smith (AFR)
5 Kelly Slater (EUA)
5 Jacob Wilcox (AUS)
5 Gabriel Medina (BRA)
5 Italo Ferreira (BRA)

Ranking do Championship Tour 2019 depois de duas etapas

1 John John Florence (HAV) 16.085
2 Italo Ferreira (BRA) 14.745
3 Jordy Smith (AFR) 12.170
4 Filipe Toledo (BRA) 11.120
5 Gabriel Medina (BRA) 9.490
6 Kolohe Andino (EUA) 9.130
7 Conner Coffin (EUA) 8.065
7 Seth Moniz (HAV) 8.065
9 Ryan Callinan (AUS) 7.415
10 Owen Wright (AUS) 6.640*
10 Kanoa Igarashi (JPN) – 6.640
10 Willian Cardoso (BRA) – 6.640
13 Wade Carmichael (AUS) – 6.075
14 Kelly Slater (EUA) – 5.010
15 Jacob Willcox (AUS) – 4.745
16 Michel Bourez (TAH) – 4.650
16 Mikey Wright (AUS) – 4.650
16 Jeremy Flores (FRA) – 4.650
16 Yago Dora (BRA) – 4.650
16 Peterson Crisanto (BRA) – 4.650
16 Deivid Silva (BRA) – 4.650
16 Reef Heazlewood (AUS) – 4.650

*Kanoa Igarashi (JAP) e Willian Cardoso (BRA) possuem a mesma pontuação, mas estão fora do Top 10 pelo critério de desempate (ranking do ano passado).

Próximos brasileiros no ranking

23 Michael Rodrigues (CE) – 2.660 pontos
30 Jessé Mendes (SP) – 1.595
30 Caio Ibelli (SP) – 1.595
30 Jadson André (RN) – 1.595
37 Mateus Herdy (SC) – 1.330
38 Adriano de Souza (SP) – 530